Quinta-Feira, 2 de Julho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Boeing cai com 298 passageiros na Ucrânia

Publicada em 18/07/2014 às 00:39
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Um Boeing 777 da Malaysia Airlines, com 298 pessoas a bordo, caiu na Ucrânia ontem. A agência russa Interfax afirmou que o avião teria sido derrubado quando estava a 10 mil metros de altitude. A aeronave voava normalmente, sem registro de problemas, até desaparecer do radar, segundo o chefe do órgão regulador do espaço aéreo ucraniano.
 
O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, acusou grupos separatistas pró-russos de cometer um ato terrorista ao abater o avião com um míssil. Já um integrante do governo americano disse não haver dúvidas de que um míssil tenha atingido a aeronave.  

Destroços do avião, assim como malas e outros equipamentos também puderam ser vistos espalhados ao longo de uma vasta zona da cidade de Grabove, na região de Donetsk. Soldados das forças rebeldes e bombeiros ficaram trabalhando no local.

ASSESSOR - Anton Gerashchenko, assessor do Ministério do Interior da Ucrânia, disse que o avião da Malaysia Airlines que fazia o voo MH17 de Amsterdã para Kuala Lumpur caiu perto da cidade de Torez, na região de Donetsk (leste do país). Segundo ele, o jato foi derrubado por um míssil terra-ar disparado por rebeldes separatistas pró-Rússia.

NEGAÇÃO - O governo ucraniano declarou que o avião de passageiros de Malaysia Airlines foi derrubado ontem, quando sobrevoava o país, mas tanto Kiev quanto os rebeldes pró-Rússia negam qualquer responsabilidade pela queda da aeronave. 

PUTIN E OBAMA - O governo da Rússia confirmou que o presidente, Vladmir Putin, discutiu a queda do avião com o presidente do Estados Unidos, Barack Obama, em ligação telefônica. A Casa Branca também confirmou que os dois líderes conversaram ontem, mas não informou o teor do telefonema. 

DESVIOS - As companhias aéreas Lufthansa, Air France e Turkish Airlines informaram que vão evitar o espaço aéreo do leste da Ucrânia. O anúncio deu-se pouco após o acidente, motivando especulações de que ele teria sido derrubado por separatistas que atuam na região.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar