Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< Funcionários da Santa Casa poderão ter horas descontadas da folha de pagamento Punição será por conta da paralisação de servidores para reunião com Sindicato

Publicada em 10/09/2015 às 02:09
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Foto: Fernando Rezende
O secretário do Governo e Segurança Comunitária de Sorocaba, João Leandro da Costa Filho, disse nesta quarta-feira (9) que os funcionários da Santa Casa de Misericórdia de Sorocaba que paralisaram seus serviços, ontem à tarde, para participar de uma reunião com o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde (Sinsaúde), poderão ter horas descontadas da folha de pagamento.
 
O comunicado do secretário deu-se após um encontro de dezenas de servidores, de diferentes setores da Santa Casa de Misericórdia, no terceiro andar do hospital. De acordo com o presidente do Sinsaúde, Milton Sanches, uma reunião com Costa Filho tinha sido marcada há uma semana para explanações sobre o futuro do hospital, contudo a conferência foi cancelada pelo próprio secretário ontem à tarde. “O secretário ligou pessoalmente argumentando que estava com receio da reação dos trabalhadores e ‘pelo clima não estar bom’. Ele quis remarcar para a próxima quarta-feira (16).”
 
No decorrer da assembleia com os funcionários, Sanches disse que o cancelamento da reunião pode ter sido motivado por um encontro que ocorreu, na tarde de terça-feira (8), com o gestor-geral do hospital, José Luiz Pimentel. “Na ocasião, ele (Pimentel) não gostou das denúncias feitas pelos funcionários em depoimento à CPI da Santa Casa, na semana passada.” Ainda segundo Sanches, a conversa com Costa Filho seria referente a assuntos como falta de medicamentos e funcionários. 
 
Durante a conferência, funcionários começaram a relatar problemas encontrados na Irmandade da Santa Casa. De acordo com Hugo dos Santos, diretor do Sindicato e um dos servidores do hospital, foi comunicado, há uma semana, que o atendimento em alguns setores será terceirizado, como banco de sangue e lavanderia. “Isso foi comunicado aos funcionários na última semana. A promessa é de que os trabalhadores serão remanejados, mas como? Alguns servidores não podem trabalhar em certas áreas.”
 
Outros funcionários disseram, ainda, que faltam medicamentos e melhorias na estrutura. “Teve uma vez em que a mãe teve de buscar o medicamento e voltar com o filho porque não tinha o remédio no hospital”, relata uma trabalhadora da área de pediatria. 
 
Conforme a direção do Sinsaúde, dependendo de novas reuniões no decorrer da semana, uma manifestação dos servidores da Santa Casa pode acontecer na próxima quarta-feira (16). 
 
EXPLICAÇÃO – Já o secretário João Leandro da Costa Filho justificou o cancelamento da reunião porque não quis interferir nos trabalhos do hospital. “Assembleias na Santa Casa estão proibidas. Santa Casa é para pacientes e essas reuniões têm de ser feitas no Sindicato. E outra razão é que esse não é meu papel; o cotidiano do hospital é por conta do grupo gestor.”
 
Ele disse também que, diferente da alegação de funcionários, todos os pagamentos estão em dia e que não há outra forma de manter o atendimento a não ser por empresa terceirizada. “Já estamos trabalhando com funcionários que já eram da Santa Casa, porque pertenciam à Irmandade. Não há outra maneira a não ser terceirizar.”
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar