Sábado, 19 de Outubro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Estreias nos cinemas contemplam criançada Versão em 3D da animação “Procurando Nemo” e “Cocoricó - Conta Clássicos” são opções para os pequenos neste Dia das Crianças; “A entidade” e “Os intocáveis” também entram em cartaz

Publicada em 12/10/2012 às 00:42
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Versão em 3D de “Procurando Nemo”: uma das estreias de hoje (Foto: Divulgação)
Um dos sucessos da programação infantil da TV Cultura, “Cocoricó” volta novamente aos cinemas nesta sexta-feira, 12, no filme “Cocoricó - Conta Clássicos”, produção especial para o Dia das Crianças. Também direcionada aos pequenos, chega às telas hoje a versão em 3D da animação “Procurando Nemo”. Já os marmanjões poderão conferir o terror “A entidade” e o drama “Intocáveis”.  

Como o próprio nome revela, os personagens de “Cocoricó – Conta Clássicos” interpretam os clássicos do cinema “O Corcunda de Notre Dame”, “Rapunzel”, “A Cigarra e a Formiga”, “A Bela e A Fera” e “O Flautista de Hamelin”, transformando cenários como o paiol em diferentes adaptações para os contos infantis. O longa-metragem promete uma experiência audiovisual rica e diferente. "Como na história da ‘Bela e a Fera’, em que o Júlio fará um príncipe do mal. Acho bem interessante, porque quem pode imaginá-lo sendo assim? Acabamos fazendo uma crítica e brincando com isso", conta o diretor Fernando Gomes, que na trama manipula os personagens Júlio, Vovô e Roto.
 
Além da ambientação no universo da fazenda, a produção também busca atrair e cativar o público pelo bom humor nos diálogos e adaptações dos nomes das obras originais, que no filme foram rebatizadas para “Cocoricunda de Notre Dame”, “Rapunzilica”, “Os Cigarras e As Formigas”, “Belalilica e Ditofera” e “O Gaitista de Quixeramobim”. 

Já a nova versão de “Procurando Nemo” não altera em nada a história original, que fala de Marlin, um peixe-palhaço que perde quase toda a família durante o ataque de um predador, e assim, torna-se um pai super-protetor de seu único filho, Nemo. O problema é que tanta proteção acaba envergonhando o peixinho na frente dos colegas, e, para provar ao pai que pode se virar sozinho, resolve nadar em mar aberto, quando é capturado por um mergulhador e levado para Sydney. Decidido a encontrá-lo, Marlin nada por todo o oceano, enfrentando todo tipo de perigo ao lado de Dory, um peixinho-fêmea muito simpático, mas com um grave problema de perda de memória recente.

‘A ENTIDADE’ - Dos mesmos produtores da exaustiva franquia “Atividade Paranormal”, “A Entidade”, felizmente, não é um “mockumentary”, falsos documentários que querem levar o público a acreditar que o retratado realmente ocorreu. A fórmula desgastada e suas imagens propositalmente sujas e sacudidas não se aplicam neste filme, o que soa como alívio.

“A Entidade” começa bem, buscando o medo do espectador por sua história obscura e pelo poder de sugestão de algumas imagens. A primeira cena é sinistra o suficiente para incomodar e suscitar dúvidas. Simulando uma gravação em Super 8, nela aparecem três pessoas sob uma árvore com as mãos atadas às costas, sacos cobrindo a cabeça, e prestes a serem enforcadas. Alguém, que não se pode ver, serra um galho lentamente até que ele tomba e ergue os infelizes do chão. Eles se debatem inutilmente enquanto são asfixiados. 

Ainda impressionados com a cena, os espectadores são transportados para os dias atuais, com a história de uma família de mudança para uma nova casa. Ellison (Ethan Hawk) é um romancista famoso que escreve sobre crimes reais. Logo descobre que a casa para onde está se mudando com a mulher Tracy (Juliet Rylance) e seus dois filhos, Ashley (Clare Foley) e Trevor (Michael Hall D'Addario) foi o cenário do crime do início do filme. 

‘INTOCÁVEIS’ - Muitos são os temas tratados em “Intocáveis”, que surpreendeu o mercado francês em 2011 ao se transformar na segunda maior bilheteria de todos os tempos no país. O filme fala de felicidade, compaixão, limitações, perdas, amor e diferenças raciais e econômicas na França do século XXI. Aborda assuntos comuns à vida de forma direta e sem divagações desnecessárias. Seus diretores, Olivier Nakache e Éric Toledano, recaem no lugar-comum algumas vezes, são simplistas outras tantas, mas levam ao público um filme honesto sobre as complexidades da vida.

A trama conta a história de Philippe (François Cluzet), colecionador de artes que ficou tetraplégico após um acidente. Ele contrata como seu cuidador um rapaz senegalês, Driss (Omar Sy), porque este chama sua atenção na entrevista de emprego por seu jeito arredio e sua total ausência de piedade pelo homem prostrado imóvel em sua cadeira de rodas. Driss, na verdade, nem pensava em ser contratado, queria apenas que assinassem um atestado para que continuasse recebendo o salário-desemprego do governo. Previsivelmente (e a previsibilidade aqui não chega a ser um problema) estabelece-se uma relação improvável, mas totalmente compreensível, entre os dois.


Espetáculo ‘É só uma formalidade’ tem sessão neste sábado no Teatro do Sesi

A companhia Quatroloscinco Teatro do Comum apresenta neste sábado, dia 13, às 20 horas, a peça “É só uma formalidade”, no Teatro do Sesi Sorocaba. A montagem foi selecionada para compor a programação itinerante da segunda temporada do Viagem Teatral 2012. A entrada é gratuita. 

Ao receber a notícia da morte do pai, um homem é obrigado a retornar ao seu passado e enfrentar suas próprias frustrações. Enquanto isso, um casal acaba de mudar-se e entre caixas, cheiros e um pedido de divórcio velado, a mulher espera que o marido se lembre do aniversário de casamento. 

O texto é uma criação coletiva do grupo, que uniu em uma única história as experiências pessoais de cada integrante. Às experiências encenadas, somam-se passagens ficcionais que geram dúvidas sobre o que realmente foi vivido e o que a imaginação criou. As expectativas e aflições de cada personagem, assim como a interação entre eles são encenadas em um cenário pulcro, criado para intensificar a importância do diálogo sobre o ambiente, onde cada um dos poucos objetos dispostos é utilizado para auxiliar os atores durante a apresentação. A trilha sonora é executada pelos próprios atores que usam o piano eletrônico situado em cena para compor momentos tensos, acrescentando a eles sentimentos. 

Tanto a escolha do tema como a construção da narrativa foram livremente inspiradas no texto “Solo los giles mueren de amor”, do argentino Cesar Brie, que conta a história de um espírito que recorda a sua vida ao ver seu corpo morto. 

SERVIÇO - Os ingressos serão distribuídos gratuitamente uma hora antes do início da apresentação. O Teatro do Sesi se localiza na Rua Gustavo Teixeira, s/nº, Mangal. Mais informações pelo telefone 3388-0440/3388-0458


Peça ‘As Três Mulheres Sabidas’ diverte pequeninos nesta sexta

O espetáculo infantil “As Três Mulheres Sabidas”, da Cia. Dedo de Prosa, será apresentado no Teatro do Sesc Sorocaba nesta sexta-feira (12) e no domingo (14), às 11 horas. A peça é baseada nos contos clássicos britânicos “A pobretona que virou rainha”, “O gentil homem de Wastness” e “O touro negro de Norroway”. 

A releitura feita pela companhia conta a saga de três mulheres determinadas que passam por diversas dificuldades. Neste espetáculo, criado a partir de três contos de fadas da tradição oral britânica, as protagonistas são mulheres sabidas que figuram como heroínas e, diferentemente das donzelas indefesas que geralmente estão nos contos de fadas, utilizam o poder da sabedoria feminina para enfrentar monstros, bruxas e outros desafios que aparecem no caminho. 

O espetáculo “As Três Mulheres Sabidas”, com direção de André Garolli e Luciana Viacava, alinha essas histórias inusitadas de modo a recriar um universo lúdico e fantástico. A peça tem no elenco Dinah Feldman, Fernanda Viacava e Priscilla Herrerias.
 
Ingressos: R$ 4 (inteira), R$ 2 (usuário inscrito no Sesc e dependentes, maiores de 60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes com comprovante), R$ 1 (trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculados no Sesc e dependentes). Detalhes pelo telefone 3332-9933

 
AGENDA

‘É NÓIS NA XITA!’ - O espetáculo circense “É Nois na Xita!”, do Grupo Namakaca, é apresentado na Área de Convivência do Sesc Sorocaba nesta sexta-feira (12), às 14 horas. Voltada ao público infantil, a peça conta a história dos palhaços Cara de Pau, Montanha e Cafi, que disputam os aplausos do público. A entrada é gratuita e livre para todos os públicos. O Sesc fica na Rua Barão de Piratininga, 555, Jardim Faculdade.

INEZITA BARROSO - A Companhia Tempo de Brincar recebe a cantora Inezita Barroso para apresentação no Teatro do Sesc nesta sexta-feira (12) e sábado (13), às 18 horas. O espetáculo, que celebra canções populares e ritmos brasileiros, integra o projeto “Ô de Casa” do Sesc, no qual um grupo de Sorocaba ou da região recebe um artista de renome que inspira seu trabalho. Os ingressos estão esgotados. 

OFICINA DE CARTÕES-POSTAIS - Ainda há vagas para os interessados em participar da atividade “Postagens de Sorocaba”, promovida pelo Sesc nesta sexta-feira (12), às 14 horas. Na atração, os participantes criarão cartões-postais após um passeio pelo bairro Jardim Faculdade. O público poderá, ainda, fazer anotações, desenhos e até mesmo tirar fotos. Os inscritos serão acompanhados por um guia turístico e pela arte-educadora Larissa Glebova. A participação é gratuita. Informações pelo telefone 3332-9933

‘BUMBA-MEU-BOI’ - O espetáculo “Bumba-Meu-Boi”, do Grupo Cupuaçu, será reapresentado na Área de Convivência do Sesc Sorocaba nesta sexta-feira (12), às 15 horas. A encenação, que propõe bastante interatividade com o público, tem entrada franca e é livre para todas as idades. “Bumba-meu-boi” conta a saga de um boi que encantou a personagem Catirina. Os retirantes, representados por Mãe Catirina e Pai Francisco, tentam negociar a compra do boi, mas o dono da fazenda diz que ele não está à venda. 

OFICINA DE ARTES - Nesta sexta (12), sábado (13) e domingo (14), das 15 às 16h30, na Oficina do Sesc Sorocaba, os inscritos na atividade “Pixilação” vão produzir fotografias que representam movimentos, como correr, ajoelhar e caminhar. Eles terão à disposição fantasias que poderão ser usadas para a composição das cenas. A melhor sequência de fotos será escolhida para produção de uma animação. As inscrições, gratuitas, devem ser feitas na Central de Atendimento do Sesc. Detalhes pelo 3332-9933

PERFORMANCE DE DANÇA - A intervenção artística “Corpos de Passagem”, do coletivo GRUA (Gentleman de Rua) será apresentada no Sesc Sorocaba neste sábado (13) e domingo (14), em diversos horários e espaços da unidade. É uma performance que une dança contemporânea com elementos de capoeira, street dance, parkour e outras formas de expressão artística.

‘HISTÓRIA DO DITO HISTORIADÔ’ - Com apoio da Lei de Incentivo à Cultura de Sorocaba (Linc), a Cia. Barracão da Vó apresenta nesta sexta-feira (12), às 21 horas, e no sábado (13) e domingo (14), às 20 horas, o espetáculo “História do Dito Historiadô”, no Auditório Pedro Salomão José, que fica na Avenida Eugênio Salerno, 298. Os ingressos, gratuitos, serão distribuídos no local. O texto escrito pela atriz e dramaturga Ivone Aparecida Martins é uma comédia fictícia, baseada nos costumes e tradições da vida caipira paulista, mais precisamente, do caipira sorocabano do final do séc. XIX e início do séc. XX. Conta a história de um moço simples, da roça, analfabeto, mas que nutria grande vontade de aprender a ler e escrever. Assim, dedicou-se com afinco aos estudos, sonhando ir para a capital tornar-se escritor e, quem sabe, artista de rádio, tal era sua paixão por fatos históricos, lendas, poesias e outros gêneros.

  

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar