Sábado, 6 de Junho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Encontro de Consegs discute inovações no sistema eletrônico

Publicada em 04/05/2012 às 00:51
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

O encontro reuniu autoridades militares, delegados, presidentes e membros de Consegs de 79 municípios do Estado (Foto: Fernando Rezende)
No auditório da empresa Flextronics foi realizado ontem o Encontro Regional de Consegs (Conselho Comunitários de Segurança) da Região do Deinter 7 / CPI-7, que contou com a participação de 79 municípios por meio de seus respectivos presidentes de Consegs e membros, delegados de polícia e autoridades militares. Durante o encontro foram apresentadas inovações para o banco de dados e trocas de experiências. Atualmente Sorocaba tem seis Conselhos, mas já há a possibilidade da implantação de Consegs nos bairros.  

Em sua palestra, o tenente-coronel Alexandre Marcondes Terra afirmou que o encontro traz inovações para gestão e projetos, como exemplo, a ata eletrônica, uma forma de modernização no gerenciamento público. “Através da ata eletrônica a sociedade terá mais transparência para acompanhar as demandas”, diz. Para Terra, o encontro tende a ajudar, incentivar e motivar os envolvidos levando a resultados mais práticos. O coronel ainda afirma que Consegs paralisados serão reativados e só com a descentralização para microrregiões será ampliada a rede do bem. “Será uma rede maior e bem mais participativa em nome da segurança pública.” 

Conforme informações do tenente-coronel, o site com as modificações estará disponível para consulta dentro de quatro meses. “Irá demorar mais uns meses para funcionar com plenitude. Hoje foi uma amostra e treinamento das novas ferramentas.”. No novo sistema, haverá também um registro sobre os participantes e membros do Conseg, e também um arquivo com tudo que é veiculado na mídia sobre as atuações dos Conselhos em cada cidade.

Para o delegado Weldon Carlos da Costa, diretor do Deinter 7, o encontro agrega, em âmbito regional, as questões de atuação dos Conselhos Comunitários de Segurança, que avalia como atuantes na cidade. “Através dos Consegs e o Disque-denúncia grande parte dos crimes são elucidados.” O delegado afirma que tudo é segurança pública. “Com a ajuda da comunidade podemos evoluir nos trabalhos; até iluminação pública é segurança”, afirma. Costa lembra que a população deve usar a ferramenta 181, pois é totalmente sigilosa caso sinta medo em denunciar.   

Para o capitão Ubiratan Marques da Silva, a participação da população nas reuniões do Conselho é fundamental. “O cidadão aprende, por exemplo, o que fazer para sua residência não ser assaltada. Aprende a ter cuidados pessoais para uma melhor proteção”, diz. Para ele, o que mais chamou a atenção no encontro são as pessoas voluntárias, que, no caso, são os membros e presidentes de Consegs, que colaboram para a evolução da segurança. “Nós da polícia ganhamos com a colaboração dos voluntários; com isso ganha todo mundo”, fala o capitão Ubiratan. 

O delegado seccional de Polícia de Itapetininga, Marcelo Murat, garante, que em sua região, abrangendo 13 municípios, a criminalidade diminuiu com a ajuda dos Conselhos. “De 2009 a 2011 registramos uma queda de 25% nos crimes como homicídios, roubos e furtos, atingindo a meta da Secretaria de Segurança Pública”. Para Murat, a união entre polícia e comunidade acaba se tornando melhoria da qualidade de vida, pois o Conselho atende às áreas escolares entre outras, vulneráveis a prática de atos ilícitos. 

Para a presidente do Conseg Oeste, Vera Helena Mantovani Migliari e Oliva de Moraes, que ocupa o cargo há dois anos, as reuniões colaboram com a luta contra o crime principalmente de furto, roubos e tráfico, muito presentes na região que compreende o Jardim Nova Esperança até o Ibiti do Paço. “Fazemos trabalhos pontuais e observamos a movimentação nos bairros.” 

A presidente afirma que foi por meio do Conseg que um bar localizado na avenida Gonçalves Magalhães foi fechado. “O ambiente era usado como ponto de tráfico de drogas, além da venda de bebida alcoólica a menores”, conta. Para Vera Helena, as atividades de Conseg é comparado ao “trabalho de formiguinha”, porém um trabalho comprometido com a segurança e que sempre trará bons resultados. 

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar