Quinta-Feira, 14 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Cidade tem 88 pontos de riscos sendo monitorados

Publicada em 07/01/2014 às 20:21
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

ALAGAMENTOS E INUNDAÇÕES

Temporais devem atingir a cidade na segunda quinzena deste mês e de fevereiro

De acordo com um mapeamento realizado pela Defesa Civil, há em Sorocaba 88 pontos de riscos, 41 deles em áreas suscetíveis a alagamento, 21 a inundações e 26 a deslizamentos. O “Plano Verão” está em operação desde o início de dezembro e prossegue até final de março, com a ajuda de pelo menos 100 voluntários dos Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs). Para diminuir as possíveis consequências à população e acompanhar a previsão meteorológica, são monitorados os seis pontos que registram o índice de chuvas na cidade, localizados nos bairros do Cerrado, Éden, Jardim Abaeté, Alto da Boa Vista, dos Morros e no Rio Sorocaba. 

O coordenador geral da Defesa Civil, Roberto Montgomery, explica que na segunda quinzena deste mês e em fevereiro devem ocorrer temporais na cidade, resultantes da convergência do Atlântico com a massa de ar quente vinda da Amazônia. A previsão é de um dia de temporal seguido de até quatro de chuvas fortes. 

Ele explica que há quatro fases de classificação dos locais de riscos, que variam de acordo com a intensidade da chuva que atingir os pontos. Em Sorocaba, a maioria se encaixa na classificação 2 e, caso o índice de chuva atinja 80 milímetros em três dias, é considerado estado de alerta. “Mesmo já tendo alguns pontos conhecidos da população, a colaboração em acionar a Defesa Civil é importantíssima”, diz. Montgomery ressalta que a maioria das famílias que estava em locais de risco, cerca de 1.500, já foram removidas e residem em moradias concedidas por meio de programas habitacionais. 

Entre janeiro e março de 2013, foram realizadas 123 vistorias em pontos de alagamentos e inundações; 99 entregas de materiais; quatro vistorias em locais com risco de deslizamento; 33 em pontos com riscos de desabamento; seis destelhamentos; e 30 quedas de árvores. No mesmo período de 2012, foram contabilizadas 116 vistorias em áreas com risco de alagamentos e inundações; 107 entregas de materiais; 13 vistorias em áreas de possível deslizamento e sete de desabamento; 18 quedas de árvores e nenhum destelhamento. A Defesa Civil pode ser aciona pelo número 199.
 
 
 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar