Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Auditores fiscais não aceitam proposta apresentada pelo Governo Cargas vivas, medicamentos e produtos perecíveis são liberados normalmente

Publicada em 24/08/2012 às 21:01
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

MARCUS VINICIUS DANTAS, diretor do Sindifisco: “Estaremos fora da repartição, mas respeitando o efetivo de 30% trabalhando, conforme rege a lei” (Foto: Arquivo DS/Fernando Rezende)
“O impasse continua!” Foi como Marcus Vinicius Dantas, diretor do Sindifisco (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal), definiu a situação dos auditores fiscais. Em mobilização há aproximadamente três meses, os servidores federais pedem o reajuste de salário calculando a reposição inflacionária de quatro anos. 

Os auditores não concordaram com a proposta do governo oferecida na sexta-feira da semana passada de 15% dividida em três anos, ou seja, aumento de 5% anual. “Em dois dias de assembléia, que acabou ontem, 99% dos auditores não aceitaram a proposta do representante do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça.”

Segundo Dantas, a proposta é absurda e se o aumento fosse definido hoje seria de 20,2%. A medida adotada pelos servidores é continuar com a operação padrão e nos dias 28 e 29 – próxima terça e quarta-feira – haverá a greve clássica. “Estaremos fora da repartição, mas respeitando o efetivo de 30% trabalhando, conforme rege a lei.”

Na Receita Federal praticamente todas as atividades serão prejudicadas. “Análise de malha e processo de isenção de IPI não estão sendo feitas.” Já o impacto maior é nos portos e aeroportos do País. “Quase tudo estará parado. Mas é bom enfatizar que cargas vivas, medicamentos e produtos perecíveis são liberados normalmente.” Jornais estrangeiros e urnas funerárias são considerados cargas de produtos perecíveis e não sofrem nenhum tipo de atraso. “O restante está sendo retardado”, afirmou Dantas. 

O Governo convocou uma nova reunião na próxima semana, mas sem data definida. 

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar