Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Baterista do Capital Inicial participa de noite de autógrafos

Publicada em 16/07/2013 às 22:25
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Neste sábado, Fê Lemos, baterista do Capital Inicial, recebe amigos e fãs para um bate-papo e sessão de autógrafos do seu primeiro livro de crônicas sobre a odisséia e aventuras em 30 anos na estrada - 'Levadas e Quebradas'. O encontro será na livraria Nobel, no Sorocaba Shopping, das 18 às 19h30.

Com prefácio do jornalista Jamari França (O Globo), a obra traz textos que contam mais de 30 anos de Fê no rock brasileiro. Há relatos de histórias com as bandas Aborto Elétrico e Capital Inicial, além de sua carreira solo na música eletrônica, que conta com o álbum "Hotel Básico".

Fê lemos com cinco anos de idade mudou-se para Brasília, indo residir na Colina (UnB). Aos dez anos começou a estudar bateria para impressionar uma garota, irmã de um baterista. Acabou conquistando a menina e o irmão dela ainda lhe deu umas dicas sobre o instrumento. Logo formou sua primeira banda (a Colina's Band). Em 1977 morou com a família durante um ano na Inglaterra, seu pai foi fazer pós-graduação em Biblioteconomia em Leicester, na Universidade de Loughborough, a 200 km de Londres. Lá ele, junto com seu irmão Flávio Lemos e sua irmã Helena, descobriu o punk rock.

Na volta, em 1978, conhece Renato Russo (à época Renato Manfredini Jr.) e juntos com André Pretórius formam o Aborto Elétrico, uma das primeiras bandas punk de Brasília. A primeira apresentação do Aborto Elétrico foi no dia 11 de Janeiro de 1980, no bar Só Cana do Centro Comercial Gilberto Salomão, reduto da juventude dourada e entediada de Brasília. No mesmo ano passa no vestibular para Psicologia na UnB, e começa a vender camisetas impressas em silk-screen na feira hippie da cidade (esta seria sua maior fonte de renda até 1983, quando um acidente de moto interrompe o seu negócio e o força a trancar o semestre na faculdade). O Aborto Elétrico dura até o final de 1982, quando se separa e dá origem à Legião Urbana e ao Capital Inicial (o Aborto Elétrico acabou em função das constantes brigas de Fê Lemos e Renato Russo, quando Fê Lemos atira uma baqueta na cabeça de Russo).

Em 1984 o Capital Inicial passa a se apresentar freqüentemente no eixo Rio-São Paulo, comprometendo os seus estudos, e ele decide trancar novamente a faculdade, que acaba sendo definitivo. Neste mesmo ano assina o seu primeiro contrato profissional, com a gravadora CBS (atual Sony Music). Em 1985 casa-se com Maria Inez Laurent, e muda-se para São Paulo. Em 1990 nasce sua filha Diana.


Ocupação Jovem trará eventos artístico-culturais no dia 27 

Serão 12 horas de atrações simultâneas em dois locais distintos

A Secretaria da Juventude da Prefeitura está finalizando os preparativos do Ocupação Jovem, um evento especial que será realizado no próximo dia 27, um sábado, das 10 às 22 horas, em dois locais de grande circulação de pessoas, no Centro: na praça Frei Baraúna e no largo de São Bento. A atividade reunirá jovens artistas, que estarão expondo e comercializando sua arte, ao mesmo tempo em que serão realizados shows e tenda de diálogos, além de intervenções artísticas.

De acordo com a secretária municipal da Juventude, Edith Maria di Giorgi, o objetivo do Ocupação Jovem é possibilitar trocas, valorizar o jovem artista sorocabano, estimular a produção cultural e a sua visualização. "O evento também visa ampliar o espaço de expressão cultural de forma democrática, focando principalmente a pluralidade de estilos e manifestações em nosso município", comenta.

O evento será aberto ao público em geral, mas voltado principalmente às pessoas com idades entre 13 e 35 anos. A expectativa é receber um público de 5 mil pessoas. "Também podem e devem participar do Ocupação Jovem novos artistas que não necessariamente estejam dentro desta faixa etária, mas que criem linguagens que dialogam com este público", declara Edith. "É importante ressaltar que o Ocupação Jovem foi idealizado e organizado não só pelos gestores do Poder Público, mas também com a participação muito importante de um grupo de jovens sorocabanos que está trabalhando de forma voluntária e colaborativa neste projeto", explica Larissa Gallep, assessora técnica da Sejuv e coordenadora do evento.

TENDAS, EXPOSIÇÕES E SHOWS - O Ocupação Jovem terá 12 horas de duração e acontecerá das 10 às 22 horas. Serão inclusive fechadas as ruas do entorno da Frei Baraúna e um trecho das ruas Voluntários de Sorocaba e Dr. Arthur Martins. O festival contará com a participação de novos artistas, que poderão expor e comercializar sua arte no local, em tendas que serão instaladas na praça Frei Baraúna e no largo de São Bento.

Um espaço será reservado para rodas de palestras, a Tenda de Diálogos, que terá uma programação variada, com a participação de artistas e jovens empreendedores, entre outros, que farão explanações de 30 a 45 minutos sobre temas variados pertinentes à juventude e artes.

No palco instalado na rua em frente à Oficina Cultural Regional "Grande Otelo", serão realizados seis shows, com as bandas locais Fones, True Voices, Mariamadame, Hugo Rafael e João Leopoldo, The Fabulous Go Go Boy From Alabama (SP) e a de renome nacional e fenômeno da Internet, A Banda Mais Bonita da Cidade (PR). Além dos espaços de exposição dos jovens artistas, de alimentação (com tendas da AATAN, Lua Nova, Afissore e Pastoral do Menor) e diálogos (tendas de palestras), a Liga das Atléticas Sorocabanas (LAS) coordenará no espaço do largo de São Bento o campeonato de skate e algumas aulas de artes marciais.

Outra atração do Ocupação Jovem será a mostra do Macs (Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba), que ocupará uma sala da Oficina Cultural "Grande Otelo" com parte de seu acervo itinerante, destacando toda a diversidade da coleção, ainda em construção. A exposição apresentará gravuras, desenhos e pinturas dos artistas Marcus André, Alex Flemming, Antônio Henrique Amaral e Tomie Ohtake. Além disso, o Espaço São Bento também estará com suas portas abertas, oferecendo gratuitamente a exposição "100 anos de História e Energia", realizada pelo Ministério da Cultura e CPFL Energia, para quem passar por lá.


Morre o ator Sebastião Vasconcelos

O ator Sebastião Vasconcelos morreu na noite de segunda-feira aos 86 anos. Ele estava internado desde o dia de 30 de junho no Hospital Israelita Albert Sabin, na Tijuca (RJ), com enfisema pulmonar e pneumonia e sofreu uma parada cardiorrespiratória. Vasconcelos tinha Mal de Parkinson, e chegou a ficar internado de 25 de abril a 5 de junho no mesmo hospital com o mesmo diagnóstico. 

O corpo será cremado na quarta-feira, no Cemitério do Caju, no Rio.
Nascido em Pocinhos, no interior da Paraíba, Sebastião Vasconcelos começou a carreira de ator nos anos 1950, em Recife, com o Teatro de Amadores de Pernambuco. Decidido a seguir a profissão, mudou-se para o Rio em 1955 e logo foi convidado para integrar a companhia teatral Tônia-Celi-Autran, dos atores Tônia Carreiro, Adolfo Celi e Paulo Autran. 

Estreou fazendo "Otelo", de William Shakespeare. Em 1960, foi dirigido por Ziembinski em "As três irmãs", de Anton Tchekhov, numa montagem do Teatro Nacional de Comédia.

Na televisão, começou também ao lado de Tônia e Autran, no teatro da Tupi. Na TV Globo, estreou no programa “Caso especial”, numa adaptação da peça “O matador”, de Oduvaldo Vianna Filho. Um dos seus papéis de maior destaque na televisão foi Floriano, pai de Ruth e Raquel (Glória Pires) na novela “Mulheres de areia”, em 1993.

Paralelamente à TV, continuou a fazer teatro e algumas incursões no cinema. Chegou a ganhar o troféu Candango de melhor ator no Festival de Brasília de 1983 pelo desempenho no filme “Inocência”, de Walter Lima Jr. Mas foi nos anos 1960 que participou mais ativamente da área, atuando em produções como “Assassinato em Copacabana” (1962), policial de Eurípedes Ramos, e “A um pulo da morte” (1969), outra história de mistério, dirigida por Victor Lima.


SescTV apresenta “Nublu Jazz Festival” 
 
Concebido em 2009 pelo Nublu, clube de Jazz e gravadora do East Village, em Nova Iorque, o Nublu Jazz Festival já percorreu os Estados Unidos e passou pela França, Turquia e Brasil promovendo encontro entre artistas locais e estrangeiros do jazz e de outras sonoridades, como o soul, o blues, o rock e o hip hop. 
  
No ano passado, o evento esteve no Sesc Pompeia, capital paulista, onde subiram ao palco, em duetos: Marginals - trio brasileiro adepto a improvisações opostas ao jazz tradicional - e o rapper Rodrigo Brandão; Wax Poetic - banda norte-americana de trip hop - e Tulipa Ruiz – cantora e compositora de MPB -; N’ Dea Davenport - cantora americana precursora do acid jazz – e o projeto Celetrixx, que ela criou com seu parceiro Katsuya, unindo ritmos eletrônicos ao soul. 
  
As participações de todos estes artistas foram gravadas e vão ao ar em um único programa inédito que o SescTV exibe nesta quarta-feira (17), às 22 horas. No repertório, músicas como No Escape e Time Moves On, cantadas por Wax Poetic; Like This, por Tulipa Ruiz; Let´s Do It Again/Never Stop; Lover Letters; e Love (Celetrix Remix) tocadas por N’ Dea Davenport e Celetrixx. 


 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar