Sexta-Feira, 5 de Junho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Recepcionista sofre queda e vai processar Prefeitura

Publicada em 18/05/2012 às 01:55
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Michele Viana Backz passou por uma cirurgia na tarde de ontem (Foto: Fernando Rezende)
A recepcionista Michele Viana Backz, 28 anos, deve processar a Prefeitura de Sorocaba pelo acidente que resultou na fratura do seu tornozelo esquerdo. Na noite do último sábado (12), Michele estava caminhando, com seu filho de quatro anos nos braços, pela rua Projetada I, no Jardim São Marcos, quando pisou em um buraco, caindo junto com a criança; felizmente o garoto nada sofreu, mas a jovem fraturou o membro inferior esquerdo. 

A recepcionista conta que, por diversas vezes, o asfalto foi solicitado para o endereço, mas sem sucesso. Até o momento obras terminaram a guia, mas o asfalto ainda é esperado. Para amenizar o problema, a Prefeitura joga terra e pedrisco, mas com a chuva os buracos aparecem. O marido da recepcionista irá procurar assistência jurídica gratuita, pois não tem recursos para pagar um profissional, e assim abrir um processo contra a Prefeitura. 

Levada a um hospital particular na noite da queda, Michele precisou esperar atendimento de um médico especialista em ortopedia, que a atendeu apenas no outro dia de manhã. O médico constatou que o caso era grave e a moça precisava passar por uma cirurgia para a colocação de pinos, placa e parafusos. Na tarde de domingo, o marido de Michele, Alex, abriu um boletim de ocorrência na Delegacia Seccional sob o número 5526/2012. 

A jovem passou por uma cirurgia na tarde de ontem. Como ela está sob atestado médico e com a cirurgia ficará mais tempo em repouso, a recepcionista deverá entrar no INSS. “Eu vou ter que ficar encostada por um tempo, agora eu não sei como vai ser minha vida. Às vezes, o benefício demora a sair e minhas contas vão ficar atrasadas. Tenho medo de perder meu emprego, também”, desabafou. 

Michele, que está hospedada na casa da sogra provisoriamente, diz que não sabe como será sua rotina nos próximos dias. “Eu não posso voltar para a minha casa porque lá tem escada com vários degraus. Vou ficar na casa da minha sogra até me recuperar”, conta. Ela diz que para tudo precisa da ajuda de alguém. “Para me locomover e tomar banho preciso de ajuda. Meu marido trabalha e minha mãe é deficiente”, fala. A família vai esperar Michele sair do hospital para tomar as providências necessárias. 
 
 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar