Sábado, 16 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Polícia acaba com comando do tráfico de drogas em Alumínio

Publicada em 25/02/2011 às 22:24
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Este é o ‘Gordo’, criminoso que comandava o tráfico de drogas em Alumínio de dentro do CDP de Piracicaba; sua extensa ficha criminal inclui até homicídio; O sexteto criminoso vendia entorpecentes em vários bairros da cidade (Foto: Tom Rocha)
Mesmo de dentro da cadeia – Centro de Detenção de Piracicaba – o criminoso “Gordo”, 30 anos de idade, com extensa ficha criminal por homicídios e tráfico de drogas, comandava a venda de entorpecentes em praticamente toda a cidade de Alumínio. Daniel Gonçalves Borges, seu nome verdadeiro, preso desde 30 de novembro de 2010, tinha um adolescente de 17 anos como seu braço direito no tráfico. O menor e mais seis outros bandidos foram presos ontem de manhã na ‘Operação Palha de Aço’, que desarticulou o crime na cidade.

A ação policial mobilizou mais de 150 policiais civis de Sorocaba e Alumínio, além de policiais militares, que juntos cumpriram 12 mandados de busca e apreensão em diferentes bairros da cidade, em pontos específicos de venda de entorpecentes e residências dos acusados. Drogas foram apreendidas na operação.

O comando e o desenvolvimento da ‘Operação Palha de Aço’ ficou por conta do delegado José Humberto Urban Filho, da Delegacia de Investigações Gerais – DIG de Sorocaba, e a delegada Luciane Regina B. Tomoguise Toledo, da Delegacia de Alumínio.

Os presos eram todos asseclas de “Gordo”. São eles: Thiago Ribeiro da Costa, vulgo ‘Taigo Maconha’; Samuel Vieira Alves, vulgo ‘Monstro’; Ronilson dos Santos, Wilson Conrado, vulgo ‘Duili’; Alan dos Santos Silva; Wagner José de Souza, além de um menor de 17 anos.

De acordo com informações da delegada Luciane Toledo, as investigações duraram cerca de cinco meses e praticamente desarticularam o tráfico de drogas na cidade. “Bairros como Granja Modelo e Vila Ré foram alvos de campanas, devido ao índice de criminalidade no local”. Os pontos de venda de drogas eram divididos e obedeciam a uma ‘logística’. Todos os presos eram traficantes de drogas, em diferentes funções dentro desse esquema criminoso.

“Gordo” seria o ‘torre’ - o chefão do tráfico; seguido direto por segundos em comando: ‘Thiago Maconha’, o adolescente infrator detido, ‘Monstro’, ‘Duili’, e outros dois vendiam drogas nos bairros Granja Modelo, Vila Pedágio, Jardim Olidel e Vila Brasilina.

Todos foram indiciados por tráfico de drogas e associação ao tráfico. O chefão de tudo, preso em novembro, estava na ocasião com meio quilo de cocaína, uma pedra bruta de crack, uma arma de fogo, dinheiro e material para preparo dos entorpecentes.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar