Sexta-Feira, 5 de Junho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Poupador sairá prejudicado com as novas regras de remuneração

Publicada em 04/05/2012 às 23:46
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Com a alteração, o piso histórico de remuneração da poupança, de pelo menos 6% ao ano, assegurada desde 1861, poderá cair nos próximos meses (Foto: Fernando Rezende)
As novas regras de remuneração da poupança começaram a valer ontem, depois de anúncio feito pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, na última quinta-feira. O doutor em economia Alexander Itria afirma que investidores sairão prejudicado.

“Apesar de o Governo dizer que não, sairá [prejudicado] sim, pois muitos poupadores possuem contas vinculadas com a conta corrente, sendo que quando necessário acabarão utilizando o volume de estoque de dinheiro de datas mais antigas que possuíam a melhor rentabilidade”, afirma o economista. 

Segundo a nova resolução, quando a taxa básica de juros for de 8,5% ao ano ou menor, o rendimento da caderneta será fixado em 70% da taxa Selic. A mudança começou a valer para os depósitos realizados a partir da data de ontem. 

Com a alteração, o piso histórico de remuneração da poupança, de pelo menos 6% ao ano, que é assegurada desde 1861, poderá cair nos próximos meses, já que há uma tendência de queda na taxa de juros, hoje em 9% ao ano. Desde 1991, durante o governo Collor, a poupança rende ao menos 0,5% ao mês (6,17% ao ano), mais a Taxa Referencial (TR). “Enquanto ela estiver a 9% ao ano, não muda nada. O rendimento da poupança só cai se o Banco Central voltar a baixar os juros. E ainda assim o impacto não deve ser grande no final das contas”, diz itria.

Para o economista, a poupança ainda é uma modalidade segura, porém cada vez menos ela estará protegendo o dinheiro contra a inflação. Na opinião de Itria, o Governo reduziu a rentabilidade da poupança alegando que ela puxava os juros para o alto, entretanto não modificou o sistema de amortização de juros dos bancos, que, desde a época de inflação alta, utiliza o sistema de juros compostos (famoso juros sobre juros) ao invés de juros simples. “Também não criou mecanismos para aumentar a quantidade de bancos e de concorrência para, enfim, gerar menores juros para o público”, explica. 

Saiba o que muda nos rendimentos da poupança 

- A mudança vale para novos depósitos e novas contas; 
- A poupança passa a render menos caso a taxa Selic seja menor ou igual a 8,5%. Quando isso ocorrer, as novas cadernetas de poupança e depósitos terão seus rendimentos calculados com base de 70% da Selic, mais TR; 
- O poupador que já tem uma caderneta e for fazer um depósito deverá abrir uma “nova poupança”; 
- Os saques serão feitos do “dinheiro novo” prioritariamente, ou seja, do que foi depositado após a mudança das regras. O “dinheiro antigo” só sai da caderneta se o novo não for suficiente.

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar