Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Rocha voa mais de 200 metros após explosão em pedreira

Publicada em 17/06/2014 às 23:56
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

A dona de casa Francisca Margarida Soares da Silva mora há 28 anos no bairro Caputera, zona rural da cidade. Próximo ao local existem duas pedreiras e, por isso, ela conta que acabou se acostumando com as explosões, que não ocorrem diariamente. Porém, no último dia 10, quando estava no ponto de ônibus da rua Maria Dolores Piaya Lorato, a principal do bairro, viu uma pedra cair no meio da estrada de terra, logo após o barulho de mais uma explosão. “A pedra passou por cima da minha casa e chegou a quebrar a ponta quando bateu no chão.” Por sorte, nenhum pedestre ou veículo passava na via no momento do incidente. Francisca afirma que o exemplar tinha o tamanho de um paralelepípedo e nunca havia acontecido algo parecido. “Foi um acontecimento, apenas, porque a empresa sempre monitora a região, cuidam e se preocupam; inclusive, estavam de carro a 500 metros do local.” 

Francisca, que é vice-presidente da associação do bairro, conta que representantes das pedreiras participam das reuniões. “Com as explosões estremece tudo, mas nada de grave. Eu sou a que moro mais perto.” O bairro Caputera está próximo a duas pedreiras, das empresas Julio & Julio e Holcim Brasil. O gerente de operações de agregado da Holcim Brasil, Octávio de Liberato Neto, estima que o fragmento de rocha tenha percorrido aproximadamente 230 metros do local da explosão. O trabalho de monitoramento começa antes da detonação, quando é desenvolvido um estudo das perfurações, perfilagem dos furos, carregamento de explosivos e protocolos que incluem regras do Exército. Neto explica que uma empresa especializada é contratada para acompanhar o processo, que inclui a filmagem do serviço e o momento da detonação. 

“A chance de um evento como esse acontecer é pequena, mas existe. Em quase 10 anos na área nunca vi no sentido contrário à explosão, como aconteceu. No vídeo não aparece o lançamento, mas constatamos que é da pedreira.” 

Após o episódio, a Comissão de Investigação da empresa está trabalhando em cima do caso e deve emitir um laudo em até duas semanas. Neto explica que já houve uma reunião com representantes da empresa responsável pela filmagem, e a Holcim só ficou sabendo do fragmento através dos moradores. A pedreira está localizada na rodovia Raposo Tavares, quilômetro 95,1 no sentido do interior à Capital. O gerente de operações afirma que existe uma programação de explosões, que normalmente ocorrem no mesmo dia da semana e quase sempre no mesmo horário.  


 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar