Segunda-Feira, 6 de Abril de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< PIB de 2014 sobe 0,1% ante 2013; pior resultado em 5 anos, diz IBGE Os números apresentados foram calculados com base na nova metodologia

Publicada em 28/03/2015 às 01:03
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

A soma das riquezas produzidas no ano passado chegou a R$ 5,52 trilhões (Foto: ABr)
O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro registrou alta de 0,1% em 2014 ante 2013, informou nesta sexta-feira (27) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em valores em reais, a soma das riquezas produzidas no ano passado chegou a R$ 5,52 trilhões, e o PIB per capita (por pessoa) caiu para R$ 27.229. Esse é o pior resultado desde 2009, quando a economia recuou 0,2%. Em 2013, de acordo com dados revisados, a economia havia crescido 2,7%. Os números apresentados pelo IBGE foram calculados com base na nova metodologia, que incluiu dados que não existiam.
 
No quarto trimestre de 2014, o PIB avançou 0,3% em relação ao trimestre imediatamente anterior, resultado que ficou dentro das estimativas de analistas, que previam desde queda de 0,40% a alta de 0,40%, com mediana negativa de 0,10%. Na comparação com o quarto trimestre de 2013, o PIB apresentou queda de 0,2% no quarto trimestre de 2014. 
 
INDÚSTRIA E CONSUMO DAS FAMÍLIAS - O PIB da indústria caiu 1,2% em 2014 ante 2013. No quarto trimestre de 2014, ele recuou 0,1% contra o terceiro trimestre. Na comparação com o quarto trimestre de 2013, o PIB da indústria mostrou queda de 1,9%. No quarto trimestre de 2014, a alta de 1,1% no consumo das famílias em relação ao trimestre imediatamente anterior foi o que salvou o PIB brasileiro de um resultado negativo. A alta no período foi de 0,3%.
 
INVESTIMENTOS - A taxa de investimento da economia brasileira no ano passado ficou em 19,7%, menor patamar desde 2009, em 19,2%. A taxa de investimento é calculada como proporção da Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) sobre o PIB. Já a taxa de poupança ficou em 15,8% em 2014, o menor nível desde pelo menos 2010. O IBGE ainda não atualizou a série da taxa de poupança para anos antes de 2010 de acordo com a nova metodologia.
 
EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES - A queda de 10,7% nas exportações no quarto trimestre de 2014 ante o quarto trimestre de 2013 foi o pior resultado para o setor desde o primeiro trimestre de 2009, quando registrou um recuo de 14,1%, segundo os dados das Contas Nacionais Trimestrais. Já a queda de 4,4% nas importações no mesmo período foi o pior resultado desde o terceiro trimestre de 2012, quando encolheram 5,9%. A queda de 0,2% no consumo do governo no quarto trimestre de 2014 ante o quarto trimestre de 2013 foi o pior resultado desde o primeiro trimestre de 2003, em que 0,7%.
 
COMPARAÇÃO COM OUTROS PAÍSES – Em uma comparação com os outros 19 países do G20, a economia brasileira teve um dos piores desempenhos entre os países mais industrializados do mundo em 2014.  Apenas Itália e Japão apresentam resultados piores no período. Em 2014, a combalida economia italiana registrou encolhimento de 0,4%, e o Japão, crescimento zero.
 
REPERCUSSÃO - O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, divulgou nota com comentários acerca do resultado. Ele ponderou, no entanto, que as revisões metodológicas do IBGE foram positivas. 
 
A oposição na Câmara dos Deputados considera que o resultado demonstra um quadro de recessão e deterioração da economia brasileira. "Temos hoje um cenário extremamente preocupante, com a economia estagnada, caminhando para uma recessão, com inflação alta e persistente." O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), disse que o resultado coroa um dos mandatos mais medíocres da história econômica brasileira. Também em nota, afirma que a gestão da presidente Dilma Rousseff resultou em quatro anos praticamente perdidos em termos de crescimento da economia. 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar