Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Projeto ensina alunos da rede municipal a ser empreendedores

Publicada em 22/12/2012 às 00:58
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Os alunos planejaram uma empresa e criaram produtos inovadores (Zaqueu Proença/Secom)
Planejar, projetar, sonhar e empreender. Durante todo o segundo semestre de 2012, essa foi a rotina de um grupo de 275 alunos da EM "Flávio de Souza Nogueira", do Jardim Ferreira, quando não estavam na aula regular. Com a autorização dos pais, os estudantes integraram o piloto do "Projeto Empreendedorismo na Educação", desenvolvido pela Secretaria Municipal da Educação (SES) naquela unidade escolar, em parceria com o Sebrae.

O primeiro passo para a implantação do projeto foi a capacitação dos professores Elaine Cristina Ricci, Josenildo Correia Santos e Giuliano Verga, feita pelo Sebrae-Sorocaba. O projeto foi articulado com as atividades do Programa Pedagogia Empreendedora, aplicado na rede municipal e com as desenvolvidas pelo Sebrae por meio do Jovem Empreendedor e Primeiros Passos.

Os alunos planejaram uma empresa (Plano de Negócios), criaram produtos inovadores como um gerador de energia solar; o Glicograma, que fabrica doces com novos sabores como o wili, com pedaços de kiwi e linhaça como cobertura. Também criaram uma fábrica de sabão ecológico e desenvolveram ações para a realização dos sonhos individuais e coletivos.

Outra atividade marcante para os estudantes foi a visita a uma fábrica de chocolates em Caçapava, no Vale do Paraíba, onde conheceram o funcionamento da produção e o marketing de uma grande empresa. "O curso proporcionou uma experiência financeira com uma dinâmica em grupo, onde as tomadas de decisões são coletivas. Aprenderam a construir uma organização e a pensar no futuro, refletindo sobre as profissões que escolherão", explica Emília Alquezar.

Há 14 anos atuando na rede municipal, Giuliano Verga revelou ter encarado o projeto como um grande desafio, bem diferente do que havia trabalhado até então. O professor Josenildo conta que a receptividade e o interesse dos alunos foram imediatos, com o apoio, inclusive, dos país, já que parte das crianças teriam de permanecer na escola no contraturno das aulas regulares. "Trabalhamos com atividades lúdicas, proposta da pedagogia empreendedora, conciliando com o empreendedorismo de negócio ensinado pelo Sebrae. Foi muito interessante porque não era obrigatória a presença, mas eles participaram ativamente de todas as aulas", revela.

Estudante da 5ª série, Brian de Jesus Delgado Martins, 12 anos, trabalhou num projeto de artesanato a partir de materiais reciclados com outros 10 colegas. O resultado foi um dragão em miniatura, confeccionado totalmente de papelão. "O legal foi descobrir que podemos reutilizar materiais que jogamos no lixo e que podem se transformar em objetos de decoração ou brinquedos", disse.

Nafis Francisco Peres, 14 anos, cursa a 8ª série e trabalhou com os colegas no projeto de um aquecedor solar. Como manda o figurino do bom empreendedor, o primeiro passo foi fazer uma pesquisa de mercado para conhecer a receptividade de um novo produto na praça. "Cada um dos 10 alunos ficou encarregado de pesquisar com três cidadãos do bairro se ele compraria um produto que reduz o custo da energia. A partir daí, partimos para desenvolver o projeto da construção do aquecedor de baixo custo, que usa placas de PVC, tubos e caixa plástica", explica.

Um detalhe interessante é que, além de autorizar os filhos a participar do projeto, diversos pais também integraram as atividades. Rosana Delgado Martins, mãe de Brian, foi uma colaboradora dos estudantes e classificou a experiência como uma das mais positivas. "Foi muito importante, porque nesta fase da escola os adolescentes já começam a se preocupar com a profissão que irão seguir e este curso trouxe novas perspectivas para eles", disse.


Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar