Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Enterradas primeiras vítimas dos tiros em escola carioca

Publicada em 08/04/2011 às 20:37
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

A Polícia Civil afirma que o assassino disparou pelo menos 60 tiros (Foto: Salvador Scofano / Governo RJ)
Comoção e dor marcaram o enterro de vítimas da tragédia na Escola Municipal "Tasso da Silveira", em Realengo, zona oeste do Rio de Janeiro. No Cemitério do Murundu, em Padre Miguel, também na zona oeste, centenas de pessoas chegaram cedo para acompanhar o velório e enterro de Larissa Silva Martins, de 13 anos; Mariana Rocha de Souza, de 12 anos; e de Géssica Guedes Pereira. O corpo desta última foi enterrado no Cemitério de Ricardo de Albuquerque.

Os corpos de Bianca Rocha Tavares, de 13 anos; e de Milena dos Santos Nascimento, de 14 anos, foram liberados do Instituto Médico Legal no final da manhã, e também foram levados para o velório e enterro no Cemitério do Murundu. Um helicóptero da Polícia Civil jogou pétalas de rosa no momento dos sepultamentos, que foram acompanhados também pelo secretário de Segurança Pública do estado, José Mariano Beltrame, e pela chefe da Polícia Civil, delegada Martha Rocha.

Chorando muito, a estudante Isabela da Silva Cavalheiro, relatou o episódio que testemunhou e disse que nunca mais volta para escola "Tasso da Silveira". “Quero voltar a estudar sim, quero ser aeromoça, mas para essa escola não volto nunca mais.”

No Cemitério Jardim da Saudade, na Sulacap, também na zona oeste, o clima de comoção era o mesmo no velório e enterro de Rafael Pereira da Silva, de 14 anos; Karine Lorraine Chagas de Oliveira, de 14; Larissa dos Santos Atanázio, de 13; e Luiza Paula da Silveira Machado, de 14 anos.

FERIDOS - Uma menina de 13 anos baleada no abdômen no atentado tinha previsão de receber alta ainda ontem (8) do Hospital Estadual Albert Schweitzer. A Secretaria Estadual de Saúde disse que a menina se recupera bem. Mas, com exceção dela, as outras dez vítimas permanecem internadas sem previsão de alta. Muitos em estado grave, em centros de tratamento intensivo (CTI), como é o caso de um menino de 13 anos baleado no olho e de uma menina com a mesma idade atingida no abdômen.

60 TIROS - Armado com dois revólveres, Wellington Menezes de Oliveira disparou pelo menos 60 tiros depois de invadir a Escola Municipal "Tasso da Silveira", segundo o delegado Felipe Renato Ettore, da Divisão de Homicídios, que investiga o caso. Durante entrevista à imprensa, a Polícia Civil apresentou as duas armas usadas pelo atirador, além de oito carregadores e um cinto para munição. De acordo com o delegado, tanto o revólver calibre 38 - que foi recarregado pelo menos nove vezes - quanto o calibre 32 são fáceis de serem usados e não requerem treinamento. “Os revólveres são armas de fácil manuseio”, disse.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar