Segunda-Feira, 9 de Dezembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Diretoria do São Bento projeta gasto mensal de R$ 500 mil no Paulistão 2016

Publicada em 10/10/2015 às 23:10
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Foto: Divulgação
O São Bento está disputando a Copa Paulista (ontem jogou com o Osasco/Audax em Sorocaba pela quarta rodada da segunda fase), mas já projeta seu trabalho visando à primeira divisão de 2016. Um torneio que deve ter os mesmos 20 clubes, mas onde a Federação Paulista de Futebol, segundo alguns após ouvir vários setores, deve ter alterações profundas em relação ao de 2015; como, por exemplo, com o rebaixamento de seis times para a Série A-2. Com isso, o torneio deve ser muito mais competitivo e caro que o de outros anos.
 
De olho nessa situação, o vice-presidente, Márcio Rogério Dias, explicou como o clube está-se preparando, e adiantou que o gasto mensal para a A-1 deve ser de no mínimo R$ 500 mil. “Acreditamos que teremos despesas em torno de R$ 500 mil por mês para quatro meses. É muita grana, sem dizer os compromisso já pré-assumidos,  dívidas de acordo trabalhistas, as depesas do Complexo Humberto Reale, etc.”, explicou Dias. Segundo a mídia de São Paulo, estima-se que a tevê detentora dos direitos de transmissão do Paulistão pagará um total de cerca de R$ 170 milhões pelos direitos em TVs aberta e fechada.
 
Segundo Márcio Dias, a tendência é de que as cotas de 2015 sejam mantidas para 2016. Neste ano, no Paulistão, os quatro grandes, São Paulo, Corinthians, Palmeiras e Santos, receberam R$ 14,2 milhões, aumento de 5,2% relativo a 2014. Os demais 16 clubes, entre eles o São Bento, tiveram direito a R$ 2,75 milhões. 
 
CONFIANÇA EM DREY - O dirigente também esclareceu uma dúvida sobre o grau de confiança na comissão técnica do time na Copa Paulista, mesmo depois de uma primeira fase complicada e depois de duas derrotas nas duas primeiras partidas da segunda fase da Copa Paulista. Márcio Dias reforçou a confiança da direção em José Luiz Drey e completou que, mesmo que o time tivesse perdido para o Osasco fora de casa na terceira rodada, Drey continuaria como treinador até o fim da competição. “Não tem culpa (do treinador Drey). É questão de liga, é coisa da bola. Até porque estamos jogando bem e entramos com o Drey e vamos terminar com ele”, disse Dias. 
 
O técnico Paulo Roberto Santos deve ser o treinador para a Série A-1 e ocupa hoje um cargo de supervisor de futebol, preparando o trabalho para a primeira divisão de 2016. Aliás, os primeiros jogadores da primeira divisão iniciam o trabalho em novembro (atletas dos brasileiros das Séries C e D), e um segundo grupo (jogadores dos Brasileiros das Séries A e B), apresenta-se em dezembro. O Paulistão começa no final de janeiro.
 
PÉS NO CHÃO - Sobre o trabalho do São Bento, que mantém a linha há praticamente quatro aos, e vem dando bons resultados, o dirigente disse que o foco vem sendo estruturar o clube ano a ano num trabalho conjunto de toda direção. “E difícil fazer futebol hoje em dia. Pode acreditar! O São Bento tão somente não faz loucura e talvez esse seja um diferencial desta diretoria, que trabalha com os pés no chão, gastando somente o que tem e bancando nossas convicções e sonhos”, afirmou.
 
VOTORATY – O vice-presidente também aproveitou para saudar a volta do Votoraty, de Votorantim, ao cenário do futebol regional. “O Sol nasceu para todos e desejamos boa sorte e bom trabalho ao dirigentes que estão comandando o Votoraty nesta nova fase”, disse Dias.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar