Terça-Feira, 12 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Pesquisa contabiliza hidrômetros individuais na cidade

Publicada em 25/03/2015 às 09:03
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Ainda há condomínios que fazem a marcação de forma coletiva (Foto:Fernando Rezende)
O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Sorocaba compila dados de uma pesquisa, feita pela Prefeitura de Sorocaba, para saber quantos hidrômetros individuais foram instalados após o projeto de lei nº 189/2006, do vereador Jessé Loures (PV), tornar-se a Lei Municipal nº 8.610/2008. A regra determina que os projetos de condomínios edificados, que forem aprovados a partir da data de vigência da presente Lei, deverão possuir, além do hidrômetro na entrada principal, padronizado pelo Saae, medidores individuais em cada uma das suas unidades autônomas, para medição isolada do consumo de água. 
 
Atualmente, prédios construídos após 2008 devem possuir hidrômetros individuais, contudo, antigos condomínios, tanto verticais quanto horizontais, ainda fazem a marcação do consumo de forma coletiva, já que apenas um hidrômetro realiza a contagem de metros cúbicos consumidos. De acordo com o Saae, um levantamento foi solicitado à Prefeitura para saber a quantidade de medidores individuais que foram instalados após a lei entrar em vigor. A autarquia explica estar analisando os dados para uma exata noção da realidade. 
 
Segundo o porteiro Marcelo Maruci, que trabalha em um prédio no Centro, além da autarquia, ele e os outros porteiros também fazem a leitura do hidrômetro principal, para saber se há vazamentos ou grandes alterações no consumo de água, por parte dos moradores. Já em relação ao pagamento da fatura mensal de água, Maruci explica que o valor total é dividido pela quantidade de apartamentos do prédio, desse modo a taxa rateada é adicionada à fatura do condomínio, que é entregue aos proprietários com detalhamento do consumo. 
 
A proprietária de apartamento, Miltes Ferraz, afirma que, em dezembro do ano passado, o valor total do consumo de água no prédio foi de R$ 1.304 e o custo para cada apartamento ficou em média R$ 25.  “Esse valor é dividido para cada apartamento dependendo da quantidade de quartos de cada um.” Ela afirma que não colocaria o individual em decorrência do caos que iria causar no prédio. “Para os prédios novos é ideal porque a estrutura facilita a instalação, mas nos antigos é mais complicado, as paredes são grossas e seria inviável”. 
 
Para quem aluga o imóvel, a taxa de consumo de água é fixada no preço do aluguel, somado ao valor do condomínio. Talys Carlos, locatário de apartamento, afirma que não saber o quanto paga de água, pois entrega um valor fixo ao intermediador que repassa ao proprietário. “A intermediadora paga a taxa de condomínio, a qual já vem incluso o consumo de água, e o que sobra ela passa para o proprietário.” 
 
Segundo o Saae, os responsáveis pelos condomínios, que solicitarem leituras individuais, receberão um caderno com as normas de instalação que devem ser obedecidas, assim, a autarquia fará a vistoria técnica e, ocorrendo a aprovação, as leituras começam a ser executadas. Já para quem quiser solicitar a instalação dos hidrômetros, será cobrado em média R$ 200, sendo que R$ 57,49 é o preço do hidrômetro e R$ 147,34, o custo da instalação. 
 
Em relação à conscientização do uso da água, os moradores estão sendo alertados com cartazes nos murais e elevadores. “Nós tentamos conscientizar os moradores do consumo equilibrado de água e de energia também”, afirma o porteiro José Carlos. 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar