Terça-Feira, 18 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< Adriano confirma sua versão à polícia "Não é justo o que ela está fazendo comigo", diz o jogador

Publicada em 26/12/2011 às 20:53
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

O jogador Adriano foi, nesta segunda-feira, à 16ª DP do Rio de Janeiro, onde conversou com as autoridades policiais que investigam o disparo acidental de uma pistola ocorrido no interior do carro do atleta na madrugada do dia 24. A estudante Adriene Pinto, 20 anos, que estava no carro com Adriano e mais quatro pessoas, teve o dedo indicador esquerdo atingido pelo projétil e está internada no Hospital Barra D´Or, onde passará por cirurgia na terça-feira.

Antes do encontro com os policiais, Adriano conversou com os jornalistas. Ele reafirmou a sua versão sobre o ocorrido, de que a própria Adriene teria disparado acidentalmente a arma, que pertence ao segurança do jogador, também presente no automóvel durante o episódio. Já a vítima do disparo afirma que teria sido o corintiano quem atirou.

O atleta disse que estava disposto a pagar as despesas hospitalares de Adriene, mas que mudou de ideia, pois a jovem estaria tentando prejudica-lo: “Eu ia pagar, mas como ela está fazendo essas acusações, não vejo necessidade. Não é justo o que ela está fazendo comigo. Então, não tem por que ajudar. Apesar de tudo, espero que ela se recupere bem”, afirmou.

O jogador também relatou como os fatos aconteceram, de acordo com a sua versão. “A arma estava no veículo. Ela, de curiosa, pegou e disparou. A arma estava entre o banco do motorista e o console. Eu ouvi o disparo e abaixei. Todos se assustaram. Com certeza ela pegou a arma, porque não dispararia sozinha. A princípio, eu nem tinha visto o dedo dela machucado. Só depois vi. Foi aí que eu tirei a camisa e dei para ela enrolar na mão”.

Adriano disse que conheceu Adriene na noite em que o incidente aconteceu, na casa noturna onde estava. “Eu não a conhecia. Eu estava saindo da boate, e um amigo pediu para eu levá-la porque o carro dele já estava cheio. Não caberia mais de seis pessoas. Ele a conheceu na boate e chamou para o nosso camarote. Mas eu nunca tinha visto ela”, afirmou.

Sobre o reflexo que o caso poderá ter em sua carreira, disse estar tranquilo. “Conversei com presidente (do Corinthians, Roberto de Andrade). Não existe nada em relação a quebra de contrato. Quando as coisas acontecem comigo ganham uma proporção maior. Eu estava evitando sair, mas as vezes é difícil, estava de férias”, admitiu.

Também nesta segunda, o delegado Fernando Reis, que investiga o caso, disse que ainda não é possivel afirmar quem foi o autor do disparo. "Estamos muito no início da investigação. Ontem e hoje tentamos levantar o maior números de dados possível, mas ainda é cedo para chegar à alguma conclusão".

No domingo, o delegado disse que pretende colocar frente a frente Adriene e o jogador, para que os dois contem suas versões sobre o ocorrido". A acareação só poderá ocorrer, no entanto, após a cirurgia de Adriene, agendada para terça-feira.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar