Terça-Feira, 12 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Comercial contrata advogado do Fluminense-RJ e 'Mister STJD' no processo do Atlético Julgamento desta quinta-feira no RJ define se Bafo ou Galo serão rebaixados para 3ª divisão em 2016

Publicada em 17/06/2015 às 01:06
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Foto: Arquivo
Continuam “quente” os bastidores do julgamento desta quinta-feira no Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, no processo cujo réu é o Atlético Sorocaba, em ação do TJD (Tribunal de Justiça Desportiva), de São Paulo, ainda relativo ao Paulista da Série A-2; o processo tem o Comercial de Ribeirão Preto como terceiro interessado. Ontem, o time riberopretano surpreendeu a todos e  contratou o advogado do Fluminense Futebol Clube, do Rio de Janeiro, especialistas em “casos impossíveis”, no STJD, Márcio Bittencourt. 
 
A informação foi divulgada pelo Jornal “A Cidade” de Ribeirão Preto. O advogado é conhecido como “Rei do Tapetão” e, entre seus feitos, em 2013 conseguiu livrar o Fluminense-RJ do rebaixamento certo no Brasileirão, e ainda “empurrou” a Portuguesa para a segunda divisão do certame nacional. 
 
O pré-candidato à presidência comercialino, Brenno Spinelli, comandou pessoalmente as negociações para contratar o advogado do tricolor carioca. “Como nós não podemos fazer parte do processo, contratamos o dr. Márcio Bittencourt para se inteirar do assunto. No dia da votação, ele vai comparecer como interessado e falar em nome do Comercial”, disse o dirigente do Leão ao Jornal “A Cidade”. Ainda segundo o jornal, o Comercial poderá ter de desembolsar R$ 50 mil para pagar o advogado.
 
GALO MANTÉM CONFIANÇA - Ontem, a direção do Atlético Sorocaba tentou passar confiança sobre o julgamento marcado para hoje, às 11 horas, no STJD do Rio de Janeiro. “Nossa diretoria e a assessoria jurídica estarão no Rio de Janeiro na data em questão para acompanhar a sessão do julgamento”, diz o clube sorocabano.
 
Depois da punição e perda de quatro pontos do jogo contra o São Caetano, por inscrever jogador fora do prazo, dia 16 de março, o jurídico do Galo levou o caso ao Pleno do TJD-SP e, para recuperar os pontos, dia 30 de março, no Pleno do TJD paulista, citaram o regulamento da competição. “Ao ter o registro efetivado na Federação Paulista de Futebol e na Confederação Brasileira de Futebol, o jogador automaticamente está com sua situação regularizada independentemente do registro no campeonato.” E também argumentou que o próprio regulamento da Série A2 não previa punição para eventuais atrasos na inscrição dos atletas. No entanto o torcedor do Galo segue preocupado com o risco de cair para a terceira divisão.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar