Quarta-Feira, 21 de Agosto de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Feira de artesanato começa em meio a reclamações de artesãos Moradores de rua e usuários de drogas presentes no local prejudicam o movimento, segundo donos de algumas barracas

Publicada em 06/05/2015 às 03:05
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

As barracas estão montadas na Praça Frei Baraúna, no Centro (Foto: Fernando Rezende)
A 13ª edição da Feira Local de Artesanato e Geração de Renda (Felger) começa, nesta quarta-feira (6), com muitas reclamações de artesãos que vendem seus produtos no local. Segundo eles, moradores de rua que usam a praça como dormitório, e usuários de drogas que ficam no local durante todo o dia, afastam a circulação dos clientes que deixam de conhecer a feira por falta de segurança.
 
Há 12 anos participando da feira, a artesã Alessandra Cravo reclamou muito da situação. De acordo com ela, idosos ficam com receio de ir até o local por conta da situação. “Isso espanta os clientes, está faltando segurança, a figura de um guarda. Não adianta chamar a polícia só quando acontece alguma coisa. Eu, por exemplo, se não trabalhasse, não viria nem traria minha filha pequena até aqui”, afirmou.
 
Na expectativa de vender seus aventais de calça jeans, feitos especialmente para o Dia das Mães, a artesã Maura Dias diz esperar maior faturamento nas vendas, mas também reclamou do descaso com a feira. Ela disse que é impossível ficar muito tempo em frente a sua barraca por conta dos usuários de drogas. “Eu não estou aguentando ficar na minha barraca, porque o cheiro é muito forte. Isso afasta as pessoas. O problema é que eles não estão só hoje, mas, sim, todos os dias. Isso é complicado.”
 
Apesar de estar há pouco tempo participando das feiras – cerca de nove meses -, Francisco Tavares D’almeida, diz não estar satisfeito com a situação e também reclamou do descaso. Ele destaca que a Prefeitura apenas vai ao local para colocar as tendas. “A divulgação foi malfeita e recebemos cartazes da feira muito em cima da hora. Além disso, tem o problema com os moradores de rua e usuários de drogas, que não é nada fácil”, explicou. 
 
Procurada, a Prefeitura não retornou até o fechamento desta edição.
 
A feira, que começa hoje, segue diariamente até o próximo sábado (9), das 9 às 21 horas, na Praça Frei Baraúna (Fórum Velho), no Centro. O visitante terá à disposição cerca de 120 barracas com produtos artesanais confeccionados com vários materiais, e também barracas de doces, salgados, geleias, etc. 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar