Segunda-Feira, 11 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Comissões da Câmara são formadas em clima ‘eleitoreiro’

Publicada em 02/02/2012 às 20:29
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Presidente da Câmara, José Francisco Martinez, abre a primeira sessão do ano (Foto: Divulgação)
As acusações e as justificativas partem dos dois lados na Câmara Municipal de Sorocaba. Ontem, houve a primeira sessão ordinária sob a presidência de José Francisco Martinez e a volta de Paulo Mendes aos quadros legislativos da Casa. Com exceção de Justiça e Segurança, eleitas por votação nominal, e de Redação e Ética, que seguem o Regimento Interno, as demais comissões foram definidas por acordo entre os vereadores. Novos membros também elegeram os presidentes de cada comissão.

Martinez iniciou a sessão às 9h04, e apenas o vereador Geraldo Reis estava presente no momento. Levou mais de 20 minutos para todos os parlamentares chegarem ao local. Tudo ia bem, os vereadores se cumprimentando, aprovando alguns requerimentos e medidas, até que, por volta das 10h30, chegou a hora das votações para a escolha das comissões. 

Com a ordem do dia exclusiva para a constituição das comissões, também foram eleitos os presidentes de cada uma, com exceção da Comissão de Ética. Paulo Mendes (PSDB) é o novo presidente da Comissão de Justiça, composta ainda por Anselmo Neto (PP) e Cláudio do Sorocaba I (PR). Com o posicionamento contrário do vereador José Crespo, não houve acordo e a comissão foi eleita por voto nominal. Foi aí que começou a polêmica. Crespo subiu na tribuna antes da votação e disse que a tutela jurídica que tinha ‘denunciado’ ano passado ainda funcionava, e mostrou uma gravação de áudio do prefeito Vitor Lippi, em entrevista para uma rádio na cidade, em que o prefeito diz “ter o cuidado de não deixar ele em nenhuma das comissões”. “Quem que nosso prefeito pensa que é? Ele é poderoso sim, mas não rei. Não estamos na Idade Média!”, Crespo criticou duramente o fato de não poder ser uma voz dissonante nas comissões, e que Lippi poderia fazer o que bem entendesse agora que tinha o ‘controle’ do Legislativo também. 

De acordo com Paulo Mendes, o prefeito não interferiu em nada na composição das mesas. “Cada um que interprete da maneira que quiser os fatos. Tudo foi feito no bom senso, não houve troca de favores nenhum”, alegou o vereador ex-secretário de Lippi.

Também eleita por votação nominal, a Comissão de Segurança Pública, criada pela Resolução nº 374, de 12 de dezembro de 2011, tem como presidente o vereador Marinho Marte (PPS) e como membros o vereador Geraldo Reis (PV), autor da resolução, e Vítor do Super José (PRP). 

Essa eleição também teve polêmica, quando Vitor reclamou que não estava em nenhuma comissão. Muito bate-boca entre os vereadores novamente, que não concordavam na forma de proceder de maneira fácil para que Marinho ‘deixasse’ seu lugar para Vítor. Os trâmites convencionais foram seguidos e, no final de tudo, o vereador Coronel Rozendo – PV, que estava na comissão, pediu para sair. Geraldo ficou muito contrariado também, mas permaneceu.

Seguindo o Regimento Interno, a Comissão de Redação passa a ser presidida pelo primeiro secretário da Mesa, vereador Luís Santos (PMN), e composta pelos demais membros, Neusa Maldonado (segunda secretária - PSDB) e Vítor do Super José (terceiro secretário - PRP). 

Também de acordo com o regimento, a Comissão de Ética, que deve conter um membro de cada partido com representação na Câmara, passa a ser composta pelos líderes de bancada, Rozendo Oliveira, PV; Paulo Mendes, PSDB; Ditão Oleriano, PMN; Francisco França, PT; Anselmo Neto, PP; Antônio Carlos Silvano, PMDB; Emílio Ruby, PSC; Cláudio do Sorocaba I, PR; Hélio Godoy, PSD; Irineu Toledo, PRB; José Crespo, DEM; Marinho Marte, PPS, e Vítor do Super José, PRP.

VOTAÇÃO SIMBÓLICA - Com acordo firmado anteriormente, as demais comissões foram anunciadas pelo presidente da Casa. A Comissão de Educação, Saúde Pública e Juventude continua a ser presidida pela vereadora Neusa Maldonado (PSDB), com Rozendo Oliveira (PV) e Luís Santos (PMN) como membros. A Comissão de Economia, Finanças, Orçamento e Parcerias também manteve seu presidente, o vereador Hélio Godoy (PSD), e como membros Izídio de Brito (PT) e Ditão Oleriano (PMN). 

Já Emílio Ruby (PSC) ainda é o presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos, com os membros Irineu Toledo (PRB) e Luís Santos (PMN). E Izídio de Brito (PT) continua presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia, composta ainda por João Donizeti (PSDB) e Hélio Godoy (PSD). A Comissão de Cultura, Desportos e Meio Ambiente passa a ser presidida pelo vereador João Donizeti (PSDB), com Irineu Toledo (PRB) e Francisco Moko Yabiku (PSDB) como membros. E o vereador Francisco Moko Yabiku (PSDB) é o presidente da Comissão de Obras e Serviços Públicos, composta ainda por Francisco França (PT) e Antônio Carlos Silvano (PMDB).

PRIMEIRA SESSÃO DO ANO – Dando abertura à primeira sessão ordinária de 2012, o presidente da Câmara, José Francisco Martinez (PSDB), saudou os vereadores pela eleição e principalmente o ex-presidente Marinho Marte (PPS) pela condução da Mesa nos últimos dois anos, destacando seu trabalho, inclusive no tocante à valorização profissional dos funcionários do Legislativo. Ao colega de partido e líder da bancada e do Governo, Paulo Mendes, Martinez cumprimentou pela volta ao Legislativo, após ter assumido a Secretaria de Governo por um ano e meio. 

O vereador Paulo Mendes também agradeceu aos funcionários do Paço o companheirismo durante o tempo em que permaneceu no Executivo e aos da Câmara, a acolhida. O líder fez menção especial ao vereador Claudemir Justi (PSDB), que assumiu sua vaga nesse período destacando sua fidelidade, dedicação e empenho. O vereador Izídio de Brito (PT), que se recupera de uma cirurgia, não participou da primeira sessão. 

  
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar