Quinta-Feira, 14 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< DIG identifica um dos autores do primeiro incêndio a ônibus Mesmo com mandado de prisão preventiva, o rapaz de 19 anos segue foragido

Publicada em 01/12/2012 às 19:31
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Os representantes da segurança da cidade destacaram a união das forças nestes casos (Foto: Fernando Rezende)
Uma semana depois do primeiro caso de ataque a ônibus municipal na cidade, a Polícia Civil conseguiu identificar um dos autores que aparecem nas imagens gravadas pelas câmeras de segurança do veículo. Pablo Henrique Dias Gomes é suspeito de integrar o quarteto que agiu na sexta-feira (23), no Jardim Bonsucesso. Conforme a polícia, o grupo é suspeito de ter incendiado ainda o coletivo da avenida Itavuvu e o de Votorantim. 

A identidade do rapaz foi divulgada ontem pela manhã durante entrevista coletiva na Delegacia de Investigações Gerais (DIG), onde estiveram reunidos José Humberto Urban Filho, chefe da delegacia; o delegado da seccional de Sorocaba, André Moron; o comandante da Guarda Civil Municipal (GCM), Carlos Eduardo Paschoini; o delegado interino do 7º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM/I), major Sérgio Ricardo Borges; e o responsável pela Secretaria de Segurança Comunitária (Sesco), coronel Roberto Montgomery Soares.

Em ação conjunta, essas equipes conseguiram chegar até Gomes, que foi denunciado depois que as imagens feitas pelo sistema de monitoramento do primeiro ônibus queimado foram divulgadas. O rapaz é morador do Parque Vitória Régia e, de acordo com a polícia, os ataques ocorrem na zona norte da cidade devido à logística de ataque e fuga para os autores. 

De acordo com Urban, muitas denúncias foram feitas apontando o rapaz como participante da ação criminosa. Porém, mesmo identificado, Gomes segue foragido e está sendo procurado pela polícia, que já possui um mandado de prisão preventiva contra ele. Ainda de acordo com o delegado da DIG, nos próximos dias outros dois integrantes do grupo deverão ser reconhecidos e detidos, pois os investigadores já possuem pistas concretas sobre o paradeiro deles.

Conforme apuração dos policiais, Gomes já cometeu diversos delitos enquanto adolescente, como roubo a residência e veículo, em 2008 no Jardim Ana Maria; e tráfico de entorpecente, em 2011 no bairro em que reside. Ele chegou a ser recolhido à Fundação Casa de Franco da Rocha, mas, após sair, em 2011, cometeu outras ocorrências como dano, desacato, agressão, ameaça e motim. Já maior de idade, em junho passado, foi autuado por porte de entorpecentes, mas não ficou preso. 

Para o delegado Urban, Gomes pode ser integrante ainda de uma organização criminosa, que conheceu enquanto esteve na Fundação Casa. “A polícia não descarta essa hipótese”, afirmou. O rapaz pode ter sido responsável ainda pelo ataque ao ônibus na avenida Itavuvu, no domingo (25), e ao de Votorantim, na quarta-feira (28), devido às descrições físicas. Já quanto aos veículos incendiados na garagem da empresa TCS, na noite de segunda-feira (26), o delegado acredita que seja um caso separado.

BOATOS E PÂNICO – Para o delegado da seccional, André Moron, Gomes e seu bando quiseram causar pânico à sociedade ateando fogo no veículo. “Eles quiseram mostrar um poder que não têm.” Conforme a autoridade, antes de atacar o ônibus, o rapaz saiu pelo bairro avisando o que estava prestes a fazer. “A intenção deles é aterrorizar a população”, garantiu.

Diante disso, Moron ressaltou a importância de a população não acreditar em qualquer boato e, ao invés de entrar em pânico, devem ligar para a polícia e confirmar o que ouviram dizer. “Temos vários meios de a população nos contatar para tirar dúvidas e fazer denúncias. É em vão entrar em pânico por qualquer boato.” 

Quem tiver informações pode fazer uma denúncia pelo Disque-Denúncia, discando o número 181, ou pelo 190 (para casos de emergências) e também pelo 197, da Polícia Civil. Para as autoridades, a população teve importante papel na identificação de Gomes, assim como está tendo na dos outros indivíduos. “Com a contribuição da população, ligando e denunciado, as medidas têm sido eficazes. É importante dizer que nós não vamos recuar em nenhum minuto e que não vamos deixar a violência se instalar em Sorocaba.”
 
 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar