Terça-Feira, 2 de Junho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Secretário estadual diz que apoiará reforma para instalar museu de arte

Publicada em 02/12/2010 às 21:13
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Andréa Matarazzo elogiou a localização do MAC, próximo à Estação de Ferro Sorocabana, destacando a possibilidade de se transformar em polo cultural (foto: Pedro Henrique Negrão)
O secretário de Estado da Cultura, Andréa Matarazzo, esteve ontem na cidade para conhecer o espaço onde será instalado o Museu de Arte Contemporânea (MAC), ao lado da antiga Estação Ferroviária, na avenida Dr. Afonso Vergueiro. As instalações foram apresentadas pelo prefeito Vitor Lippi e pelo secretário municipal da Cultura, Anderson Santos. Matarazzo relata que recomendará ao próximo governo estadual que apoie a iniciativa cultural.

“O projeto é ótimo, a cidade tem potencial grande, não terá problemas em encontrar patrocínio (para dar continuidade à reforma do espaço). Vou deixar a recomendação (para o governo do Estado de São Paulo) para que seja feito o que puder dentro do possível e do orçamento do ano que vem para apoiar a iniciativa, que é espetacular para a cidade e para o Estado”, anunciou o secretário.

A presidente da Associação de Educação, Cultura e Arte (Aeca), Cristina Delanhesi, explica que o projeto custa R$ 4 milhões. O projeto, assinado pelo arquiteto Pedro Mendes da Rocha, está em andamento desde 2008, porém recebeu apenas verba da Prefeitura de Sorocaba. A administração municipal já investiu R$ 320 mil na reforma dos galpões da antiga Fepasa; R$ 40 mil será para a troca do telhado e mais R$ 360 mil está em licitação.

Cristina ressalta que não há data definida para a entrega do MAC, já que a obra depende de verbas, seja do incentivo público ou privado. O prédio tem ao todo 2.100 metros quadrados, que receberão auditório, elevador, salas de exposições, praça, café, biblioteca, jardim, entre outros compartimentos.

Atualmente, a secretaria da MAC funciona no Museu da Estrada de Ferro Sorocabana. O secretário do Estado também conheceu o local, o Chalé Francês e o Palacete Scarpa, onde funciona a Secretaria Municipal da Cultura.

A deputada estadual Maria Lúcia Amary, os artistas contemporâneos, Elisa Pracher, Marco Gianotti, Jaime Prades, Ricardo Ribemboim, e os artistas sorocabanos, Pedro Lopes e Lúcia Castanho, também estiveram presentes durante a visita do secretário.

Os artistas participarão de projetos desenvolvidos pelo MAC. Elisa fará esculturas que serão instaladas em praças de Sorocaba e Ricardo está responsável pelos vagões de trem que ficarão empilhados em frente do prédio do MAC.

Nos galpões ainda estão guardados materiais da antiga Fepasa e de ex-funcionários. As peças históricas chamaram a atenção dos artistas, que já estão planejando utilizar os materiais, como armários, cadeiras, postes de energia, para transformá-los em obras contemporâneas. 

SECRETARIA DA CULTURA - Como o secretário Andréa Matarazzo ainda não sabe se continuará na pasta durante a gestão de Geraldo Alckmin no governo do Estado de São Paulo, na visita a Sorocaba destacou apenas que apoiará a reforma de instalação do Museu de Arte Contemporânea sem anunciar verbas estaduais. 

Matarazzo acredita que a cidade não terá dificuldades em encontrar apoio de iniciativa privada, já que a cultura está ligada à educação e à mudança da sociedade. “Sorocaba não terá problema com os apoios privados e o Estado ajudará no sentido de encontrar apoiadores.” O secretário também lembrou da Lei federal Rouanet e disse que o projeto deve aguardar o próximo ano para saber se haverá recurso das estatais do governo do Estado.

A instalação do MAC fica junto à Estação de Ferro Sorocabana, por conta disso recebeu elogios do secretário da Cultura. “O espaço é espetacular, não só o espaço, mas o contexto em que está colocado, a história dele e as alternativas de transformar a região central em um polo cultural.” 

Sobre o balanço do seu governo na pasta, Matarazzo diz que focou a aplicação da cultura no Interior. “Há acervos importantes em São Paulo, podemos pensar em trazer pinacotecas menores e regionais para levar cultura de qualidade para o Interior. A iniciativa privada tem que incentivar a cultura. O Interior de São Paulo é rico, tem muitas empresas, existe os incentivos fiscais, então precisa estimular os empresários a participarem junto com o governo do município e do Estado”, diz. 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar