Sexta-Feira, 18 de Outubro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Marco Aurélio volta a alfinetar Barbosa

Publicada em 09/11/2012 às 23:41
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Melo voltou nesta sexta-feira (9) a criticar o colega Joaquim Barbosa, relator do mensalão, e disse que os ministros não são "vaquinhas de presépio para só dizer amém".

No próximo dia 18, o presidente do Supremo, ministro Carlos Ayres Britto, completa 70 anos e terá que se aposentar compulsoriamente. Com isso, Barbosa vai assumir a presidência e acumular a relatoria do processo do mensalão no final do julgamento.

"Deus queria que ele entenda que o presidente coordena, e não enfia goela abaixo o quer que seja. Nós somos iguais, nos completamos mutualmente. A divergência é própria do regime democrático. Não estamos ali para o relator colocar a matéria e sermos vaquinhas de presépio para dizer amém", afirmou Marco Aurélio, em evento na AGU (Advocacia-Geral da União) que acontece em São Paulo. O ministro ainda ironizou a situação pela qual o Supremo vai passar. "De tédio não morremos."

Marco Aurélio criticou o tempo levado para julgar o caso dizendo que o STF virou um "tribunal de processo único" e disse que se a ação tivesse sido desmembrada o julgamento já teria terminado."Sou um homem otimista por educação e também por atividade. Mas, creio que o veredicto final só virá em 2013."

Sobre a decisão de Barbosa de recolher os passaportes dos réus condenados, Marco Aurélio lembrou que as defesas poderão recorrer dela.

"É uma matéria em aberto. Foi uma decisão do relator e não do colegiado. Vou me reservar a um pronunciamento sobre a medida tida acauteladora se provocado por um dos acusados mediante um recurso cabível contra a decisão que é o agravo regimental", afirmou o ministro.

Questionado se tomaria a mesma medida se fosse relator, o ministro disse apenas: "cada cabeça é uma sentença".

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar