Sábado, 17 de Agosto de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< 'Futebol em outros campos', do Sesc, mostra 'Corinthians, meu amor'

Publicada em 17/06/2014 às 00:44
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

TEATRO

A Brava Companhia apresenta o espetáculo "Corinthians, meu amor - segundo a Brava Companhia - Uma homenagem ao Teatro Popular União e Olho Vivo" no palco do Sesc Sorocaba, em dois dias: amanhã, quarta-feira (18), às 20 horas, e no feriado religioso de Corpus Christi na quinta-feira (19), às 19. A peça teatral integra o projeto"Futebol em outros campos”", que tem como objetivo trazer uma reflexão sobre o esporte mais popular do Brasil, o futebol, em tempos de Copa do Mundo no País. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria da Unidade, à rua Barão de Piratininga, 555, esquina com a avenida Washington Luiz, no Jardim Faculdade, ou pelo portal www.sescsp.org.br/sorocaba. Os valores são R$ 2,00 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculados e dependentes), R$ 5,00 (usuário matriculado, deficientes físicos, aposentados, maiores de 60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino, com comprovante) e R$ 10,00 (inteira).

Escrita originalmente por Idibal Piveta (César Vieira) em 1966, com direção de Rafaela Carneiro, o espetáculo retrata a vida na capital de São Paulo, que gira ao redor do Sport Club Corinthians Paulista, mostrando os trabalhadores e torcedores do `time do povo'. A história se passa no boteco do Olho Vivo, um bar corintiano inspirado nos bares dos times de várzea, onde os frequentadores narram episódios relacionados à luta do trabalhador por melhores condições de vida. Os personagens populares têm outro vínculo comum: torcem pelo Sport Club Corinthians Paulista, fundado por operários em 1910.

Na montagem, a Brava Companhia criou diversas cenas e músicas (ao vivo) para compor o cenário e ressaltar a crítica em relação ao futebol. Além disso, o grupo parte de referências da cultura popular urbana que são comuns ao povo brasileiro, como o bar, o samba, o Carnaval, os rituais religiosos e o futebol. A Companhia busca ainda explorar o que esses ambientes, essas linguagens e seus rituais, tão conhecidos e reconhecidos por todos, proporcionam. 

Com interpretações de Ademir de Almeida, Cris Lima, Débora Torres, Henrique Alonso, Joel Carozzi, Luciana Gabriel, Márcio Rodrigues, Max Raimundo e Sérgio Carozzi, "Corinthians, meu amor - segundo a Brava Companhia - Uma homenagem ao Teatro Popular União e Olho Vivo" quer ser uma peça como uma festa. "Festa de denúncia, anunciação, diversão e crítica. Festa de homenagem ao Teatro Popular União e Olho Vivo", acentuam todos.

A duração é de 90 minutos e indicação para 18 anos de idade.


 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar