Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< Hudi Rocha comemora sua vida de palhaço Apresentação gratuita será na Biblioteca Infantil

Publicada em 25/09/2015 às 02:09
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Foto: Divulgação
Nesta sexta-feira (25), às 20 horas, os sorocabanos com mais de 14 anos de idade terão a oportunidade de conferir o espetáculo "Transição", de Hudi Rocha, o palhaço Fedegoso, na lona armada junto à Biblioteca Infantil Municipal, à rua da Penha, 673, no Centro. No espetáculo gratuito, em comemoração aos seus 76 anos de vida, o público vai ouvir causos, piadas e memórias de Fedegoso, além de músicas, relembrando seu vasto repertório em circos, palcos e serestas na noite paulistana, entre lundus, canções de palhaço, modinhas e serestas, com destaque para a obra de Eduardo das Neves, grande palhaço e cantor brasileiro, e Vicente Celestino, que se imortalizou na canção "O Ébrio".
 
Hudi Rocha será acompanhado por Joaquim, violonista mineiro, radicado em Sorocaba; Nico, violonista do grupo `Entre Amigos'; e o violonista Beto Costa. De acordo com o artista, o nome do espetáculo "Transição" foi escolhido para definir a sua longa trajetória de 73 anos de carreira em muitos circos, entre eles o conhecido Guaraciaba.
 
A lona armada aos fundos da Biblioteca Infantil tem capacidade para 150 pessoas.
 
UMA TRAJETÓRIA ARTÍSTICA - Hudi, o palhaço Fedegoso, nasceu em Araçariguama, dentro de uma barraca de circo, em 22 de setembro de 1939, filho de Juviniano da Rocha Camargo e Zoraide da Rocha Camargo. Com 3 anos de idade, começou a interpretar o palhaço Preguinho no circo da família, personagem que ganhou vida até os seus 14 anos. Seus números compreendiam parada de mão, corda indiana e trapézio. Em 1953, seguiu para o Circo Novo Mundo, de seu tio Tercílio Rocha, o humorista Nhô Frozinho, onde conheceu a primeira esposa Zulméia da Rocha Camargo, com quem teve cinco filhos: Rita de Cássia, Ardelisse, Hudiméia, Hudinaire e Wagner.
 
No ano seguinte, acompanhando a tradição de família, Hudi criou o personagem humorista caipira Fedegoso, que o acompanharia pela vida afora. No final da década de 1950, formou com a esposa o Duo Rocha, dupla musical para shows no circo, além de continuar como Fedegoso. Nessa época, passou também a administrar sua própria companhia, o Circo Irmãs Rocha, em homenagem às filhas. Outras companhias de sua propriedade foram o Circo Umuarama, Circo Real e Circo Laser.
 
Em 1963, foi convidado por Antônio Malhone para trabalhar no Circo Guaraciaba, onde iniciou atuação no circo-teatro, destacando-se também com o Duo Rocha. Separado da primeira mulher, uniu-se a Ediméia Aparecida dos Santos Carneiro, com quem teve Hudson Santos da Rocha Camargo, futuro palhaço Kuxixo, atualmente um dos cinco melhores palhaços do Brasil. Ele também trabalhou nos circos Dalva, Zózima, Siderama, Bandeirantes, Bryan e Rosane.
 
Em 1995, iniciou sua participação no projeto `Revivendo o Circo', promovido pela Prefeitura de Sorocaba na Biblioteca Infantil, em montagens que resgatam o repertório do circo-teatros e em apresentações para crianças, com grande sucesso. A partir daí, atuou na tenda montada na Biblioteca em espetáculos como "O Céu Uniu Dois Corações", em montagem do Grupo Manto; "O Ébrio", "Escrava Isaura", "A Canção de Bernadete", "Teatro das Maravilhas" e, mais recentemente, "O Avental Todo Sujo de Ovo".
 
Atualmente, está em nova montagem de "O Céu Uniu Dois Corações", que estreiou na semana passada em Votorantim e excursionará, agora, outras cidades com o apoio do Proac. Hudi foi contemplado, aliás, com o Prêmio Carequinha, do Ministério da Cultura, através da Funarte, como reconhecimento ao seu trabalho. Atuou ainda, junto com seu filho Koxixo, na preparação do elenco e no filme "O Palhaço", produzido por Selton Mello em 2009.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar