Sábado, 30 de Maio de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< IntegraBike já conta com mais de 100 cadastrados

Publicada em 19/05/2012 às 04:52
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

O professor Rodrigo César Gomes comenta o novo sistema: “Eu moro na periferia e lamento por não ter mais estações nesses locais” (Foto: Fernando Rezende)
Na manhã de ontem foi inaugurado oficialmente o IntegraBike, programa da Prefeitura que empresta bicicletas aos cidadãos sorocabanos. Na cerimônia de inauguração, na praça Coronel Fernando Prestes, Centro, compareceram vereadores, secretários e o prefeito Vitor Lippi, que roubou a cena em um look esportista, vestido com o uniforme do Pedala Sorocaba e calçando tênis. 

Segundo o presidente da Urbes, Renato Gianolla, o programa tinha até ontem pela manhã pouco mais de 100 pessoas cadastradas no sistema. “A idéia é atender à mobilidade urbana, fazendo integração com o transporte coletivo”, disse. Para Gianolla, o sistema adotado na cidade é diferenciado e único. “Há em algumas cidades do mundo, mas só em Sorocaba é gratuito”, lembrando o lema da campanha publicitária - “Paris tem, Londres tem, Rio tem, Sorocaba tem de graça”. 

Gianolla informa que com as 120 bikes públicas nas ruas pretende ampliar as ciclovias, atingindo um total de 100 quilômetros na cidade, além da implantação de ciclofaixas. O secretário informou também que até o segundo semestre as obras para interligar as ciclovias será iniciada. “Um dos locais para interligação é entre o Campolim e a avenida Washington Luiz”, afirmou.

Em seu discurso, o prefeito Vitor Lippi destacou as atividades que fazem de Sorocaba uma cidade sustentável e educadora. Disse que é um projeto inovador para a cidade, pois somente em Sorocaba o sistema é de empréstimo e não de aluguel, portanto totalmente gratuito. O prefeito falou ainda que os primeiros meses serão de avaliação. “Precisaremos de algum tempo para ajustar e avaliar a demanda; saber se o número de estações e bicicletas estão sendo compatíveis com a procura”, diz. Apesar dos ajustes, Lippi considera um projeto que se vê resultados a longo prazo. “Esse é um bom caminho para o futuro”, disse. Para ele, o destaque é da mobilidade sustentável, atos que qualquer cidadão pode fazer para melhorar o planeta. “Devemos pensar globalmente e agir localmente”, disse. 

Para Ângelo Leite, presidente da empresa Serttel, responsável pela operação e administração do sistema das bicicletas públicas, o projeto é um sonho sendo realizado. “Trazer a cultura de andar de bicicleta; reduzir congestionamento e poluição ambiental é um passo muito importante.” 

Vereadores e o prefeito percorreram um trajeto pequeno, montado na praça central para inaugurar o sistema. “A bicicleta é de ótima qualidade. Tem o banco macio, não é muito alta e segura”, comentou Lippi. 

Para o professor Rodrigo César Gomes, as bicicletas públicas são uma ótima iniciativa, mas sugere melhorias. “Eu moro na periferia e lamento por não ter mais estações nesses locais.” Ele comentou que certamente fará o cadastro, e que utilizará o meio para resolver pendências no Centro da cidade. Ele confessa que há muito tempo não anda de bicicleta, mas que com tal facilidade essa rotina pode mudar. “Pretendo usar pelo menos uma vez por semana”, fala.  
O gerente de loja, Aristóteles Pantojo, diz que vai se cadastrar e chamar a esposa para também se tornar usuária do sistema de bicicletas públicas. “Eu moro próximo da estação Nove de Julho. Será uma opção de sair da rotina e usar mais este meio de transporte”, afirmou. A expectativa da Urbes é de que cada bike seja utilizada ao menos três vezes no dia.  

COMO FUNCIONA - Para emprestar as bikes é necessário ter mais de 18 anos, possuir um cadastro válido, que pode ser feito nas cinco Casas do Cidadão e na Central de Atendimento no Terminal São Paulo. Para se cadastrar é necessário levar um documento com foto como identidade, carteira profissional ou CNH. É preciso que o usuário conheça e respeite as regras de circulação de trânsito; que possua um dos cartões válidos do transporte coletivo (vale-transporte, cidadão, estudante, sênior e outros). 

Para a bicicleta ser liberada deve-se aproximar o cartão do transporte no leitor digital, e o sistema vai liberar o equipamento. O tempo de uso é de uma hora. Esse tempo pode ser renovado, com a condição de se devolver no tempo determinando, aguardando 15 minutos. Após essa pausa pode-se emprestar novamente. 

Caso o usuário não devolva no prazo permitido, estará sujeito a penalidades. Entre uma e duas horas: dois dias úteis de suspensão e necessidade de novo cadastramento, pagando uma multa de R$ 5; entre duas e três horas: cinco duas úteis de suspensão, fazer novo cadastro e pagar o valor de R$ 10. Para quem ultrapassar mais de três horas será aplicada a sanção de 20 dias úteis de suspensão e necessidade de novo cadastramento, mais multa aplicada no valor de R$ 30. 

O usuário que eventualmente for roubado deve apresentar o boletim de ocorrência policial na Central de Atendimento ao Usuário em 24 horas. Se o documento não for apresentado, o ciclista está sujeito a ressarcir ao Integrabike o valor correspondente ao da compra de uma nova bicicleta, cujo valor é de R$ 1.350. 

A Urbes orienta o ciclista a usar equipamentos de segurança, em especial o capacete; não usar fones de ouvido e telefone celular enquanto estiver conduzindo a bicicleta. As estações funcionarão das 6 até às 22 horas. 
 
  
  
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar