Sexta-Feira, 23 de Agosto de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Peças teatrais são opções de lazer nesta quarta-feira

Publicada em 23/11/2010 às 20:26
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Peça "Ohh!! Beijo Não!" tem sua última apresentação hoje no Sesi (Foto: Divulgação)
Três espetáculos serão apresentados ao público sorocabano hoje (24), em locais distintos; dois deles gratuitos. Trata-se das montagens "Ohh!! Beijo Não!", do Núcleo de Artes Cênicas do Sesi Sorocaba; "Os que chegam com a noite", da Cia. Clássica de Repertório; e "Cordélia Brasil", que integra a programação do "Letras em cena", projeto promovido gratuitamente pela CPFL Cultura.

Com direção e concepção de Júnior Mosko, "Ohh!! Beijo Não!" é apresentada de graça hoje a partir das 20 horas no Teatro do Sesi Sorocaba, situado na Rua Gustavo Teixeira, s/n°, Mangal. O objetivo da peça é mostrar a importância dos valores de uma sociedade e abordar, por meio dos personagens, assuntos como o "bem" e o "mal", "escolha" e "consequências" e o poder que o amor tem na vida das pessoas.

A história, que se passa no século XXI, é vivida por personagens atuais e de séculos passados, como bruxas, feiticeiros, entre outros. A trama começa quando um velho bruxo muito antigo, que se diz entediado nos dias de hoje com tanta tecnologia e modernidade, reclama que as pessoas não ligam mais para magias e truques de mágica, coisas que antigamente faziam sucesso, segundo ele.

E em meio a este tédio, o bruxo tem a ideia de inventar uma nova magia para se divertir, com base nas antigas mágicas que fazia lá pelos séculos XV e XVI. Com a ajuda de seus amigos feiticeiros, ele escolhe um macaquinho da Amazônia para transformá-lo em humano.

Enquanto a trama se desenrola, outras histórias vão se passando, com muito bom humor e drama. 

"Ohh!! Beijo Não!" está em cartaz no Sesi desde o início do ano, encenada sempre nas quartas-feiras, às 20 horas; hoje é o último dia para quem ainda não conferiu.

"OS QUE CHEGAM COM A NOITE" - No Terceiro Andar (Rua José Bonifácio, 70, Centro), vai haver também hoje, às 20 horas, o espetáculo de Mário Pérsico, apresentado pela Cia. Clássica de Repertório. A peça, uma referência ao cinema, ou mais diretamente ao filme inglês de 1972, "The Nightcomers", estrelado por Marlon Brando, vai costurando cenas que procuram mostrar com sensibilidade o cotidiano de personagens marginais, seres noturnos, mas nem sempre soturnos, em seus momentos mais variados. 

O espetáculo é, de certo modo, uma retomada do Teatro de Câmara experimentado pela Cia. Clássica em 2006 na Fundec. Assim, tudo ocorre em um espaço muito próximo e para, no máximo, 50 expectadores. Os personagens, desenhados sem moralismos, não são bons nem maus, são o que são. E estão na próxima esquina, na Praça Central, na mesa ao lado do boteco... Frutos de um sistema selvagem onde sobreviver é a regra. 

Os convites para a peça, recomendada somente para maiores de 16 anos, estão à venda antecipadamente por R$ 5 na Loja Conceito Vintage (Rua da Penha, 1.149, Centro) e na Loja Retro (Rua da Penha, 284, Centro). É possível também comprá-los no local da encenação, pelo mesmo preço. Menores de 16 podem entrar apenas na companhia dos pais ou responsável. 

CPFL CULTURA - Texto revolucionário de Bivar, "Cordélia Brasil" teve sua estreia em 1968, o famoso ano que, conforme o escritor Zuenir Ventura, “não terminou”. Mesmo com o Brasil de ponta cabeça, e a ditadura no contorno do País, o dramaturgo Antonio Bivar colocou em cena "Cordélia Brasil", que provocou os conservadores com sua escancarada revolução sexual.

A obra é apresentada hoje, às 19 horas, no Auditório da CPFL Piratininga (Av. Armando Pannunzio, 1.555, Jd. Romilda), com entrada franca. A atração faz parte do Projeto "Letras em Cena", da CPFL Cultura. Com direção de Nelson Baskerville, a montagem traz no elenco Maurício Machado e Gabriela Alves, entre outros. O auditório será aberto a partir das 18 horas.

PENSAMENTO MAIS MODERNO - Na estreia da peça no Rio de Janeiro, em 1968, com direção de Emílio di Biasi e Norma Bengell no elenco, o autor Antonio Bivar recebeu do crítico Yan Michalsky (Jornal do Brasil), o julgamento: "Antonio Bivar é o pensamento mais moderno do teatro brasileiro". Vinte anos depois, outro crítico, Sábato Magaldi, foi incisivo: "Cordélia Brasil já é um clássico do moderno repertório teatral brasileiro". 

Por "Cordélia Brasil" e por outra peça sua, "Abre a Janela e Deixa Entrar o Ar Puro e o Sol da Manhã", Antonio Bivar recebeu todos os prêmios de Melhor Autor de 1968, em São Paulo (Molière, Governador do Estado e APCA). Por sua interpretação de "Cordélia", Norma Bengell conquistou o Prêmio Governador do Estado de Melhor Atriz.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar