Terça-Feira, 22 de Outubro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Argentina e Brasil já têm clima de decisão Clássico ocorre hoje, às 22 horas, em Buenos Aires

Publicada em 12/11/2015 às 01:11
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Foto: Conteúdo Estadão
O fim da tabela dirigida nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, que será na Rússia, aumenta ainda mais o caráter decisivo do clássico entre Argentina e Brasil hoje, em Buenos Aires, às 22 horas. Se durante mais de uma década o confronto entre as duas seleções era sempre agendado pelos cartolas para ocorrer apenas na sexta rodada, desta vez, o sorteio colocou os rivais frente a frente já na terceira rodada. 
 
No Brasil, Dunga está pressionado a conquistar a primeira vitória fora de casa e contra um adversário de peso. Na Argentina, a tensão é maior porque a seleção ainda não venceu nas Eliminatórias e, para piorar, não terá Messi, Agüero e Tevez, todos machucados. 
 
Dunga encara o jogo contra a Argentina como uma “guerra” e já passou esse espírito para os jogadores. O meia Lucas Lima, do Santos, por exemplo, classificou como uma “batalha” a partida no estádio Monumental de Núñes. “Tem muita rivalidade por conta de toda grandeza desse clássico. Vai ser uma batalha. Temos consciência disso.” 
 
Para o goleiro Cássio, nem mesmo o fato de a Argentina estar desfalcada de seus principais jogadores e o Brasil contar com o retorno de Neymar tornam a Seleção favorita. “Não podemos desmerecer ou menosprezar porque não joga o Messi. Argentina é muito forte, luta muito, briga muito, tem qualidade de poder ofensivo”, afirmou.
 
FASE BOA - Neymar chega ao jogo de hoje no melhor momento da carreira. Para o técnico, inclusive, o craque brasileiro está atualmente à frente de Cristiano Ronaldo e Messi. “Se fizermos o ranking por número, estatística, o Neymar está mostrando um aproveitamento superior. O Messi está machucado e o Cristiano, a gente tem expectativa de que repita o que fez no ano passado”, disse Dunga.
 
Desde a lesão de Messi, em setembro, Neymar assumiu o protagonismo do Barcelona. O atacante marcou dez gols nos últimos oito jogos. O último deles, contra o Villarreal, foi um golaço, no qual ele deu um chapéu de costas no seu marcador e bateu de primeira antes de a bola cair. No Campeonato Espanhol, Neymar é o artilheiro isolado, com 11 gols em 11 rodadas.
 
 
Dunga fecha treino, mas 
indica Alisson como titular 
 
A Seleção Brasileira encerrou ontem a preparação para o jogo contra a Argentina com um descontraído rachão. Apenas a parte final do treino pôde ser acompanhada pela imprensa e cerca de 200 torcedores. Neymar foi, de longe, o jogador mais assediado pelo público.
 
O atacante Ricardo Oliveira, 35 anos, não participou do rachão e ficou fazendo alongamentos. O ex-jogador Careca, auxiliar pontual da Seleção para os jogos contra Argentina e Peru, pelas Eliminatórias, substituiu o santista na parte final do treino.
 
Ao que tudo indica, Alisson ganhou a disputa com Jefferson e Cássio e é o novo goleiro titular da Seleção. O principal indicativo de que ele começará jogando nesta quinta-feira, em Buenos Aires, foi dado durante a parte final do treino. Enquanto os demais jogadores participavam do rachão, o colorado trabalhava sozinho sob o comando de Taffarel.
 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar