Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< Brasileiros presos são investigados por evasão de divisas pela PF A averiguação foi aberta a pedido do ministro José Eduardo Cardozo

Publicada em 29/05/2015 às 02:05
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Marco Polo Del Nero, será o foco da investigação da CPI do Futebol no Brasil (Foto: Abr)
O Ministério da Justiça informou na tarde de quinta-feira (28) que será aberto um inquérito pela Polícia Federal para investigar se foi praticado crime no Brasil relacionado ao suposto esquema de corrupção envolvendo a Fifa. A investigação foi aberta ontem a pedido do ministro José Eduardo Cardozo, e vai apurar possíveis práticas de evasão de divisas e de lavagem de dinheiro. Cardozo deve se encontrar nos próximos dias com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e conversar sobre o assunto. A investigação vai correr na Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro. 
 
Cardozo disse ontem que o governo brasileiro tem todo interesse de apurar ilícitos venham de onde vier. A afirmação foi feita em resposta a questionamento sobre a possibilidade de as investigações envolvendo a Fifa respingarem na Copa do Mundo realizada no Brasil no ano passado. 
 
CPI DO FUTEBOL - Os senadores aprovaram ontem a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o escândalo que resultou na detenção de sete dirigentes da Fifa, entre eles o ex-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), José Maria Marin, suspeitos de corrupção, lavagem de dinheiro e extorsão, em esquemas comerciais envolvendo competições como a Copa América, Libertadores e Copa do Brasil. A proposta de abertura da comissão investigatória é de autoria do senador Romário, que pretende ser o relator da CPI. Segundo reportagem do jornal "Folha de São Paulo", Marco Polo Del Nero será o foco da investigação. O dirigente não teve seu nome citado nas investigações dos Estados Unidos, mas documentos das autoridades desse país indicam que ele dividiu parte das propinas recebidas por José Maria Marin, vice da CBF e presidente da entidade até abril deste ano.
 
VOLTA AO BRASIL - A Fifa confirmou que o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, deixou o Congresso em Zurique. Segundo a entidade, não há nenhuma regra que obrigue o dirigente a permanecer até o fim do congresso. Del Nero, ainda segundo a Fifa, teria retornado ao Brasil; portanto o presidente da CBF não votará na eleição para presidente da entidade, que deve ocorrer ainda hoje.
 
NOME RETIRADO - Um dia após a prisão de José Maria Marin, a CBF retirou da fachada da sua sede o nome do seu ex-presidente, no início da manhã desta quinta-feira. Marin dava o nome ao prédio inaugurado por ele mesmo, no ano passado, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Agora, o edifício ostenta apenas o logo da CBF. Foi o próprio presidente, Marco Polo Del Nero, quem autorizou a medida, após reunião de seus pares no Brasil.
 
CONCACAF - A Concacaf anunciou o afastamento do presidente Jeffrey Webb e de Eduardo Li, o líder da federação costarriquenha, além de dar uma licença ao secretário-geral, Enrique Sanz, na sequência da investigação. Webb e Li foram dois dos detidos na última quarta-feira (27). Sanz não tem seu nome mencionado na investigação, mas sua descrição corresponde à de um "coconspirador" envolvido em subornos na época em que era vice-presidente da empresa de marketing esportivo Traffic USA. Li era o candidato da Concacaf para integrar o Comitê Executivo da Fifa. 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar