Domingo, 16 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< Câmara aprova repasse de verba a escolas de samba

Publicada em 17/01/2013 às 21:39
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Representantes das escolas de samba e blocos da cidade assistiram atentos à sessão (Foto: Fernando Rezende)
Em sessão extraordinária realizada ontem de manhã na Câmara Municipal de Sorocaba, a maioria dos vereadores decidiu pelo repasse de R$ 225 mil a Lisobes (Liga Sorocabana de Blocos e Escolas de Samba). Foram 15 votos a favor da liberação; os cinco que votaram contra o projeto foram os vereadores Irineu Toledo (PRB), Luís Santos (PMN), Marinho Marte (PPS), Pastor Apolo (PSB) e Rodrigo Manga (PP). As duas frentes de opiniões explanaram sobre a decisão, que foi acompanhada por integrantes de escolas de samba, presentes no plenário.

Marinho Marte foi o primeiro a expor opinião contrária ao repasse, alegando que outros setores, como a saúde, precisam de mais verba e ainda afirmou que o carnaval está mascarado. “As escolas não podem ficar esperando só a verba da Prefeitura. Queremos quatro dias de festa ou mais quatro anos de vida para algumas pessoas?”, questionou.  

Autor da lei n. 7.509 de 2005, que criou o Fundo Municipal para Realização de Festejos Populares, o presidente da Câmara, vereador José Francisco Martinez (PSDB), assim como o novato Fernando Dini (PMDB), criticou a ausência do secretário de Cultura do município, José Simões de Almeida Junior. Os que foram favoráveis ao repasse afirmaram que é preciso um novo planejamento para a festa, pois uma cidade do tamanho de Sorocaba precisa destinar um valor maior ao carnaval; e, assim, oferecer um evento da grandiosidade que a população merece. 

O vereador Paulo Mendes (PSDB), líder do Governo na Casa, afirmou que é preciso prestigiar o carnaval, que já está inserido na cultura da cidade. “Durante todos esses anos em que estou aqui, nunca ocorreu uma sessão extraordinária para votar a transferência da verba”, referindo-se à recente exigência do Ministério Público, que determina lei específica antes do repasse. Ele chegou a ser aplaudido de pé por integrantes de escolas de samba, que foram contidos pelo presidente da Câmara, pois a regra não permite manifestação no plenário.

DISCUSSÃO – A primeira discussão do dia ocorreu após o vereador José Crespo (DEM) criticar a gestão do ex-prefeito Vitor Lippi. “Qualquer coisa não vai ser pior que a administração dos últimos anos.” Logo em seguida, o líder do governo defendeu o antigo prefeito. O pronunciamento do vereador Luís Santos (PMN), de que “carnaval não é prioridade”, gerou opiniões contrárias. “Com o carnaval perde-se uma semana e ainda tem aquele ditado de que o ano só começa após a festa. Se nos quatro dias de desfile o público foi de 80 mil no total, eu represento 520 mil que não foram. Durante os oito anos sem carnaval, a cidade não teve problemas.” Houve quem discordasse dessa opinião, como o vereador Anselmo Neto (PP), que questionou: “O Fundo de Festejos existe desde 2005, por que durante os quatro anos que o senhor esteve aqui, não foi contrário à realização da festa?”. Ainda afirmou não ser justo barrar a verba, afinal, está próximo o evento e muitas escolas já iniciaram os preparativos. 

APROVADO – Com a aprovação da verba, o presidente da Lisobes, coronel Rolim, afirmou que ficou satisfeito e iria tentar a liberação o mais rápido possível. “Temos que correr contra o tempo, pois o dinheiro foi liberado, mas é preciso sair efetivamente.” Ainda afirmou que algumas pessoas defendem a opinião de que o carnaval é um evento particular. “Nós fazemos para a população”, salientou. 

A coordenadora geral da escola de samba “Carinhosa da Nova Esperança”, Daluze Gonçalves, não gostou da declaração do vereador Fernando Dini (PMDB), de que os integrantes das escolas, que assistiram à sessão, precisaram mendigar a verba, devido ao atraso da liberação. “É triste ouvir isso, pois não somos mendigos, somos pessoas trabalhadoras que muitas vezes tiram dinheiro do próprio bolso para bancar documentação para prestar contas, inclusive, à Receita Federal”. 

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar