Sexta-Feira, 5 de Junho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Alegria e emoção marcam missa pelos 70 anos de sacerdócio do padre Lyrio

Publicada em 04/05/2012 às 00:52
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Padre Lyrio, ao centro, completou 70 anos de sacerdócio
Certamente, foi a primeira vez em toda a sua história que a igreja da Catedral Metropolitana de Nossa Senhora da Ponte acolheu, ontem pela manhã, a celebração de uma missa de ação de graças pela passagem do 70º aniversário de ordenação sacerdotal de um integrante do clero de Sorocaba. E muita alegria e emoção marcaram a solene concelebração eucarística iniciada pontualmente às 8h30 na mesma data em que ali, setenta anos atrás, em 1942, o estimado padre Francisco Lyrio de Almeida (que no dia 25 de abril, quinta-feira passada, completou 95 anos de idade) recebia sua ordenação presbiterial pela imposição das mãos episcopais de dom José Carlos de Campos Aguirre, nosso santo primeiro bispo diocesano. Nem ele, aliás, apesar de governar a Igreja Particular de Sorocaba por 49 longos anos teve a felicidade de chegar a seus 70 anos de sacerdócio (ordenado padre a 8 de dezembro de 1904, faleceu a 8 de janeiro de 1973).

O arcebispo metropolitano de Sorocaba, dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues; o bispo emérito da Diocese de Araçatuba, o sorocabano e seu ex-aluno no Seminário Diocesano “São Carlos Borromeu”, dom José Carlos Castanho de Almeida; e dezenas de sacerdotes da cidade e da região, muitos deles também ex-alunos do jubilando e com muitas histórias para contar, concelebraram com padre Lyrio sua missa gratulatória na data dos 70 anos de sua entrega total a Deus. Motivo de júbilo para todos, como destacava logo no início da missa o arcebispo metropolitano dom Eduardo Benes, lembrando ainda a ocorrência no dia anterior do trigésimo aniversário de ordenação episcopal de dom Castanho, então pároco da Catedral de Sorocaba, e também ontem, 3 de maio, do terceiro aniversário de ordenação sacerdotal dos jovens padres Aroldo Fernando Turino, Claudinei Pantojo, Fausto Culbert, José Amaro da Silva, Ricardo Cirino Vaz, Washington Pascoal Ribeiro e Willian de Almeida. Os sete presentes e aos quais o arcebispo exortou a, imitando a perseverança, fé, dedicação pastoral e fidelidade à Igreja e ao ministério consagrado assumido presentes na vida de padre Lyrio, também chegar aos 70 anos de sacerdócio. “Embora muitos de nós hoje aqui presentes não mais possamos a isso testemunhar no futuro...”. 

A Câmara Municipal de Sorocaba, no início da missa, representada pelo vereador Paulo Francisco Mendes, também entregou placa a padre Lyrio pelos seus 70 anos de sacerdócio, com base em requerimento de congratulações de autoria do próprio Paulo Mendes aprovado por unanimidade em seu Plenário na semana passada. O padre Tadeu Rocha Moraes, pároco da Catedral Metropolitana, também destacou aspectos interessantes da biografia de padre Lyrio, que hoje o tem como pároco – celebra a missa dominical às 8 horas na Sé e também preside missa diária às 8h30, de segunda a sábado, na igreja de Santa Cruz, igualmente integrante do território paroquial da Catedral Metropolitana. Como o fato de ter sido ordenado sozinho por dom Aguirre a 3 de maio de 1942, logo após ter completado 25 anos de idade a 25 de abril; seus outros dois colegas de turma – monsenhor Sérvulo Madureira e dom Benjamin de Souza Gomes, depois eleito pelo papa Paulo VI para bispo diocesano de Paranavaí, ambos já falecidos – haviam sido ordenados meses antes, a 8 de dezembro de 1941. Padre Lyrio teve de esperar mais alguns meses, pois ainda não tinha atingido a idade mínima estabelecida pela Santa Sé para receber a ordenação sacerdotal.

Ao final da missa jubilar, não faltou ainda o tradicional canto do “Parabéns a você!” e o corte do bolo de aniversário.

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar