Domingo, 17 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Turistas encontram cultura e tranquilidade ao visitar Atibaia Igrejas e parque compõem roteiros da cidade, situada a 149 quilômetros de Sorocaba

Publicada em 13/07/2015 às 16:07
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

O teleférico é uma das referências turísticas (Foto: Divulgação)
A 149 quilômetros de Sorocaba, a cidade de Atibaia oferece roteiros históricos e religiosos e recantos naturais. Localizado em uma região de serras, o município foi caminho por onde passaram os antigos bandeirantes no século XVII, que desbravavam as terras em busca de índios e minerais. O nome que é dado à cidade ainda é tema para discussões de especialistas, que afirmam que a origem tem diversos significados, como rio da feitoria, rio alagado, morro dependurado, água saudável, entre outros. Atibaia é classificada como estância hidromineral pelo Estado de São Paulo, por cumprir determinados pré-requisitos definidos por uma lei estadual. Esse título garante aumento no repasse de verbas estaduais ao município para a promoção do turismo existente no local. 
 
Atibaia reserva diversas referências turísticas; entre elas está o teleférico, que foi inaugurado em 2008, em um dos pontos mais visitados e belos da cidade. O aparelho liga o Lago do Major a uma parte mais alta do município, em um percurso de 550 metros. O visitante pode ter um agradável convívio com a natureza, com muita segurança e tranquilidade. Lá de cima, pode-se ver o lago, o balneário e o Morro da Pedra Grande, que fica a 1.450 metros acima do nível do mar. Ele é conhecido por ter uma maravilhosa paisagem e rampa natural de decolagem. A montanha também é local para prática de escalada e um magnífico mirante que proporciona uma das mais belas visões da região, onde é possível avistar sete cidades em dias de boa visibilidade. 
 
A Pedra Grande oferece, ainda, uma trilha para caminhada. Quem conhece esse ponto, sabe que ele, além de ser o cartão postal da cidade, é símbolo do esporte de aventura. Nesse quesito, Atibaia conta com um atraente roteiro. À disposição, ficam voos de asa delta, paraglider, tracking, rappel, trilhas, arborismo, motocross, bicicross, enduro a pé, balonismo, quadriciclo e jipe. Alinhado ao turismo de aventura, está o ecológico, que visa, principalmente, utilizar o patrimônio natural e cultural de forma sustentável. Neste sentido, há trabalhos de incentivo à conservação que buscam a formação de uma consciência ambientalista, promovendo sempre o bem-estar das comunidades locais. 
 
Outro atrativo é o turismo rural, que oferece aos visitantes antigas propriedades e passeios a cavalo, quando é possível, ao turista, conhecer fazendas onde se trabalha com produtos orgânicos e naturais. O roteiro de visitas é extenso e abrange lugares inusitados, a exemplo dos recintos que fabricam cachaça em alambique artesanal com peças de cobre, das plantações de flores e morangos e dos orquidários. Já no Parque das Águas, situado entre o Centro e o ponto mais movimentado da cidade, fica um chafariz para oxigenação da água do lago e áreas de lazer. O local também serve como acesso ao teleférico. No Jardim do Lago, equipamentos para exercício, pista de Cooper, playground e quadra de areia ficam à disposição dos visitantes. 
 
No Parque Edmundo Zanoni, pedalinhos, patos e gansos fazem a alegria da criançada. Com 38.700 metros quadrados, o espaço possui área para descanso, caminhadas, playground, um galpão, uma lanchonete, um jardim japonês e extensa área verde. O recinto abriga, ainda, o Salão do Artesão e o Museu de História Natural, que expõe animais empalhados. A parte principal de seu acervo é composta de mil ou mais vertebrados, formando uma rara coleção de espécies da fauna.
 
Situado na Praça Bento Paes, no Centro, o Museu Municipal João Batista Conti possui extenso acervo com seção de decretos do Brasil colônia e do império, fotos antigas de Atibaia, sala de folclore, artes sacras e outros componentes da história da cidade e do País. Já o Casarão Júlia Ferraz, localizado na Praça Claudino Alves, reserva grande relevância histórica por ser sede de moradia de participantes da Revolução Liberal de 1842. O edifício passou por reforma em 1903 e reserva as mesmas características até hoje. Em 1975, o Casarão tornou-se Patrimônio Histórico de Atibaia.
 
IGREJAS – Com imagens barrocas e um painel pintado por Benedito Calixto, a igreja matriz de São João Batista, situada na Praça Claudino Alves, no Centro, foi construída por escravos. A igreja de Nossa Senhora do Rosário, localizada na Praça Guilherme Gonçalves, no Centro, também foi erguida na época dos escravos, em 1763. O templo já passou por diversas reformas e a última delas mudou todo o interior. É em Atibaia que também fica um dos Santuários da Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoënstatt. No acesso ao quilômetro 78 da Rodovia Dom Pedro I está a Capela, que é uma reprodução fiel da que existe em Schoënstatt, na Alemanha. Ali, é um centro de peregrinação e oração e recebe milhares de visitantes de todo o País. Possui, ainda, espaço para abrigar cinco mil pessoas sentadas. 
 
FESTAS - A 32ª Festa do Morango de Atibaia e Jarinu, uma realização das prefeituras das duas cidades, segue até este domingo (12). Este acontecimento é festejado no Parque do Morango “Duílio Maziero”, das 10 às 21 horas, com entrada gratuita. Na festa, o público pode conferir apresentações de Bon Odori (dança japonesa em agradecimento à colheita), exposição e venda de morangos, de artesanatos e flores, shows regionais, parque de diversões, minishopping, praça de alimentação, entre outras atrações. 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar