Sábado, 30 de Maio de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Trem de passageiros entre Sorocaba e São Paulo deve estar pronto em 2018 O edital do projeto básico-executivo sai até dezembro

Publicada em 18/05/2012 às 01:50
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Em Sorocaba, estão previstas duas estações - uma delas na antiga estação da Estrada de Ferro Sorocabana (Foto: Fernando Rezende)
Em audiência com os deputados estaduais Maria Lúcia Cardoso Amary (PSDB), Carlos César (PSC) e Hamilton Pereira (PT), o secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, informou que o trem regional de passageiros, entre Sorocaba e São Paulo, deve começar a funcionar em 2018. “Mas a intenção do Governo é encurtar esses prazos”, afirmou o secretário. O edital do projeto básico-executivo ficará pronto em dezembro deste ano.  

Na reunião, realizada na manhã de ontem, foi apresentada aos parlamentares uma prévia do projeto funcional, onde estão sendo detalhadas questões ambientais, de demanda, análise econômica e traçado, que deverá ser concluído entre o final de julho e início de agosto deste ano. 

“Concluído o projeto funcional, faremos uma audiência pública para debatê-lo com a sociedade, o que deve ocorrer por volta do mês de setembro”, explicou o presidente da CPTM, Mário Bandeira. 

Segundo Mário, a elaboração do projeto executivo deve durar 24 meses, enquanto a execução das obras, avaliadas em R$ 6 bilhões, deve durar cerca de 36 meses. A previsão é de que o material rodante e a operação da linha sejam viabilizados através de PPP (Parceria Público-Privada). O presidente da CPTM explicou que o projeto funcional está sendo discutido com a Prefeitura de Sorocaba, que indicará as diretrizes para o projeto executivo.

O trem deverá percorrer os 92 km entre Sorocaba e São Paulo a uma velocidade média de 120 quilômetros por hora - a velocidade máxima ficará em torno de 160 a 180 quilômetros por hora. Em Sorocaba, estão previstas duas estações, uma delas na antiga estação da EFS (Estrada de Ferro Sorocabana), cuja concretização dependerá de uma negociação com a ALL (América Latina Logística), responsável pela linha naquele trecho.

“A outra estação será no bairro de Brigadeiro Tobias para atender às pessoas que vêm de outras cidades”, explicou o secretário. “Nessa estação também ficará a oficina do trem e haverá todo um complexo comercial e de estacionamento para atender ao público”, completou. A CPTM também está fazendo um levantamento da demanda que indicará a instalação, ou não, de um ponto de parada em São Roque.

Segundo os técnicos, a linha atual não poderá ser utilizada para o trem de passageiros, por ter sido projetada para uma velocidade menor e, portanto, ter raios de curvas menores. O diretor de planejamento da CPTM, Silvestre Eduardo, explicou que haverá o compartilhamento da faixa de domínio da estrada de ferro, porém não da via.

Parte do traçado também vai margear a rodovia Castello Branco. Alguns trechos vão necessitar de desapropriação e as áreas de preservação ambiental não serão tocadas.

CAPACIDADE - O trem terá capacidade para 600 passageiros sentados atendendo a um público de 20 mil usuários por dia e deverá ser percorrido em 40 minutos. Os parlamentares de Sorocaba destacaram a importância de o projeto ser debatido na cidade, no próximo dia 28, durante a audiência pública da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Metropolitano, que debaterá o desenvolvimento regional e a criação do aglomerado urbano de Sorocaba.

“Esse é um projeto que só traz benefícios para a região e para o Estado de São Paulo, diante das vantagens de economia de tempo para os usuários, preservação de recursos naturais e desafogamento do trânsito nas rodovias”, avaliou Hamilton Pereira.

Já a deputada Maria Lúcia disse: “Esse é um projeto fantástico que deve ser abraçado por toda a sociedade. O Estado de São Paulo, mais uma vez, desponta como pioneiro no resgate ao transporte ferroviário, acompanhando países europeus. Sorocaba, uma cidade que está a todo ‘vapor’, deixará de ter como via de transporte único a rodovia, o que facilitará o turismo de negócios e a locomoção dos trabalhadores”.

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar