Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Secretaria da Saúde procura por mais de 12 mil diabéticos na cidade

Publicada em 17/11/2011 às 19:29
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Funcionários do hipermercado aproveitaram para fazer os exames oferecidos pela equipe da Unimed (Foto: Fernando Rezende)
Para marcar a passagem do Dia Mundial do Diabetes, lembrado no último dia 14, a Secretaria da Saúde (SES) do município promoveu ontem várias ações de prevenção e diagnóstico da doença silenciosa. Pessoas que passavam pela praça Coronel Fernando Prestes, Centro, puderam fazer testes de glicemia, verificação da pressão arterial e outros exames. A ação, cujo tema foi “Educar para Prevenir”, teve por objetivo identificar mais de 12 mil portadores de diabetes que ainda não procuraram atendimento publico de saúde para tratamento. 

De acordo com a enfermeira Viviane Villas Boas, supervisora da Área de Atenção à Saúde do Adulto da SES, estima-se que hoje 10% da população sorocabana com idade acima de 30 anos (30.176 pessoas) sejam portadores do diabetes. Desse total, mais de 12 mil pessoas, ou seja, 40%, ainda não sabem que têm a doença. “Pode ser que essas pessoas estejam se tratando em clínicas particulares, mas nosso objetivo é fazer com que essas pessoas sejam identificadas e recebam o tratamento para o diabetes”, informou.

A enfermeira Viviane explicou que os casos diagnosticados com problemas de diabetes e hipertensão seriam encaminhados à Policlínica ou UBS para tratamento posterior. “O diabetes é uma epidemia global causada principalmente pela má alimentação e sedentarismo. Muitas pessoas que passam por aqui e são identificadas como diabéticas não sabiam que tinham a doença e, por isso, precisamos conversar, orientar e tratar nas unidades de saúde.” 

Célio Ferreira Silva, 57 anos, não é fumante e não possui histórico de diabetes em sua família, no entanto ele aproveitou as atividades de ontem para fazer alguns exames. “Eu me preocupo com minha saúde”, disse. Já a moradora do Jardim Primavera, Cassilda Teixeira de Lima, 60 anos, estava um pouco receosa na fila de espera para o teste de respiração, destinada a pessoas com mais de 45 anos, fumantes ou não. “Tenho problema no pulmão há sete anos e uso medicamento. Vou aproveitar que estou passando por aqui para fazer esse exame e ver como estou.”

Para atender às pessoas que passaram pela praça, tendas foram montadas para melhor direcionar os pacientes na hora dos exames. Houve verificação da pressão arterial, testes de glicemia capilar para pessoas com fatores de risco e medição da circunferência abdominal; orientações sobre Terapia Comunitária e como participar das rodas; informações sobre o pé diabético, podologia, nutrição e tuberculose; sessões de auriculoterapia e orientações e avaliação odontológica para detecção precoce de lesões ou complicações; orientações sobre Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e o Programa Municipal de Controle da Asma; orientações com a Associação dos Diabéticos de Sorocaba e alunos da Faculdade de Ciências Médicas da PUC-SP; e informações da Zoonoses sobre o combate à dengue.

A população presente contou ainda com a oportunidade de atendimento nos Ônibus da Mulher de Homem. Hoje, as 30 UBSs da cidade continuam intensificando os programas e ações oferecidos para orientação, prevenção e controle do diabetes.

MAIS AÇÕES EM PROL DA SAÚDE – O Serviço de Medicina Preventiva da Unimed Sorocaba também realizou ontem ação educativa e preventiva pela passagem do Dia Mundial do Diabetes, no Extra Campolim. O objetivo foi mostrar à população a importância de um diagnóstico precoce para a prevenção da doença, além de abordar os cuidados, sinais e sintomas do diabetes. 

Profissionais da empresa, ligados à área da saúde ofereceram testes de glicemia, aferição de pressão arterial e cálculo do Índice de Massa Corpórea (IMC). Conforme o International Diabetes Federation (IDF), estima-se que atualmente haja 250 milhões de diabéticos no mundo. Já em 2025 serão 380 milhões, caso atitudes eficientes de prevenção não sejam tomadas.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar