Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Vereador e secretário conhecem coleta seletiva de Diadema

Publicada em 01/09/2010 às 20:39
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Os visitantes conheceram os trabalhos feitos nas dependências de uma das unidades de processamento de resíduos naquela cidade (Foto: Divulgação)

O vereador Izídio de Brito e o secretário municipal de Parcerias, Carlos Laíno, visitaram o Programa Vida Limpa da Prefeitura de Diadema para conhecer de perto o sistema de coleta seletiva do município. Eles foram recebidos pelo secretário de Meio Ambiente de Diadema, Ricardo Silvério de Souza, e visitaram as dependências de uma das unidades de processamento de resíduos da cidade.

A visita a Diadema foi requerida pelo Plenário, durante a sessão ordinária do dia 13 de julho, quando foi retirado de pauta o projeto de lei que institui o Programa Municipal de Coleta Seletiva Solidária, de autoria de Izídio de Brito, a pedido do até então líder da bancada do governo, Paulo Mendes, atual secretário de Relações Institucionais da Prefeitura. O projeto prevê que a Prefeitura pagará o mesmo valor — R$ 103 por tonelada — para os catadores organizados em cooperativas.

Para Izídio de Brito, além de ampliar a coleta seletiva na cidade com inclusão e melhora dos rendimentos dos catadores, sua proposta protege o meio ambiente. “O volume de reciclagem em Sorocaba seria imensamente maior e não haveria nenhum aumento de custo para a Prefeitura. Ela apenas iria deixar de pagar a empresa pela coleta convencional e passaria a remunerar os catadores, como já acontece em Diadema”, explica.

PROJETO DE DIADEMA - Criado em 2002 pela Prefeitura de Diadema, na Grande São Paulo, o Vida Limpa conta com seis postos de recebimento do material e mais de 100 pontos de coleta seletiva no município, e um de seus diferenciais é a remuneração dos catadores de material reciclável pela Prefeitura. O grupo de catadores foi organizado mediante a criação da Associação Pacto Ambiental — uma Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) — e da cooperativa Coperlimpa, gerando renda para 66 catadores.

Segundo o secretário de Meio Ambiente de Diadema, o programa trabalha com três prioridades: a preservação ambiental, a inclusão social mediante geração de emprego e renda e a diminuição da destinação final de resíduos sólidos para o aterro sanitário. “Os catadores recebem cerca de R$ 53 por tonelada de lixo coletado e, mensalmente, retiram, em média, 100 toneladas de lixo”, afirma o secretário Ricardo Silvério, acrescentando que um dos postos de coleta, com 16 catadores, chega a arrecadar R$ 14 mil mensalmente, R$ 2 mil da Prefeitura e o restante de empresas.

Diadema produz 400 toneladas de lixo por dia e as cooperativas coletam cerca de 115 toneladas de lixo por mês, o que significa cerca de 2% do total do lixo produzido no município. “O potencial da coleta seletiva em Diadema é de 35% e estamos trabalhando para ampliar o programa”, enfatiza, acrescentando que a Prefeitura criou o Vida Limpa nas Escolas, procurando envolver os alunos da rede municipal e suas famílias no trabalho de coleta seletiva. O programa também firmou parceria com uma universidade canadense.

REMUNERAÇÃO DOS CATADORES - O vereador Izídio de Brito considera que o grande diferencial do programa de coleta seletiva de Diadema é a remuneração dos catadores, daí sua sugestão para que a Prefeitura de Sorocaba conhecesse de perto o Programa Vida Limpa.

O secretário de Parcerias, Carlos Laíno, mesmo ressalvando que os municípios de Diadema e Sorocaba são muitos distintos em termos de tamanho e população (Diadema tem 31 quilômetros quadrados e 397 mil habitantes), também reconheceu que há muitas semelhanças entre os dois processos de coleta seletiva, ainda que considere o de Sorocaba “um pouco mais avançado”. Quanto à proposta de remuneração dos catadores, Carlos Laíno afirmou: “É uma proposta a ser estudada dentro do processo de parceria entre o poder público e as cooperativas”.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar