Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< Cerveró e Baiano condenados pelo juiz Moro na 'Lava-Jato'

Publicada em 18/08/2015 às 01:08
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

A Justiça Federal do Paraná condenou ontem o ex-diretor Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, os lobistas Fernando Baiano Soares, ligado ao PMDB, e Júlio Camargo, delator que acusou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de pressioná-lo por uma propina de US$ 5 milhões, em 2011. Cunha não é réu na ação. Ele detém foro privilegiado perante o Supremo Tribunal Federal (STF) e está sob investigação da Procuradoria-Geral da República. Moro comunicou sua decisão condenatória ao ministro Teori Zavascki, relator da “Lava-Jato” no Supremo. O juiz tomou essa medida para rechaçar a investida das defesas de Cerveró e Baiano, que tentaram puxar o processo para a Corte máxima, sob alegação de que no processo sob a sua guarda houve a citação ao parlamentar.
 
Em sentença, o juiz Sérgio Moro, que conduz as ações da “Operação Lava-Jato”, impôs a Cerveró 12 anos, três meses e dez dias de reclusão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Esta é a segunda condenação de Cerveró. Em maio, o juiz Moro tinha aplicado cinco anos de pena ao ex-diretor, pelo crime de lavagem de dinheiro na compra de um apartamento de luxo em Ipanema, no Rio. O doleiro Alberto Youssef, personagem central da operação, que também era acusado na mesma ação, foi absolvido.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar