Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Ocupações escolares podem prejudicar exames do Saresp Estudantes que estão em escolas ocupadas não farão os exames

Publicada em 24/11/2015 às 01:11
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

A ocupação de alunos nas escolas da rede estadual pode prejudicar a realização do Saresp (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar de São Paulo). O exame, que acontece nesta terça (24) e quarta-feira (25), é feito por alunos do 3º, 5º, 7º e 9º ano do Ensino Fundamental e 3º série do Ensino Médio. Mais de 1,2 milhão de alunos terão o nível de aprendizado avaliado.
 
De acordo com a Secretaria de Educação do Estado, os exames vão ocorrer normalmente nas escolas estaduais. Mas nas que se encontram ocupadas, não haverá aplicação do teste. Também foi informado que, em relação às aulas suspensas, esses 200 dias serão cumpridos durante as férias como reposição. Em Sorocaba, já são sete escolas ocupadas pelos alunos em forma de protesto contra as mudanças no ensino da rede pública. Além disso, os estudantes encontram-se sem aulas e prometem deixar os prédios só quando o Governo Alckmin voltar atrás com a proposta de reorganização escolar.
 
Ainda segundo a Secretaria da Educação do Estado, porém, o Governo Alckmin vai manter a proposta das mudanças na Rede Estadual de Ensino e, pelo menos até segunda ordem, a reorganização prevista para entrar em prática com o início do ano letivo de 2016 não será cancelada. 
 
O EXAME - O Saresp tem a finalidade de produzir um diagnóstico da situação na escolaridade básica paulista. Os alunos têm o conhecimento avaliado em questões de Língua Portuguesa, Matemática, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e redação. As notas obtidas na avaliação compõem o Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo) e servem como parâmetro ao cálculo do bônus salarial oferecido aos professores inclusive. Por conta do bom resultado em 2014, a Secretaria de Educação ultrapassou a marca de R$ 1 bilhão em pagamentos extras a professores e servidores.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar