Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Defesa Civil lança Plano Verão 2015-2016 com diminuição de índice de alerta Características do Município e de toda a região determinaram queda do índice pluviométrico para `estado de alerta'. Agora com 60mm de chuva em 72 horas, Sorocaba entra em ação para prevenir desastres natura

Publicada em 24/11/2015 às 01:11
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

A Defesa Civil de Sorocaba faz nesta quinta-feira (26) o lançamento do Plano Verão 2015-2016, uma ação simultânea das Defesas Civis paulistas, sob a coordenação da Defesa Civil Estadual e que figura como uma das maiores ações de gestão de risco do Estado. A solenidade acontece no Salão de Vidro da Prefeitura, no Parque da Boa Vista, a partir das 13h30. O objetivo da ação é a preservação de vidas e a redução de riscos e danos humanos, materiais e ambientais junto às comunidades. 
 
O Plano vigora entre 1º de dezembro e 31 de março de 2016, período no qual são deflagrados os Planos Preventivos de Defesa Civil (PPDCs), prevendo escorregamentos e inundações. Neste ano, em virtude de características próprias da região, Sorocaba conta com a redução do índice de alerta para desastres naturais relacionados à chuva: dos 80mm acumulados em 72 horas, o número caiu para 60mm. Segundo o coordenador municipal da Defesa Civil, Roberto Montgomery Soares, avaliação técnica do Instituto Geológico (IG), do Governo do Estado, e do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) indicam que a situação do solo, que retém muita umidade, a intensidade de chuvas e a previsibilidade de longos períodos de precipitação para este verão determinaram a diminuição. Assim, quando o Município atingir 60mm num prazo de três dias seguidos, Sorocaba entra em `estado de alerta' para escorregamentos. "Até 59,99mm, estamos em estado de atenção. A partir disso, todos os organismos que integram a Defesa Civil, secretarias, voluntários, Nudec's e parceiros são acionados", explicou Montgomery. Um volume maior que 60mm também acarretará o trabalho de vistoria das áreas de risco.
 
PONTOS CRÍTICOS - Sorocaba ainda tem 88 pontos críticos mapeados e suscetíveis a problemas decorrentes de alto índice de chuva. São 41 áreas de alagamento, 21 sujeitas à inundação e 26 a deslizamentos. Monitorados frequentemente, esses locais apresentam classificação 2 em termos de ocorrência e são considerados de médio impacto.
 
Em todo o Estado serão operacionalizados nove planos preventivos que abrangem os 175 municípios mais vulneráveis do Estado, sendo um específico para inundações (Vale do Ribeira, com dezessete municípios) e sete para escorregamentos (Região Metropolitana de São Paulo, Vale do Ribeira, Baixada Santista, Vale do Paraíba e Serra da Mantiqueira, Região de Campinas, Região de Sorocaba e Região de Itapeva, com 171 municípios). Além destes municípios, todos os demais são diariamente monitorados e assistidos pela Defesa Civil Estadual.
 
`EL NIÑO' - Considerado como o pior dos fenômenos de aquecimento das águas de superfície do Pacífico dos últimos quinze anos, segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM), órgão vinculado à Organização das Nações Unidas (ONU), o El Niño deverá trazer longos períodos de chuva a Sorocaba e à região neste período, alerta ainda a Defesa Civil. Serão de quatro a cinco dias ininterruptos, adensados por ventos fortes e nuvens de alta descarga elétrica. Com o solo suscetível ao escorregamento, o maior volume de chuva, num período também maior, poderá trazer problemas para áreas críticas. "Por esta razão, preparamos os agentes e voluntários da Defesa Civil, atualizando as ações que devem ser deflagradas e, principalmente, o monitoramento realizado pelos residentes nesses pontos, que são parceiros muito importantes", assegurou ontem Roberto Montgomery.
 
Formada por um grupo de aproximadamente 70 pessoas, a Defesa Civil tem um organograma de atuação de acordo com cada uma das características dos setores que a compõem. A partir de uma Central de Gerenciamento de Emergência, ligada à coordenação do órgão, existem agentes de apoio técnico (secretarias de Saúde, Negócios Jurídicos e Habitação, além do Saae), de apoio assistencial (Fundo Social, Desenvolvimento Social e Serviços Públicos, entre outras) e de apoio administrativo-logístico (Esportes, Finanças, Educação, Juventude e Administração). O fluxograma contempla também a constituição de um grupo de órgãos parceiros, formado pelo Jeep Club, CPFL, Cetesb, Tiro de Guerra e os Nudecs.
 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar