Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Adolescentes de 17 anos são apreendidos com drogas no Éden

Publicada em 15/01/2013 às 21:30
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Com os garotos havia R$ 250 provenientes das vendas de drogas (Foto: Divulgação/GCM)
Por volta das 22 horas de segunda-feira, a equipe da Ronda Ostensiva Municipal (Romu), da Guarda Civil Municipal (GCM), estava pelo bairro Éden, quando foi abordada por uma moradora indignada com o tráfico de drogas que acontecia na Estrada dos Laureanos. Segundo ela, dois adolescentes, um alto, magro, de blusa azul, e outro baixo, moreno, de bermuda azul florida, revezavam-se na venda  das drogas, que ficavam escondidos no mato.

Diante da denúncia, a equipe seguiu até o endereço citado e ficou a uma distância observando os garotos. Por diversas vezes, eles teriam feito contato com pessoas que ali chegavam de carro, moto, bicicleta e até a pé. A dupla se dirigia até o mato a sua frente e de baixo de um arbusto retirava alguma coisa e a entregava para as pessoas que aguardavam ali.

Mediante a constatação de tráfico de drogas, a equipe resolveu abordar a dupla, identificada como adolescentes de 17 anos, e em revista pessoal encontrou com um deles uma porção de maconha e com o outro, R$ 250. Já no arbusto onde eles foram vistos, havia uma garrafa de plástico azul recheada com 24 pedras de crack, 16 frasconetes de cocaína e sete porções de maconha. 

Os infratores confessaram que estavam vendendo drogas e que o dinheiro apreendido era proveniente das vendas. Os garotos foram encaminhamos ao plantão policial junto com os respectivos responsáveis. Um boletim de ocorrência por ato infracional foi registrado e, em seguida, os dois foram liberados sob o compromisso de comparecer à Vara da Infância e Juventude, quando intimados.


NOVA CÚPULA

Mudanças no trabalho da Polícia Civil devem ser implantadas em poucos dias

O nome dos novos delegados dos Distritos Policiais (DP) e delegacias especializadas da cidade foram revelados pelo diretor do Deinter-7, Júlio Guebert, e serão oficialmente publicados hoje no "Diário Oficial" do Estado (DOE). 

Das onze unidades policiais e quatro delegacias especializadas, em que o diretor havia prometido mudanças, alguns titulares foram mantidos, devido ao bom trabalho que vêm desempenhando. Em poucos dias o novo esquema de trabalho da categoria - focado na melhoria das investigações dos crimes - deve passar a vigorar em toda a cidade e região.

Como já havia sido divulgado na edição de ontem, o primeiro anunciado por Guebert foi Marcelo Carriel, que deixa o 5º DP para assumir a seccional de Sorocaba. Junto dele, atuarão as delegadas Daniela Cavalheiro de Góes e Jaqueline Coutinho, e os delegados Mário Pavoni Silva, João Francisco Ferreira Dias e Marcelo Almagro.

Para o 1º DP, ficou destinado Celso Foramiglio, como titular, e Maria Paula Zaccariotto Van Raij, como assistente. No 2º, 7º e 10º DP, ocupa o cargo de titular José Antônio Belloti, que era assistente na seccional. Ele contará com o auxílio da delegada Larissa Spagnuollo e de Tânia Soares Guarnieri.

Já o delegado Átila Ribeiro assume a chefia do 3º DP (Delegacia do Idoso), ao lado de Sílvio Miguel Vincentin e Marta Ayres Cardum. O 4º e 9º DP são agora responsabilidade de André Moron, antes titular na seccional. Moron terá como assistentes Marcos de Oliveira e Valdereza Camargo Galvão.

José Ordele é o novo titular do 5º DP, junto com Luiz Antônio Lara. E o 6º distrito continuou com Romeu Lara Júnior, como titular. Para o 8º e 11º DP o delegado Guebert nomeou José Augusto Pupin, tendo auxílio de Alexandre Banietti e Maria Cássia Almagro.

A Ciretran, que é 19ª na região, continua com José Olímpio Prette como delegado titular e o assistente Décio de Camargo Madureira. No Grupo Antissequestro (GAS), o titular nomeado é o mesmo que já atuava na função, Wilson Roberto Negrão e seu assistente, Rodrigo Ayres.

ESPECIALIZADAS – Além de manter os titulares do GAS e da Ciretran, Guebert optou em reunião com Carriel por manter José Humberto Urban Filho, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG). Ao lado dele continua o delegado Acácio Aparecido Leite.

Já na Delegacia da Infância e Juventude (Diju), Newton Ribeiro Guimarães ocupa o cargo de titular. Na Delegacia da Mulher (DDM), a nomeada foi Ana Luiza Job de Carvalho Salomone e a assistente Sílvia Elmara Monteiro. E o delegado Robson Lorencetti assume a função de titular na Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise), contando com o auxílio de Basílio César de Sá Cassar.

MUDANÇAS À VISTA – Na manhã de ontem, Carriel conversou com a imprensa na delegacia seccional e falou sobre as mudanças nos trabalhos da Polícia Civil que devem entrar em funcionamento nos próximos dias. De acordo com o diretor, os resultados serão sentidos gradativamente. “Em médio prazo, teremos resultados a mostrar para a sociedade”, frisou.

Carriel enfatizou o reconhecimento dos delegados titulares que foram mantidos em seus postos. Segundo Carriel, foi uma forma de mostrar que eles vêm promovendo um bom trabalho. “Mas mesmo essas delegacias que já tem uma boa equipe receberão mudanças estruturais. Na Dise, por exemplo, iremos reforçar ainda os aparelhamentos e as tecnologias usadas pelos investigadores”, explicou.

Conforme o novo titular da seccional, os dois setores de inteligência da Polícia Civil em Sorocaba, um que funciona no Deinter-7 e outro na seccional, também terão reforços estruturais e de efetivo para que o serviço seja prestado da melhor maneira. “São questões fundamentais para se ter uma investigação aprofundada e que tenha bons resultados.”  

Além de Sorocaba, Guebert prevê mudanças para as delegacias seccionais de Avaré, Botucatu, Itapetininga e Itapeva, as quais o Deinter-7 coordena. 


Chuvas causam estragos em várias cidades do interior de SP 

Estragos causados pelas chuvas desde o final de semana levaram 17 municípios do interior de São Paulo a acionar a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil até a tarde de ontem. Pelo menos 400 pessoas ficaram desabrigadas e recebem assistência das prefeituras. 

Em Itápolis, o Córrego dos Papagaios transbordou e inundou cerca de 80 casas. Seis residências sofreram desabamento parcial e os moradores foram removidos para uma escola municipal. Algumas casas estavam com um metro de água - uma moradora chegou a capturar um peixe da espécie tucunaré em sua sala. Com a chuva da tarde de ontem, o córrego voltou a subir.

Duas casas foram danificadas pelo rompimento de uma galeria em Lins, na região de Bauru. Em Laranjal Paulista, região de Sorocaba, seis famílias estão desabrigadas desde segunda-feira, quando um temporal atingiu a cidade. Dezenas de casas foram inundadas pela enxurrada na rua Treze de Maio, parte baixa da cidade. 

Em Santo Anastácio, na região de Presidente Prudente, as chuvas destruíram pelo menos seis estradas rurais e vicinais. Pontes e aterros foram arrancados pela força das águas. A Estrada Demétrio Antônio Zacarias (SP-029) continuava interditada ontem.

No município de Flórida Paulista, três pontes foram arrancadas. Em Oswaldo Cruz, na mesma região, cerca de 40 famílias tiveram de deixar as casas, atingidas por alagamentos na Vila Esperança. Os moradores foram removidos para um centro comunitário do bairro e casas de parentes. 

Voltou a chover ontem em Capivari, região de Piracicaba, onde cerca de 120 pessoas estão desabrigadas desde domingo em razão do transbordamento do rio Capivari. Trinta casas foram afetadas e duas ruíram parcialmente. As famílias estão sendo atendidas num abrigo municipal.

VOLUNTÁRIOS – Quando a chuva é intensa e o rio Sorocaba começa a encher, no distrito de Americana, em Tatuí, a 145 km de São Paulo, a dona de casa Marlene Aparecida Pires vai às casas dos vizinhos e avisa que está na hora de sair. Rapidamente os moradores pegam o essencial e se dirigem à escola, onde ficam até que as águas baixem. 

Um programa da Defesa Civil da cidade treinou os próprios moradores das áreas de risco para fazer o monitoramento das enchentes. Além do distrito, quatro bairros localizados em áreas ribeirinhas participam do programa. De acordo com o coordenador João Batista Floriano, a ação já evitou prejuízos para os moradores em pelo menos duas enchentes, desde o ano passado. 

A voluntária Selma Longanezi, que passou a integrar o grupo depois de perder quase tudo numa das cheias, acompanha as previsões do tempo e alerta os moradores quando uma frente fria se aproxima. "Hoje, acompanho o nível do rio e sei quando é hora de dar o alarme." Nos períodos secos, o grupo faz um trabalho de conscientização sobre coleta de lixo e outros cuidados ambientais.


DESFECHO DO CRIME 

Justiça condena chefe do tráfico no Habiteto e sua companheira

Toni Silva – O Repórter dos Tribunais

Denúncia anônima pelo telefone (190) da Polícia Militar indicou uma casa onde havia suspeita de tráfico de droga. O relato do denunciante citando inúmeros detalhes levou a polícia acreditar na denúncia, e por esse motivo encaminhou cinco viaturas para a Rua Simão Pereira Eleutério, no Parque São Bento, em Sorocaba. Os policiais cercaram o imóvel e tentaram averiguar a denúncia. Um homem tentou fugir pelos fundos, mas não conseguiu e retornou para o interior da casa. O indivíduo carregava consigo uma mochila. 

Ao ser detido pelos policiais, ele entregou a mochila contendo R$ 11 mil em espécie. No interior do imóvel a polícia encontrou a companheira dele e realizando uma varredura na casa localizou dois tijolos de cocaína no interior do guarda-roupa. A droga pesou um 1,994 kg; também foram apreendidos dois manuscritos com anotações da venda de droga, e declarações de envolvimento do casal com facção. Os tijolos de entorpecente apreendidos poderiam ser transformados em mais de onze mil porções da substância proibida. 

Simone de Souza Pingo e Everton dos Santos Silva, mais conhecido como “Leitão" ou "Tom” (ambos na foto) foram detidos e conduzidos para o Distrito Policial da zona norte da cidade, onde foram autuados em flagrante. A prisão deles foi noticiada pela maioria dos veículos de imprensa de Sorocaba. Leitão foi apontado pelo denunciante como o chefe do tráfico no Conjunto Habitacional Ana Paula Eleutério (antigo Habiteto). A prisão deles ocorreu em 13 de junho de 2012.
 
 
JUSTIÇA DECIDE

O casal foi denunciado por tráfico e associação para o tráfico de droga, com base nos artigos 33 e 35 da lei 11.343/2006. Tanto na delegacia como em juízo, Tom assumiu a propriedade da droga, e tentou livrar a mulher da punição. O representante do Ministério Público solicitou que à Justiça aplicasse pena acima do mínimo legal porque o casal é reincidente, e também pediu que a confissão de Leitão não fosse considerada para reduzir a pena, porque sua confissão foi incompleta. 

A defesa rebateu os argumentos da acusação e pediu que os dois fossem absolvidos. O juiz da 1ª Vara Criminal de Sorocaba, Jayme Walmer de Freitas, acatou os argumentos da Promotoria e decidiu punir os acusados, alegando que ambos já responderam a diversos processos por tráfico de drogas, revelando que fazem desta prática seu meio de vida fácil. O magistrado firma ainda que o laudo químico-toxicológico declarou que os dois tijolos da substância apreendida eram cocaína, e a responsabilidade pela droga não deixa qualquer dúvida. 

Leitão e Simone estão condenados a cumprir 8 anos e 9 meses pela acusação de tráfico, e 5 anos e 3 meses por associação para o tráfico de entorpecente. As duas condenações somam 14 anos de reclusão, no regime inicial fechado. O juiz ainda decretou a perda dos R$ 11 mil.


 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar