Sexta-Feira, 15 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Dia do Choro marcado por concerto do Grupo de Percussão da Fundec

Publicada em 28/06/2013 às 01:02
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

O Grupo de Percussão da Fundec apresenta concerto especial nesta sexta-feira (28), às 20 horas, na Sala Fundec (rua Brigadeiro Tobias, 73 - Centro), em homenagem ao Dia Estadual do Choro, comemorado hoje. O repertório contará com obras tradicionais do choro, como "Brasileirinho", de Waldir de Azevedo; "Arranca Toco", de Meira; "Tico-Tico no Fubá", de Zequinha de Abreu; "Sinuosa", de Maurício Carrilho; "Apanhei-te Cavaquinho", de Ernesto Nazareth; "Lamentos", "Rosa","1X0" e "Os Cinco Companheiros", de Pixinguinha; "Vou Vivendo" e "Segura Ele", de Pixinguinha e Benedito Lacerda.

Coordenado pelo diretor artístico Daniel Lima, o Grupo de Percussão da Fundec é formado por Thiago Macedo, Harolld Godinho, Raquel Valverde, Luciano Zago, Erik Crepaldi, Rogério Simizu, Bruno Reis e Matheus Ferraz. A apresentação desta noite contará ainda com a participação especial de Giovanni Camargo (cavaco), aluno do Conservatório Dramático e Musical "Dr. Carlos de Campos", de Tatuí; e de dois ex-alunos do curso de Percussão da Fundec: Rogério Alves, que está cursando bacharelado em Percussão na Unesp (Universidade Estadual Paulista), e Renan Proença, que está fazendo o mesmo bacharelado, só que na USP (Universidade de São Paulo).

O concerto terá também a participação de alunos de outros cursos instrumentais da Fundec: Marcella de Santana (piano), Leonardo Assaf (violão), Natália Versehgi (violino), Luizim (violoncelo) e Isabela Campos (flauta). 

Os ingressos custam R$ 2,00.


`Energia através do tempo' tem mostra inédita no Espaço São Bento

A partir de hoje, uma verdadeira viagem ao tempo pela história da Energia, inclusive em Sorocaba, poderá ser acompanhada pelos que forem ao Espaço Cultural "Säo Bento" (largo de Säo Bento, 144, ao lado do Mosteiro, no Centro), onde a concessionária CPFL Piratininga, juntamente com o Ministério da Cultura e a Secretaria de Cultura do Estado, realiza a inédita exposição "100 Anos de História e Energia". Com registros de como o fornecimento de energia elétrica evoluiu também em Sorocaba, ajudando, aliás, a entender a evolução social e econômica da cidade que hoje se destaca como importante centro econômico no Estado de São Paulo e no Brasil, a mostra permanece aberta ali à visitaçäo pública, gratuitamente, até 18 de agosto - de terça à sexta-feira, das 10 às 18 horas, e aos domingos e feriados, das 10 às 16. 

Utilizando recursos tecnológicos e interativos, a mostra ainda aborda as conquistas do setor elétrico, a partir das descobertas que levaram ao funcionamento de equipamentos como o rádio, o telefone e a Internet. A concepção e coordenação geral da exposição são de Ana Maria Xavier, da Via das Artes, e a curadoria é do historiador Renato de Oliveira Diniz, com apoio do Instituto CPFL/Cultura e leis de incentivo à cultura - Proac e Lei Rouanet -, além de parceria com a Prefeitura local e patrocínio da CPFL Energia. 

Autoexplicativa, a exposição é dividida em quatro módulos e mostra assim, a partir de documentos, fotografias, depoimentos e vídeos, a importância da energia elétrica no cotidiano paulista. Esses módulos aparecem dispostos ao público como os pioneiros da energia elétrica (1912 a 1927), a hegemonia do Capital Internacional (1927 a 1954), a intervenção estatal (1954 a 1997) e, por fim, o retorno dos investimentos privados, de 1997 até os dias atuais e período onde o destaque vai para a desestatização do setor e o início dos investimentos privados, a partir da crescente demanda por geração de energia elétrica e pela busca de fontes limpas e renováveis.

A mostra também contará com a opção de visitas monitoradas para grupos (de até 40 pessoas), mediante agendamento. Interessados podem agendar por meio do e-mail monitoriasorocaba@gmail.com ou pelos telefones (15)8109.6958 e (11)95840.9020.



Violeiro apresenta-se no Sesc 

Amanhã tem workshop de viola caipira

Para os apreciadores da viola caipira, o Sesc Sorocaba preparou uma programação especial para esta sexta-feira (28), quando o violeiro e compositor João Ormmond se apresenta gratuitamente no espaço de Convivência da Unidade, às 20 horas. Por outro lado, ele mesmo amanhä, sábado (29), às 10 horas, ministra ali um workshop de viola caipira. Para participar da oficina, é necessário realizar a inscrição na Central de Atendimento do Sesc (rua Baräo de Piratininga, 555 - Jardim Faculdade).

Com um ponteado ímpar e harmônico, João Ormmond mostra a mistura da música cabocla com a Música Popular Brasileira, destacando a viola como instrumento polivalente e universal, tocando modas e toadas, chamamés, guarânias e ritmos da fronteira mato-grossense. Para o Sesc Sorocaba, ele traz o show "Tem viola no forró", formado por violas, violão, cavaco e zabumba, apresentando um repertório variado com canções autorais, além de grandes clássicos.

O violeiro já lançou sete CDs e em seu terceiro disco ("Reduto de Violeiro"), lançado em 2001, a música gravada por Leci Brandão, "Lá no Sertão", marca definitivamente sua intimidade com a viola caipira, destacando um estilo que aparece em traços mais expressivos. No mesmo ano, este CD chegou a ser indicado para o Prêmio `Caras de Música', na categoria de Melhor CD Regional. Já o último álbum, intitulado "Quariterê" (2012), traz uma homenagem à rainha negra do Pantanal (Tereza Benguela), mostrando, de uma forma sintetizada, toda a beleza poética-cultural e histórica do pantanal.

Já no Workshop de Viola Caipira, amanhä, João Ormmond - natural do Mato Grosso e criado nos arredores da nascente do rio Paraguai - apresentará o histórico da viola caipira da bacia pantaneira, os principais toques, afinações, a influência hispânica na música da região e as diferenças de tocadas com outras regiões do País. O público participante pode levar sua viola, se tiver. As vagas são limitadas.


`Obrigada por vir' é a atração de hoje do Sesc Dança'2013

O Sesc Dança'2013 prossegue nesta sexta-feira (28) e quem sobe ao palco da unidade local do Sesc, às 20 horas, é Keyzetta e Cia., com a apresentação do espetáculo "Obrigada por vir". Os ingressos estão à venda na bilheteria - R$ 2,00 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculados e dependentes), R$ 4,00 (usuário matriculado, deficientes físicos, aposentados, maiores de 60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino, com comprovante) e R$ 8,00 (inteira).

No espaço cênico determinado pelos limites do palco e por microfones, cinco pessoas questionam, neste espetáculo de dança, qual agradecimento seria justo hoje, qual reflexão cabe em suas bocas e qual agradecimento vibra em seus corpos. A primeira versão de "Obrigada por vir" aconteceu em 2005, durante o projeto `Residências Artísticas', da Oficina Cultural "Oswald de Andrade", de Säo Paulo. Nesta nova recriação, os artistas Marina Massoli, Beatriz Sano e André Menezes foram convidados para integrar o grupo e realizarem o trabalho. Key Sawao e Ricardo Iazetta explicam que a ideia inicial era remontar fielmente a peça original, mas durante os ensaios perceberam que os caminhos percorridos desde então, somados às novas reflexões, direcionaram o grupo para o que pode ser uma revitalização da obra, lançando, então, a nova versão, uma nova experiência.

Key Sawao e Ricardo Iazetta são parceiros artísticos desde 1996. Juntos, dirigem o núcleo Keyzetta e Cia., cujo foco é a pesquisa de linguagem de movimento e suas inter-relações. O grupo recebeu, aliás, o Prêmio APCA'2009, "Formação e Criação", pelos projetos realizados naquele ano. Foram eles "Noiva Despedaçada", "SÓS" e "Alto mar de todas as coisas".


Grupos de teatro unem-se para Arraiá da Santa Cruz

Acontece neste final de semana, no centro de Sorocaba, a primeira edição do `Arraiá da Santa Cruz', festa junina organizada por três grupos de teatro com o intuito de resgatar velhas tradições das festas populares de rua e promover movimento cultural e artístico no espaço público. A festa acontecerá na histórica praça da Santa Cruz, na junção das ruas Dr. Nogueira Martins e Santa Clara). Serão três dias de grande movimento, com diversas atrações artísticas, além de barracas típicas e elementos tradicionais desse tipo de manifestação popular. Cada dia de festa um dos grupos apresentará uma intervenção teatral diferente, contando a saga dos `santos juninos' comemorados este mês, Santo Antônio, Säo Joäo e Säo Pedro. 

O Arraiá acontece nesta sexta, sábado e domingo, das 18 às 22 horas, com entrada franca. A organização promete muita animação e arte. Hoje, sexta-feira, as atraçöes ficam por conta da Bandazona (música), com artistas da Trupé, Coletivo Cê e Nativos; Corpopular (dança popular), com coordenação de Leandro Medina; Saída (música), com grupo de Rap e Hip-Hop, e São Pedro, teatro com o Coletivo Cê. Já amanhä, sábado, além da música com a Bandazona, com artistas da Trupé, Coletivo Cê e Nativos, apresentam-se os grupos musicais das famílias Biancardi e Duarte, trazendo música típica, e a Cia. Nativos Terra Rasgada, com teatro de rua sobre São João.

Domingo (30), volta a Bandazona e apresentam-se também os grupos musicais Pivetes (banda de punk), Fofinski (folk, violão e voz) e Forró Euzébio, com músicas típicas. O grupo Trupé de Teatro faz encenaçäo sobre Santo Antônio.


 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar