Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Dilma deve se reunir com presidente eleito da Argentina antes da posse O candidato opositor, Maurício Macri, da coligação de centro-direita Mudemos, foi eleito no domingo (22) presidente da Argentina

Publicada em 24/11/2015 às 01:11
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Foto: Divulgação
Dilma Rousseff deve encontrar o presidente eleito da Argentina, Maurício Macri, antes de sua posse na sede do governo argentino, a Casa Rosada, marcada para o dia 10 de dezembro. O encontro entre o presidente do Brasil e o presidente eleito do país vizinho antes da posse é uma espécie de tradição e deu-se anteriormente quando Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso governavam o País.
 
Macri foi eleito no domingo (22), em segundo turno, com 51,4% dos votos, derrotando o candidato governista, Daniel Scioli, e pondo fim a 12 anos de governos da família Kirchner, com Néstor e Cristina.
 
No dia 10 de dezembro, Dilma vai a Buenos Aires para a cerimônia de posse de Macri. No dia 21 do mesmo mês, os dois voltarão a se encontrar na Cúpula do Mercosul, no Paraguai.
 
Eleição de Macri coloca 
dinâmica favorável ao Brasil
 
O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmou ontem (23) que a eleição do oposicionista Maurício Macri como sucessor de Cristina Kirchner na presidência da Argentina traz uma "dinâmica favorável" para o Brasil. "Pela potencialidade do país, certamente muda um pouco a dinâmica se forem pelo caminho de um pouco mais de liberalismo econômico", disse.
 
A eleição de Macri na Argentina, segundo Levy, ainda reforça a necessidade de o Brasil focar em aumento de produtividade e nos bens "tradables" diante da oportunidade de se beneficiar do novo cenário no país vizinho. Para isso, o País precisa passar por mudanças institucionais e regulatórias. "Precisamos ter fôlego para crescer", disse o ministro.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar