Sexta-Feira, 22 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Pais de alunos participam do 'Dia E' em escolas estaduais Mais de 100 pais estiveram presentes na reunião do ?Dia E? para tirar dúvidas sobre o futuro de seus filhos

Publicada em 15/11/2015 às 01:11
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Foto: Fernando Rezende
 
Pais de alunos do ensino da rede estadual, em Sorocaba, participaram neste sábado (14) de um encontro para tirar dúvidas com diretores e funcionários sobre o futuro de seus filhos após a reorganização escolar. O “Dia E” teve o objetivo de passar informações e orientar o local para onde os estudantes serão levados. Na Escola Estadual “Elza Salvestro Bonilha”, mais de 100 pessoas estiveram presentes para a reunião, onde puderam tirar dúvidas com a diretora, Ivete Maria Manis, que falava ao microfone.
 
Durante o discurso, ela esclareceu a situação da escola para o ano que vem. “Todas as crianças do 1º ao 5º ano que entrarem aqui terão a opção de estudar nos turnos da manhã e da tarde.” Ainda segundo a diretora, aqueles que precisarem se transferir, não será dado o transporte. 
 
Ivete comentou sobre o propósito do “Dia E”. “O principal objetivo é passar informações para os pais. O assunto hoje é a reorganização, dizer as vantagens, a localização, tudo como foi planejado, assim como os objetivos da Secretaria da Educação, que são claros, e a melhoria de qualidade.” Ela também explicou a situação da escola, afirmando que a unidade atenderá aos alunos do primeiro ao quinto ano. “Os que estudam aqui precisarão ir para outras escolas, atendendo àquilo que a Secretaria estabeleceu, uma distância de 1.500 metros.”
 
Para a ajudante geral, Márcia Renata de Proença, a reorganização escolar foi boa. “Eu cheguei depois da reunião, mas acho bom, pois eu tenho um filho que já estuda aqui na ‘Elza Salvestro Bonilha‘ e o outro vai vir o ano que vem.”
 
Segundo a dona de casa, Fernanda Cristina Amorim, apesar de a decisão pegar os pais e alunos de surpresa, essa modificação é importante, e acredita que os alunos irão aprender mais. “Creio que deveria ter sido avisado antecipadamente para os pais estarem preparados. Algumas pessoas foram contra, mas eu fui a favor sim, principalmente para o meu filho de 15 anos, que teve um pouco de dificuldade na aprendizagem, mas agora vai ser melhor.” Fernanda completa dizendo que agora será preciso utilizar transporte para a outra escola. “Meu filho foi remanejado para outra escola, vai precisar de transporte, mas não vai interferir muito. Para algumas pessoas sim, é uma decisão para os pais correrem atrás”.
 
O movimento na EE “Mário Guilherme Notari” estava mais calmo. Segundo a diretora, Maria Isabel Aranha, a escola estaria aberta até as 16 horas. “Até agora está sendo tranquilo, a gente está passando para eles as escolas em que os alunos serão transferidos em 2016.” Ela ainda explicou a situação do colégio para o ano que vem. “Provavelmente será locada pela Prefeitura, vai virar uma escola municipal, e aí os alunos serão distribuídos entre os colégios.”
 
A diarista Márcia Cristina Nunes Monteiro, apesar de tirar as dúvidas na reunião, não concorda com a mudança. “Não concordamos de ela ser fechada, porque, desde o tempo em que estudei aqui, é uma escola próxima e boa; não tenho o que reclamar do ensino. Sinceramente, não estou entendendo qual seria o motivo dessa mudança, que, para nós, que moramos aqui perto, não será agradável. Por mais que falem mal da escola, eu a considero boa.” 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar