Sábado, 4 de Abril de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Exposição de fotos revela a expressão religiosa da fé Fotógrafo sorocabano Alexandre Lombardi registra momentos de fé dos fieis que freqüentam o Santuário de São Judas Tadeu, no Central Parque

Publicada em 19/10/2011 às 20:19
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Exposição traz 30 fotos de fieis que participaram da Novena a São Judas Tadeu, no ano passado (Foto: Alexandre Lombardi)
Observando a movimentação do Santuário São Judas Tadeu, no Central Parque, e as diferentes manifestações de fé dos fieis que por ali passaram durante a novena do santo padroeiro, no ano passado, o fotógrafo sorocabano Alexandre Lombardi, 37 anos, teve a idéia de registrar os momentos e montar a exposição “Expressão de fé”, aberta ao público de hoje até 20 de novembro, no próprio Santuário.

A mostra traz 30 fotos de tamanho 62x85 que retratam reações variadas de pessoas que freqüentam a igreja e manifestam sua religiosidade por meio de lágrimas, sorrisos, louvor, canto ou introspecção. “Desde que comecei a freqüentar o Santuário, como devoto, fico impressionado com a expressão das pessoas. Às vezes me pegava pensando como seria minha expressão durante os louvores. Foi então que decidi fotografar e montar a exposição”, afirma Alexandre. 

O fotógrafo destaca, ainda, o apoio que recebeu do pároco Flávio Júnior para a realização do evento. “Quando apresentei a ele minha idéia tive total apoio. A exposição é como se fosse um auto-retrato da minha própria fé”, diz.

A abertura da mostra nesta quinta-feira (20) coincide com o início da Novena a São Judas Tadeu, e as imagens estarão expostas 24 horas ao público nas paredes do interior da igreja, que se localiza na Rua Walter Luiz D’avila, 171, Central Parque. 

O FOTÓGRAFO - Alexandre Lombardi é filho do saudoso maestro Nilson Lombardi, falecido em 2008. Diferentemente do pai, não quis seguir carreira na música e se enveredou pelo universo das fotografias. “Meu pai até tentou me inserir em aulas de partitura e instrumento, mas minha praia sempre foi mesmo a área de comunicação, mais precisamente a fotografia”, revela.
O fotógrafo iniciou carreira no DIÁRIO DE SOROCABA, em 1993, aos 20 anos. No jornal, conta, aprendeu a arte das imagens com o atual diretor executivo, Maurício de Luca, e com os fundadores Vitor Cioffi de Luca e Thereza Conceição Grosso de Luca, já falecidos. Teve passagens, também, pelo jornal Cruzeiro do Sul e percorreu o País em expedições fotográficas por Estados como Bahia, Paraná e Santa Catarina. São mais de 17 anos como profissional da fotografia. 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar