Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< Com corte de verbas, Casa do Menor pede ajuda Número de doações também caiu

Publicada em 06/05/2015 às 03:05
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

A entidade conta com 29 funcionários e 60 voluntários (Foto: Fernando Rezende)
Manter uma associação que tem a responsabilidade ser os “guardiões” de crianças pequenas é uma tarefa difícil. Com queda nas doações, a Casa do Menor de Sorocaba convida a população a lutar por essa causa. Há mais de 30 anos atuando com atividades voltadas a crianças vítimas de maus-tratos e abandono, que são encaminhadas pelo Poder Judiciário da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Sorocaba, Conselho Tutelar de Sorocaba e da Cidade de Araçoiaba da Serra, a Casa do Menor abriu as “portas e o coração” para contar para a população a importância da ajuda solidária. 
 
Atualmente, a entidade atende a 20 crianças, de zero a seis anos de idade, o abrigo conta com dois dormitórios para meninos e dois para meninas, um berçário, dois banheiros, uma farmácia, uma lavanderia, uma cozinha, administração, área de lazer e sala de informática. 
 
Desde o ano passado, segundo o administrador da casa há 14 anos, Santi Uten Gambacorta Filho, as doações caíram em aproximadamente 50%. “Antigamente, tínhamos doações de remédios, roupas de crianças e adultos, alimentos, campanhas que arrecadavam brinquedos e outras utilidades para a Casa”, lamenta Gambacorta Filho. 
 
O administrador frisa que houve corte de verbas e isso prejudicou a manutenção do abrigo. Ele explica que, ultimamente, para manter a casa, a situação está cada vez mais difícil. Para compensar, o grupo recorre a almoços beneficentes, ação entre amigos e bazar de roupas doadas. “Buscamos as coisas junto com nossa diretoria, mas fica dificultoso, porque precisamos de ajuda”, revela.
 
VOLUNTARIADO - A Casa do Menor conta com um quadro de 29 de funcionários e 60 voluntários. Gambacorta Filho relata que o voluntariado é específico para cada tipo de trabalho no abrigo. “Eu costumo falar que o colaborador é como se fosse um avião bimotor; se falhar um dos motores, ele cai; a união dessa força é o que faz sucesso.”
 
DOAÇÕES - Além das campanhas e projetos, a entidade está aberta para visitação de empresas e trabalhadores do comércio. O administrador diz que todos estão convidados a conhecer a realidade da casa e ver que, fora o material, as crianças também precisam de carinho e afeto na hora da visita. “Isso abre um sorriso no rosto delas.” As doações podem ser feitas pelos telefones 3221-3809 e 3229-9100 ou diretamente na sede da Casa do Menor, situada na rua General Mena Barreto, 97, Cerrado, em frente ao Comando da Polícia Militar. 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar