Domingo, 15 de Setembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Alessandra Maestrini apresenta show “Drama’n Jazz” em Sorocaba Show marca o lançamento de seu primeiro CD e também de sua primeira turnê solo

Publicada em 29/04/2013 às 22:15
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
A Teatro GT traz para SorocabA, Alessandra Maestrini, com seu show “Drama’n Jazz” em única apresentação no dia 1º de maio, quarta-feira, às 19 horas, no Teatro Municipal Teotônio Vilela.

Alessandra Maestrini é uma das mais importantes atrizes de sua geração, sendo também uma excepcional cantora, com destacada atuação em musicais, por todo o Brasil. O show Drama’n Jazz marca o lançamento de seu primeiro CD, com o mesmo nome, e também de sua primeira turnê solo, como cantora, trazendo no seu repertório clássicos do Jazz e dos musicais, mas também músicas originais da própria Alessandra, bem como versões de sua autoria, como, por exemplo, a primeira versão da obra "Eu te amo" para o inglês, aprovada por Chico Buarque. o show conta com a direção de Gringo Cardia e tem a direção musical de João Carlos Coutinho. No palco, Alessandra é acompanhada de um pianista.

Alessandra Maestrini é atriz, cantora, compositora e versionista. Estreou nos palcos, em 1997 com "As Malvadas" de Charles Moeller e Cláudio Botelho, que ganharam naquele ano o Prêmio Sharp de Melhor Musical pelo espetáculo. Desde então, vem trilhando sua carreira como atriz de teatro, cantora e, especialmente, como destacada personalidade em musicais de sucesso e atriz de televisão. 

Entre os musicais que protagonizou estão a superprodução "Les Miserables", o “off-Broadway” Rent e o mega-sucesso "Ópera do Malandro". Também como protagonista, foi dirigida pelas mãos de diretores como Moacir Chaves (Utopia), João Falcão (Mamãe Não Pode Saber) e João Fonseca (O Casamento do Pequeno Burguês) pelo qual foi indicada ao Prêmio Shell de Melhor Atriz. Em dezembro de 2009, arrebatou o Brasil com a incrível Bozena, “lá de Pato Branco” no “sitcom” da Rede Globo de Televisão, Toma Lá Dá Cá, de Miguel Falabella e Maria Carmen Barbosa. Frequentemente é usada como exemplo de "crossover singer" entre mestres de canto e fonoaudiólogos, pela facilidade com que transita entre os variados estilos musicais (MPB, rock, jazz, ópera, etc.). 

Em setembro de 2008, estreou no Rio de Janeiro "7" O Musical, de Charles Moeller e Cláudio Botelho especialmente escrito pela dupla para ela, com trilha inédita especialmente composta por Ed Motta. O espetáculo foi o maior vencedor do Prêmio Shell de Teatro 2007. Alessandra é uma das primeiras pessoas a ter aprovadas e, bastante elogiadas as versões que fez para o inglês de letras de Chico Buarque, dentre elas, “I Love You” (Eu Te Amo), que foi tema da trilha da novela "Aquele Beijo", escrita por Miguel Falabella. Em 2010, no elenco da novela, "Tempos Modernos" também da Rede Globo, incorporou o papel de Ditta Kuznetskov, uma diva internacional de ópera com um passado roqueiro. Seu desempenho foi tão brilhante, que suas interpretações, tanto de árias quanto de “standards” do rock, passaram da TV para o “youtube”, com grande audiência até hoje. Duas outras canções interpretadas por ela estiveram em trilhas de novela com grande repercussão: “True Colors”, sucesso dos anos 90 na versão de Cindy Lauper, que na interpretação de Alessandra para a novela "Ti Ti Ti" ganhou espontaneamente as rádios brasileiras, com destaque e “Round Midnight”, tema da novela "Insensato Coração", de Gilberto Braga e Ricardo Linhares. 

Em 2011, sob a direção de José Possi Neto, estrelou a primeira versão mundial para teatro do musical "New York New York", no papel que no cinema foi eternizado por Liza Minelli. A montagem livremente adaptada, na qual Maestrini passa 90% do tempo em cena cantando clássicos do jazz, registrou a maior lotação da história do Teatro Bradesco (maior teatro da América Latina): mais de 50 mil espectadores em menos de três meses. 

No final de 2012, lançou seu primeiro CD solo como cantora “Drama ‘n Jazz” pela Som Livre. Atualmente, ganha as rádios ao lado de Tiago Abravanel com a canção “Deixa Estar” (Tim Maia / Alessandra Maestrini) e figura com destaque na trilha de “Guerra dos Sexos” com “You Are The Top”. 

Os ingressos para o espetáculo custam R$ 70,00 e estão sendo vendidos na Loja Radical Vest (Sorocaba Shopping - 3234-3109), Loja Voltec (R. Francisco Scarpa, 81, Centro - 3232-0502) e no site www.bilheteriarapida.com.br. O Teatro Municipal Teotônio Vilela fica na Av. Engº Carlos Reinaldo Mendes, ao lado do Paço. 



`Como nossos pais' inicia hoje temporada no Sesi


Montagem aborda as relações familiares entre pais e filhos

O Teatro do Sesi de Sorocaba abre suas portas, de hoje (30) à sexta-feira, 3 de maio, sempre às 20 horas, curta temporada do espetáculo "Como Nossos Pais", com texto de autoria de Pedro Neschling, que também dirige a montagem e está no elenco, ao lado de Oscar Saraiva, Vitória Frate e Fabrício Santiago. A montagem esteve em cartaz em 2012 no Teatro do Sesi Vila Leopoldina, na Capital, e é a segunda obra escrita por Pedro Neschling para o teatro, marcando também, assim, a primeira incursão do artista como autor, diretor e ator em um mesmo projeto. 

Essa tragédia contemporânea lança ao público um debate sobre as consequências a criação dada pelos pais no desenvolvimento do caráter de cada indivíduo. "Todos os conflitos da peça passam pela questão da paternidade. É um tema universal e espero, com esse espetáculo, levar ao público uma reflexão sobre nossas escolhas e relações pessoais e o que podemos fazer para transformá-las e nos modificarmos", destaca o diretor.

Com um texto moderno e dinâmico, "Como Nossos Pais" é permeada por cenas curtas - algumas delas simultâneas - que são levadas ao palco em um cenário concebido pelo premiado Flávio Graff. Mais de 200 totens brancos simbolizam uma grande metrópole, na qual a saga dos Kaufmann acontece. Destaque também para a luz, assinada por Adriana Ortiz. "Gosto da ideia de unir a encenação de forma fluida e conceitual. Busquei junto com a equipe técnica levar ao máximo essa fusão de teatro com as artes plásticas", destaca Neschling.

O ENREDO - Ivan Kaufmann (Oscar Saraiva) é um filho de imigrantes que se tornou dono de um dos maiores grupos empresariais do mundo. Tem uma relação bastante superficial com seu único filho, Luiz Eduardo (Pedro Neschling), que trabalha nas suas empresas. Os dois se encontram uma vez por mês para jantar ao lado de belas mulheres - e o convívio praticamente se resume a isso. Um dia, Rômulo (Fabrício Santiago), filho de uma antiga empregada da mansão Kaufmann criado junto com Luiz Eduardo, reaparece. O rapaz está prestes a se tornar pai e decide pedir emprego ao ex-patrão de sua falecida mãe. Comovido com o pedido, Ivan resolve ajudá-lo.

Quando descobre que Rômulo está trabalhando como `office boy' na empresa do pai, Luiz Eduardo fica surpreso e preocupado, pois sabe que o amigo de infância esteve envolvido com o tráfico de drogas por muitos anos. Intrigado, questiona o rapaz, que expõe sua vontade verdadeira de mudar de vida agora que será pai. Luiz Eduardo começa, entäo, a se relacionar com Cléo (Vitória Frate), uma linda jovem, filha de uma família rica e desestruturada emocionalmente. Ivan, por sua vez, impressionado com a dedicação de Rômulo e tomado por um repentino e profundo sentimento de revisão de valores na vida, resolve aumentar o investimento no futuro do rapaz, oferecendo estrutura para que ele se torne um executivo na empresa. Isso desperta em Luiz Eduardo, que sempre se sentiu descuidado por seu pai, o mais profundo sentimento de desamparo. Já Cléo, que também se ressente da falta de carinho paterno, começa a ver Ivan com outros olhos.

A história caminha para o auge de sua tensão quando Luiz Eduardo, enfurecido, arma uma cilada que faz com que Rômulo e sua esposa sofram um atentado. Já Cléo, cada vez mais encantada, acaba se envolvendo com Ivan - e a relação entre o pai e o filho fica insustentável.

Entrada gratuita em todas as quatro sessões, às 20 horas. Os ingressos serão distribuídos 1 hora antes do início de cada apresentação na própria bilheteria do Teatro do Sesi, às rua Gustavo Teixeira, no bairro do Mangal.


`Assassinas' encerra ciclo de filmes franceses do CineCafé

A última sessão da mostra especial de filmes franceses do CineCafé é o longa-metragem "Assassinas" (2006), que será exibido às 19 horas desta terça-feira (30) no Sesc Sorocaba (rua Barão de Piratininga, esquina com a avenida Washington Luiz - Jardim Faculdade. Os interessados devem retirar os ingressos gratuitos com uma hora de antecedência na bilheteria da Unidade.

Com direção de Patrick Grandperret, a história se passa com Nina (Hande Kodja) e Lizzy (Céline Sallete), duas jovens sensíveis que se conhecem em uma clínica psiquiátrica e se identificam. Nina está deprimida desde a morte do pai e Lizzy foi confinada na instituição após tentar o suicídio. Sem muito dinheiro e nem muita sorte, certa noite, a dupla decide escapar da clínica carregando apenas seus sonhos em busca do amor. Durante a trajetória, muitos fatos acontecem, onde o caminho das garotas começa a se revelar trágico e sem saída.

Antes da sessão, será exibido o curta "A melhor idade", dirigido por Angelo Defanti, do Rio de Janeiro. E, após o longa-metragem, às 21 horas, o produtor e cineasta Marcelo Domingues coordenará o "Cinema em reflexão", uma discussão sobre os aspectos técnicos dos filmes assistidos e as temáticas retratadas pelos diretores.


Narrações de histórias são atração para as crianças em maio no Sesc 

Em maio, a programação infantil do Sesc Sorocaba traz novamente a magia das contações de histórias narradas por diversos grupos e contadores. As apresentações, que são gratuitas e para toda a família, acontecem na Convivência da Unidade, sempre às 16 horas. Assim, para alegrar os feriados do mês, a Cia. Navega Jangada de Teatro apresenta "O tijolo verde" amanhã, 1º de Maio, Dia do Trabalhador, e "Do baú da minha vó", na quinta-feira, dia 30, Solenidade de Corpus Christi. A primeira história trata de dois contadores que descobrem juntos uma pequena planta nascendo dentro de um tijolo. A partir disso, buscam possibilidades de cultivar diferentes plantas em diversos lugares como vasos e recipientes encontrados em um latão de lixo, aproveitando o lixo para utilizar como adubo. Durante a contação, objetos se transformam em personagens tornando o conto mais divertido e interativo.

Já em "Do baú da minha vó", as crianças apreciarão narrativas contadas por uma avó, guardadas em um baú. São duas histórias existentes que serão sorteadas: "Pele de Asno", adaptação de um conto de Perrault, onde um rei enriquece graças ao seu asno, e "Como surgiu a noite", uma lenda indígena, na qual um guerreiro cansado de apenas trabalhar resolve descobrir onde está escondida a noite. Máscaras de tecidos que saem dentro do baú, manipulação de objetos, muita música e brincadeira são elementos utilizados pelo grupo para envolver as crianças no universo da fantasia. 

Nos sábados, dias 4 e 11, por outro lado, é a vez de Diana Ishimitsu subir ao palco trazendo "Histórias com kamishibai". A proposta é transmitir aos pequenos, de uma forma lúdica e artística, as lendas de diversos países com mensagens importantes para a vida em sociedade, como ajuda ao próximo, importância da amizade, honestidade, otimismo, trabalho em equipe e compaixão. Além disso, a atividade reúne a tradicional arte do Origami (dobradura de papel, originária do Japão), que estimula o trabalho artístico através do papel.  

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar