Sexta-Feira, 29 de Maio de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Motoristas do transporte coletivo não entram em greve Categoria deve votar hoje aumento salarial de 9%, proposta oferecida pelos empresários

Publicada em 30/05/2011 às 21:15
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Enquanto decisão não era tomada, ônibus estavam circulando com os faróis acesos para alertar a população sobre possível paralisação da categoria (Foto: Fernando Rezende)
A paralisação dos motoristas do transporte urbano, rodoviário e fretamento, que se iniciaria à meia-noite desta terça-feira está cancelada. As empresas ofereceram aumento salarial de 9%, que será votada pela categoria hoje em duas assembleias, às 10 e às 18 horas, na sede do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região. 

Ontem houve reunião entre os diretores do sindicato e os empresários, com intermediação da Urbes - Trânsito e Transportes, para debater as negociações. A proposta patronal foi 9% de aumento salarial, R$ 700 de Participação nos Lucros e Resultados (PLR), R$ 14,00 por dia de vale-refeição e a contratação de 50 agentes de bordo - 16 em janeiro, 16 em fevereiro e 18 em março de 2012; além da inclusão da cláusula que determina que a empresa pague o salário e demais benefícios ao trabalhador que tiver alta do INSS e não for considerado apto a voltar ao trabalho pelo médico da empresa, e manutenção dos demais benefícios conquistados nas datas-base anteriores. A data-base da categoria é 1º de maio. 

Os ônibus do transporte urbano de Sorocaba trafegaram na sexta e segunda-feira com os faróis acesos alertando a população sobre o estado de greve. As pessoas que dependem do transporte público ficaram agoniadas com a possível paralisação. 

A primeira proposta patronal foi aumento de 7,39%, negada pela categoria. A reivindicação da reposição da inflação segundo o Índice Geral de Preços do Mercado da Fundação Getúlio Vargas (IGP-M/FGV), feita na última quinta-feira, foi de 10,60%.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar