Terça-Feira, 18 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< Foragido da Justiça é localizado com quase 700 porções de cocaína “Monstrão” tinha produtos e equipamentos usados para preparo das drogas

Publicada em 17/01/2013 às 22:03
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Entre as drogas e os equipamentos havia medicamentos para misturas (Foto: Fernando Rezende)
Policiais militares da Força Tática prenderam, na manhã de ontem, um homem que era procurado pela Justiça e atuaria no tráfico de drogas no Jardim Renascer. Com o servente Adilson Modesto da Silva, 31 anos, os agentes apreenderam 690 porções de cocaína, mais uma porção bruta da mesma droga, e equipamentos usados para o preparo do entorpecente.

Por volta das 10 horas, equipe do cabo Silva patrulhava pelo bairro, quando recebeu a denúncia de que um homem conhecido como “Monstrão” teria drogas em sua casa e as comercializava. Conforme o denunciante, o traficante morava numa casa da Alameda Vitória.

Com base nas informações, os militares seguiram até a residência indicada, onde foram atendidos pelo próprio denunciado. Imediatamente, Silva foi confessando ser procurado pela Justiça e, após ser comunicado sobre a denúncia, acompanhou as buscas que a equipe fez em sua casa. Sobre a estante na sala, havia 27 microtubos de cocaína e R$ 1.134 em notas diversas. 

Questionado, “Monstrão” alegou que as drogas eram para consumo próprio, pois seria viciado. No entanto, ainda em buscas pela casa, os policiais obtiveram êxito em encontrar mais 663 pinos de cocaína, uma porção bruta da mesma droga e folhas de caderno descrevendo a contabilidade do comércio ilegal de entorpecentes. 

Também foram apreendidos uma balança de precisão, dois copos de liquidificador usados para o preparo da droga; quatro frascos de bicarbonato e um de fermento em pó, que seriam misturados à cocaína para aumentar a quantidade; um rolo de sacos plásticos transparentes e cerca de 1.500 pinos ainda vazios. 

Silva foi levado à delegacia do plantão norte, onde foi indiciado por tráfico de drogas e por ser foragido foi recolhido ao CDP. 

MAIS PROCURADOS CAPTURADOS – Antônio Adriano Macena Tavares, 23 anos, foi capturado por PMs, na manhã de ontem, no bairro dos Morros, em Votorantim. Ele estava foragido da Justiça desde outubro passado, quando foi beneficiado pela saída temporária do Dia das Crianças. O sargento Gehrt e os cabos Chasney e Antunes, da Força Tática da PM, estavam em patrulhamento pelo bairro, quando suspeitaram do indivíduo e o abordaram. Tavares cumpria pena por tráfico de drogas na penitenciária II, em Itapetininga.

Também em Votorantim, a PM deteve Sérgio Rubens Chagas, identificado como procurado pela Justiça. Ele foi abordado por militares no início da madrugada de ontem, no bairro Rio Acima. Devido à atitude suspeita que apresentou ao perceber a viatura policial, foi abordado e teve sua identidade pesquisada, constando sua pendência judicial. Após passar pela delegacia local, Chagas foi recolhido à cadeia pública de Pilar do Sul.


Corpo de rapaz desaparecido é localizado no rio Sorocaba

Após três dias de buscas, o Corpo de Bombeiros conseguiu encontrar o corpo do pedreiro Mauro Tobias, 30 anos, desaparecido no rio Sorocaba, na tarde de segunda-feira (14), durante uma pesca que fazia com dois amigos. Familiares e conhecidos do rapaz, quando souberam do encontro, seguiram para a ponte da rodovia Emerenciano Prestes de Barros, no bairro Caguaçu, onde o corpo estava para aguardar a perícia técnica.

Segundo um dos companheiros de pesca da vítima, eles estavam num bote improvisado, quando começou a entrar água e, assustando, Tobias teria pulado no rio na tentativa de se salvar. No entanto, por não saber nadar, acabou se afogando. Os amigos conseguiram chegar à margem do rio e, desesperados, foram em busca de ajuda.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o rapaz foi encontrado cerca de 2 km abaixo do local em que caiu e estava enroscado em galhos de árvore, na margem do rio. Assim que o rapaz foi localizado, a Polícia Militar foi acionada e seguiu para o local, que é de difícil acesso. Para deixar o corpo em um lugar que pudesse ser retirado mais facilmente, os bombeiros subiram cerca de 4 km contra a correnteza até chegar sob a ponte. 

As pessoas que conheciam o rapaz e acompanharam o resgate do corpo estavam bastante comovidas. Um dos amigos que participava da pesca reconheceu Tobias pela chuteira cor de laranja que ele usava. A equipe da perícia técnica chegou cerca de duas horas após ser acionada e junto aos funcionários da funerária concluíram os procedimentos antes de enviar o corpo para o IML. Tobias deixa esposa e cinco filhos.

OUTRO CORPO ENCONTRADO – Um homem foi encontrado morto, no final da tarde de quarta-feira, na Vila Assis. Ainda não identificado, o corpo foi localizado na rua Augusto de Assis, sem sinais de violência. O homem tinha a pele branca e aproximadamente 23 anos. Nenhum documento foi encontrado no local, mas uma carta endereçada a um interno de uma clínica para tratamento de dependência química. A Polícia Civil deve investigar se o destinatário da carta é a própria vítima.


Rapaz com antecedente criminal tenta furtar carro e vai preso

Com base na informação de que um indivíduo vestido com calça jeans e camisa azul, teria tentado furtar um carro estacionado na avenida Gonçalves Magalhães, no bairro Trujilo, policiais militares saíram em busca do denunciado e conseguiram detê-lo.

Jonas Celestino Rodrigues, 22 anos, foi reconhecido por uma testemunha do crime, que disse tê-lo visto tentando abrir um Fiat Uno com uma chave falsa. A testemunha teria dito ao rapaz que iria chamar a polícia e ele foi embora, mas logo retornou para nova tentativa.

Rodrigues já possui antecedentes criminais por porte ilegal de arma de fogo, ocorrido em maio de 2010, e por furto à residência, em janeiro de 2012. Depois de assinar o boletim de ocorrência por tentativa de furto, acabou recolhido ao Centro de Detenção Provisória (CDP).

MAIS UM QUE FURTOU – O auxiliar de serviços gerais Alexsandro Sampaio do Nascimento, 33 anos, foi preso por volta das 4h30 de ontem, após furtar objetos de uma funilaria localizada no Cidade Jardim. Ele teria escalado um muro de 2,5 m para conseguir entrar no estabelecimento, de onde pegou várias ferramentas. Segundo alegou à polícia, as peças seriam vendidas para que ele pudesse comprar drogas.


Acusado por tráfico vendia de tudo em ponto de ônibus

Agentes da Guarda Civil Municipal (GCM), em patrulha pelos próprios municipais do Parque Vitória Régia, no início da madrugada de ontem, viram um rapaz pegando algo no pé de uma árvore. Este algo ele teria entregado ao motorista de um carro vermelho e depois se sentado num ponto de ônibus próximo à praça Arlindo P. Fernandes.

Ao abordar o suspeito, os guardas civis o identificaram como Everton William dos Santos, 24 anos, que em revista tinha no bolso da blusa R$ 70, e no bolso da bermuda, mais R$ 10. No local em que ele fora visto mexendo, os agentes encontraram 29 porções de cocaína, 16 pedras de crack e sete trouxinhas de maconha.

Santos teria afirmado que estava no local para traficar drogas e que estava neste crime há pouco tempo, vendendo a R$ 10 cada porção de carck e cocaína, e a R$ 5 cada uma de maconha. Diante das apreensões, o rapaz foi conduzido ao plantão norte, onde permaneceu detido para ser transferido ao CDP.


DESFECHO DO CRIME

Acusados de roubar veículo de promotor de justiça em Sorocaba são condenados

Toni Silva – O Repórter dos Tribunais

No dia 15 de outubro de 2011, o promotor de justiça Heracles Antônio Peranovich, 48 anos, saiu de sua residência, em Sorocaba, numa caminhonete, em companhia de seu sobrinho Rafael Nicola Brazissa, 22 anos, em direção à casa de seus familiares, também em Sorocaba. Durante o trajeto, ambos foram rendidos por marginais que os levaram para um cativeiro. Os criminosos não sabiam que uma das vítimas era membro do Ministério Público. Eles interrogaram o promotor a respeito de sua atividade profissional e ele respondeu que era empresário. 

Com o passar do tempo, como o promotor e seu sobrinho não chegavam à casa dos familiares, houve, então, a suspeita de que algo de anormal poderia estar ocorrendo com eles. A polícia foi acionada para atuar no caso, contudo não conseguiu de imediato localizá-los até o final do sábado. Os delinquentes não fizeram nenhum contato com a família das vítimas, porque eles não pretendiam resgate, queriam apenas o veículo. Durante a tarde do dia seguinte (domingo), as vítimas foram tiradas do cativeiro e abandonadas numa estrada próximo a Araçoiaba da Serra.

AUTORIA E PRISÃO - No dia seguinte (segunda-feira, 16/10), a polícia conseguiu localizar a caminhonete em poder de dois homens numa cidade do Mato Grosso. Os policiais suspeitaram de que os indivíduos tentavam levar a caminhonete para o Paraguai. O veículo foi apreendido e os criminosos foram presos. 

No início da noite dessa mesma segunda-feira, a Polícia Militar ouviu informações que indicaram locais que poderiam ter sido usados como cativeiros das vítimas e, por esse motivo, foi averiguar o fato. Os policiais chegaram à Rua José Antônio Moreira, no Jardim Floriano, em Salto de Pirapora, e prenderam os demais acusados de participar do crime; além de adultos havia também uma adolescente envolvida. 

A polícia constatou que a casa havia sido usada como cativeiro, e descobriu mais três locais que serviram para o mesmo fim: um imóvel na Rua Dijanira Santos Rocha, e dois locais na Rua Reverendo Paulo Macalão, no Jardim Paulistano, periferia de Salto de Pirapora. Todos os envolvidos foram levados para a Delegacia Antissequestro de Sorocaba. 

O processo foi movimentado sob segredo de justiça. O promotor, que na época do crime trabalhava na capital paulista, reconheceu os acusados tanto na delegacia como no Fórum. No momento do reconhecimento, ele ficou emocionado, depois demonstrou-se irritado. Recentemente a 3ª Vara Criminal de Sorocaba julgou a conduta dos envolvidos enquadrando-os no artigo 157, parágrafo 2º, incisos I, II, IV e V do Código Penal. Os dois que estavam com o veículo no Mato Grosso, Dorlan Novaes Borges e Henrique Leandro da Cruz, e os demais acusados, Gideone de Almeida Alves, Dione Alves Lacerda e Jeisse Aparecida de Oliveira Almeida estão condenados a cumprir 12 anos de reclusão no regime inicial fechado.

Quem comete crime está sujeito a “pão de angústia” e “água de amargura”

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar