Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< Marcos Valério é preso em MG

Publicada em 02/12/2011 às 21:28
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Em 2005, Marcos Valério teria comandado o mensalão no Congresso Nacional (Foto: Antônio Cruz/ABr)
Uma operação da Polícia Civil da Bahia prendeu ontem 15 pessoas acusadas de envolvimento em um esquema de grilagem de terras. As prisões ocorreram na Bahia, em São Paulo e em Minas Gerais, onde foram detidos empresários, latifundiários, advogados e servidores da Justiça. Entre os presos está o publicitário Marcos Valério de Souza, acusado de atuar como o operador do esquema de pagamento de propinas no Congresso Nacional revelado em 2005, o mensalão.

Delegado da Polícia Civil de Minas Gerais, Denilson dos Reis Gomes revelou que uma equipe observava as movimentações do publicitário e por volta das 6 horas resolveram abordá-lo. Os agentes tocaram o interfone e o próprio Marcos Valério atendeu. Quando os homens se identificaram como pertencentes à polícia da Bahia, ele respondeu: “Ah, tá, já sei”. Pediu para que os policiais entrassem e esperassem que ele tomasse um banho antes de ser levado. 

Outro réu do processo do mensalão que também foi preso é o publicitário Ramon Hollerbach, ex-sócio de Valério na Agência SMP&B. Também foram presos os ex-sócios da DNA, Francisco Marcos Castilho Santos e Margaretti Maria de Queiroz Freitas. A Operação Terra do Nunca cumpriu ainda 23 mandados de busca e apreensão.

O esquema funcionava com o registro falso de terras na cidade de São Desidério, que fica a quase 900 quilômetros de Salvador. Os títulos eram usados como garantia para pagamento de dívidas contraídas em instituições financeiras.

As investigações duraram 17 meses e tiveram a participação da Polícia Civil da Bahia, de Minas e de São Paulo, além do Ministério Público de Minas e São Paulo.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar