Quinta-Feira, 2 de Abril de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Jovem da Fundação Casa participa de concurso público para ‘dar a volta por cima’

Publicada em 24/08/2013 às 16:50
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

COM LIVROS E O FUTURO NAS MÃOS

Enfrentar a sociedade depois que se comete um ato infracional não é tarefa fácil para adolescentes que, diariamente, são assuntos nas matérias policiais. Muitos, devido ao preconceito, desistem dos sonhos e optam pela vida na criminalidade. O que um dia aconteceu por inexperiência, noutro se torna o rumo decidido pelo menor infrator. Felizmente, há jovens que não abrem mão de uma nova oportunidade. Esse é o caso de Antônio (nome fictício), de 19 anos, interno da Fundação Casa, que fará hoje a prova de um concurso público na cidade de Salto de Pirapora. Esse é o primeiro caso registrado na unidade, o que desperta otimismo nos funcionários e inspiração nos outros internos.

Entre 2.073 inscritos para o cargo de fiscal da Prefeitura está Antônio. Sem temer a concorrência de pouco mais de 200 pessoas para as 10 vagas disponíveis, o jovem pensa apenas em estudar e aprender. Ele está convicto de que, se não conseguir passar nesse concurso, enfrentará outros até ter um emprego digno para cuidar da família, que há 10 meses aumentou com o nascimento de um menino. A vontade de mudar de vida não surgiu apenas pelo salário do cargo, de aproximadamente R$ 2 mil, mas também pela chance de “dar a volta por cima” na cidade onde cresceu.

Antônio veio de Salto de Pirapora para Sorocaba há nove meses e conta que sofreu muito preconceito pelos atos infracionais que cometeu por lá. Sua primeira internação na Fundação Casa foi em 2009, por tráfico de drogas. Depois disso, o jovem ganhou uma “má fama” na cidade natal e quis se mudar. No entanto, sua vinda para Sorocaba não teve a transformação que ele esperava. Acabou tendo problemas e outras vezes foi internado. Hoje, mesmo com 19 anos, ele continua na Fundação, onde, na Casa Sorocaba IV, cumpre medida socioeducativa de internação por ter descumprido termos da liberdade assistida.

APOIO DA CASA – A decisão de Antônio pelo concurso surgiu a partir das orientações e discussões que teve com a equipe do centro socioeducativo e do apoio da Fundação, que forneceu livros específicos para o aluno. O agente educacional Wagner Elias da Silva, que leciona para o jovem, foi um dos servidores que o incentivou a traçar metas para o futuro, como trabalhar, prestar vestibular, entre outros. De acordo com Wagner, o jovem teve dificuldades no início dos estudos, como matemática. Mas por ser formado apenas no Ensino Fundamental surpreendeu o orientador ao entender com facilidade assuntos de conhecimento geral e as leituras que faz diariamente. “Ele sente que, por ter um filho, precisa mudar de vida para ser exemplo, para o filho tê-lo como espelho.”

A coordenadora pedagógica da instituição, Érica Mazine, explica que os internos da Fundação Casa recebem um ensino diferenciado por passarem períodos curtos em reclusão. Entretanto, esse ensino não é focado em concursos públicos, por isso foi necessária uma complementação nos estudos de Antônio. Na parte da manhã, o jovem participa das aulas da 1ª série do Ensino Médio. À tarde, entrega-se aos estudos para o concurso, com mais doses de matemática, português e atualidades, com apoio dos servidores no esclarecimento de dúvidas, aplicação de exercícios de gramática, entre outros. Para Antônio, as aulas são especiais. “É como ter aula particular”, descreveu.

APOIO DA FAMÍLIA – O primeiro passo para Antônio realizar os planos foi a inscrição, providenciada pela mãe dele no mês de julho. Para isso foi preciso regularizar o título de eleitor e tirar a segunda via do RG. Toda documentação foi solicitada e retirada pelo próprio interno, que teve autorização do juiz da Vara da Infância e Juventude para sair da unidade nos dias necessários. A mesma autorização está válida para hoje, dia da prova. 

O apoio da família é resultado da determinação de Antônio em mudar de vida. O jovem, que no centro socioeducativo pinta quadros nas oficinas de artes plásticas, e também pratica esportes, tem um histórico familiar complicado, mas tem se mostrado disposto a mudar tudo para ser uma pessoa melhor no futuro. “Essa disposição do Antônio é muito importante para servir de exemplo para os outros internos, que se inspiram na iniciativa dele”, disse o diretor da Casa Sorocaba IV, Francisco Alves Pinto. Para o diretor, o fato de Antônio ter resolvido pessoalmente as questões burocráticas de sua inscrição no concurso mostrou a responsabilidade que um jovem de 19 anos precisa ter. Outro interno da instituição também se inscreveu no concurso, mas já está em liberdade; esse se inscreveu para outro cargo.

A assistente social Fabíola Rocha Aguiar, responsável pelo caso de Antônio, está otimista com a participação dele no concurso. Segundo ela, a prova estava marcada para o último dia 18, mas, devido ao grande número de inscritos, a Prefeitura de Salto de Pirapora transferiu a data para este domingo exclusivamente para o cargo de fiscal. “Com isso ele teve uma semana a mais para estudar. Estamos todos torcendo por ele.” Fabíola acredita que, mesmo com a concorrência acirrada, o jovem tem grande chance de conseguir uma vaga. “Ele tem só o Ensino Fundamental, mas é um adolescente inteligente, que se dedica aos estudos e mostra determinação.”

SONHO A SER CONQUISTADO – O pai de um menino de 10 meses tem ainda uma menina para cuidar, filha da mulher com quem ele vive na zona norte da cidade. Os planos que Antônio se esforçará para concretizar assim que sair da Fundação Casa e não mais voltar, tem como alicerce a família, conforme ele mesmo elegeu. O jovem tem o sonho de fazer faculdade de Serviços Sociais e, assim, exercer profissionalmente o de que mais gosta de fazer, ajudar as pessoas. “Quero continuar os estudos e fazer outros concursos. Quero ser exemplo para meus filhos; um exemplo bom”, disse Antônio com o olhar de quem está determinado a ter dignidade novamente.


Usuária de drogas furta supermercado e perfumaria para sustentar o vício

A doméstica Maria Madalena da Silva, 36 anos, foi detida por volta das 15 horas de sexta-feira, após tentar furtar produtos de um supermercado situado no centro da cidade. Na mochila dela havia ainda itens de uma perfumaria, que ela tinha furtado momentos antes.

Assim que acionada por via Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), uma equipe se dirigiu ao local, onde tomou ciência dos fatos e soube que a doméstica tinha pegado os produtos das gôndolas e colocado em sua mochila. Ao perceber que tinha sido descoberta, a mulher teria tentado fugir, mas acabou rendida pelos funcionários na calçada em frente à loja. 

Ao revistarem a mochila de Maria Madalena, os PMs encontraram sete frascos de condicionador, quatro de xampu, dois potes de iogurte e um pacote de absorvente. Os militares encontraram ainda dois frascos de perfume furtados de uma perfumaria próxima. 

Questionada, a doméstica alegou que praticava os furtos para sustentar o vício em drogas. Contabilizados, os prejuízos foram de R$ 130 para o supermercado e R$ 60 para a perfumaria. A mulher foi levada à delegacia, onde recebeu oportunidade de fiança em R$ 1.500, mas, por não pagá-la, permaneceu detida à disposição da Justiça.  

POPULAÇÃO RENDE DUPLA – Dois indivíduos também foram rendidos por populares, no início da tarde de sexta-feira, depois de roubar um telefone celular de um vendedor de 21 anos, em Votorantim. A vítima seguiu a dupla após o roubo e na rua Venezuela, na Vila Barcelona, teve apoio dos moradores para render os indivíduos.

Quando uma equipe da PM chegou ao local, encontrou Flávio Luiz Rodrigues Dolis, 29 anos, e Célio Inácio de Oliveira Junior, de 30. Com eles nada de ilegal havia nem mesmo o celular, mas ambos assumiram o roubo e um deles admitiu ter simulado estar armado para conseguir roubar o telefone da vítima. 


GCM de Tatuí apreende menor que baleou operadora de caixa

Três assaltantes armados invadiram uma loja, da rua Prudente de Morais, em Tatuí, na última quarta-feira e um deles atirou contra a operadora de caixa, que ficou gravemente ferida. O autor do disparo, um garoto de 17 anos que confessou o crime, foi localizado e detido no dia seguinte.

Com as informações passadas por populares que presenciaram o assalto, a Guarda Civil Municipal (GCM) de Tatuí iniciou uma estratégia de patrulhamento até que a equipe do Canil encontrou um indivíduo com as mesmas características apontadas pelas testemunhas. Ele tentou fugir, mas foi detido e encaminhado à delegacia de polícia. Conforme a GCM, o adolescente já esteve detido na Fundação Casa em Sorocaba e fazia menos de 45 dias que estava em liberdade.

Na presença do delegado Alexandre Andreucci, o menor confessou a autoria do crime e alegou que, enquanto os dois comparsas olhavam tênis na vitrine tentando se passar por clientes da loja, ele anunciou o roubo à funcionária e, por ter a arma engatilhada e por estar muito nervoso, bateu a arma no balcão, o que acabou causando o disparo acidental no tórax da operadora de caixa.

De acordo com funcionários do Pronto-Socorro de Tatuí, o projétil ficou alojado na região do abdômen da vítima. Os médicos a estabilizaram e a encaminharam para cirurgia na Santa Casa local. Após a intervenção, a paciente foi levada  para a UTI. Ainda conforme os funcionários, ela não corre risco de morte e não precisa mais respirar com ajuda de aparelhos. Ainda não havia previsão de alta.

O comandante da GCM, tenente José Carlos Ferraz Fiúza, informou que os homens do grupamento já têm pistas dos outros dois assaltantes. “Tivemos acesso às imagens das câmeras de segurança da loja e temos informações. Estamos aguardando a compilação de mais algumas provas e evidências para efetivar a prisão”, explicou. O menor apreendido será novamente encaminhado para a Vara da Infância e da Juventude.

REIVINDICAÇÃO DE SEGURANÇA – No mesmo dia do assalto, Fiúza esteve reunido com a presidente da Associação Comercial e Empresarial de Tatuí, Lúcia Bonini Favorito, e representantes do comércio. As reivindicações de aumento da ronda ostensiva da GCM no centro comercial da cidade serão apresentadas ao secretário municipal de Governo, Segurança Pública e Transportes, vice-prefeito Vicente Menezes, e ao próprio prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, em reunião já agendada para o início desta semana.
 

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar