Domingo, 5 de Abril de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Justiça quebra sigilo bancário e fiscal de tesoureiro do PT

Publicada em 28/10/2010 às 21:42
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR


A Justiça de São Paulo quebrou o sigilo bancário e fiscal do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e abriu uma ação penal contra ele e mais cinco pessoas sob a acusação de desvios da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários do Estado de São Paulo).

A medida é resultado de denúncia apresentada na semana passada pelo Ministério Público Estadual. A Justiça não autorizou, porém o sequestro de bens de acusados.

A denúncia, feita pelo promotor José Carlos Blat, acusa o tesoureiro de envolvimento em desvios da Bancoop em favor de ex-dirigentes da cooperativa e para campanhas do partido. Blat disse que Vaccari e os outros ex-dirigentes acusados formaram uma "organização criminosa".

Segundo o promotor, os denunciados usaram várias empresas que tinham como sócios ex-diretores da cooperativa para cometer as irregularidades. Blat afirmou que os acusados usaram cerca de R$ 100 mil para pagar hospedagens em hotel de luxo de espectadores para a etapa brasileira da Formula 1 em São Paulo.

Ele disse ainda que os desvios e prejuízos causados pelos acusados à Bancoop somam R$ 170 milhões. Os ex-dirigentes foram denunciados por lavagem de dinheiro e 1.633 operações que configuraram estelionato.

Segundo Blat, também há indícios de repasses indevidos da cooperativa para um centro espírita e uma instituição de caridade. A defesa dos réus e o PT negam a prática dos crimes, apontados pelo Ministério Público.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar